Lago de Itaipu
Pôr do sol visto das marinas de Santa Helena, às margens do lago de Itaipu
Localização
Localização Fronteira Brasil–Paraguai
País  Brasil
 Paraguai
Características
Tipo Lago artificial
Área * 1 350 km²
Profundidade média 22 m
Profundidade máxima 170 m
Ilhas 66
* Os valores do perímetro, área e volume podem ser imprecisos devido às estimativas envolvidas, podendo não estar normalizadas.

O lago de Itaipu é um lago na fronteira Brasil-Paraguai formado artificialmente, em 1982, com o fechamento das comportas do canal de desvio da Usina Hidrelétrica de Itaipu. Compreende uma área de 1 350 km², sendo 770 km2 no lado brasileiro e 580 km2 do lado paraguaio. Integra, ainda, 66 pequenas ilhas, das quais 44 estão no lado brasileiro e 22 na margem paraguaia.

Análises realizadas desde 1986 conseguiram definir a biodiversidade da região. De acordo com os estudos, na área que compreende a faixa de proteção do reservatório, reservas e refúgios localizados na margem brasileira do Lago de Itaipu, existem 305 espécies de aves, 44 espécies de mamíferos e 37 de répteis. Na margem paraguaia, onde a mata nativa não foi tão impactada, já foram observadas 409 espécies de aves e 62 espécies de mamíferos.[1]

Municípios brasileiros às margens do lago de ItaipuEditar

15 municípios pertencentes ao Estado do Paraná:

1 município pertencente ao Estado do Mato Grosso do Sul:

Para estimular o desenvolvimento do turismo sustentável, os dezesseis municípios banhados pelo Lago de Itaipu fundaram, em parceria com a Itaipu Binacional, o Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu.

Com representantes das Prefeituras Municipais, Câmaras de Vereadores e Associações Comerciais dos municípios ribeirinhos, o Conselho promove o desenvolvimento socioeconômico urbano e rural da região.

Entre as parcerias desenvolvidas, está o programa "Caminhos do Turismo Integrado ao Lago de Itaipu".[2] Resultado da união do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu e Sebrae/PR, o programa é gerido pelo Instituto de Turismo e Eventos Caminhos ao Lago de Itaipu. É, dele, a responsabilidade por comercializar e auxiliar o Conselho e o SEBRAE no fomento do turismo regional.

Com o programa, os municípios possibilitam, ao visitante de Foz do Iguaçu, conhecer áreas naturais, espaços e manifestações culturais, além de opções de turismo rural, ecológico, gastronômico e religioso.

Os roteiros incluem pontos turísticos variados que colocam o turista em contato com as culturas italiana, germânica e indígena, com apresentações de canto, dança e fabricação de artesanatos, além de pratos à base de peixe como pintado na telha, cucas, bolachas e geleias artesanais. Quem visita Foz do Iguaçu também pode participar de atividades naturais, como caminhadas e observação de fauna e flora, além de atrativos relacionados à água, como passeios de barco e pesca esportiva ao longo do Lago de Itaipu.

Referências

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lago de Itaipu

Ver tambémEditar