Abrir menu principal

Wikipédia β

Lanheses

freguesia de Portugal

Lanheses (ou Santa Eulália de Lanheses) é uma freguesia portuguesa do concelho de Viana do Castelo, com 10,04 km² de área e 1 645 habitantes (2011)[1]. A sua densidade populacional é 163,8 hab/km². É atravessada pela A 27 - Auto-Estrada do Vale do Lima, cujo troço foi inaugurado no ano de 2005, onde tem uma saída.

 Portugal Lanheses  
—  Freguesia  —
Localização no concelho de Viana do Castelo
Localização no concelho de Viana do Castelo
Lanheses está localizado em: Portugal Continental
Lanheses
Localização de Lanheses em Portugal
Coordenadas 41° 44' 34" N 8° 40' 31" O
País  Portugal
Concelho VCT.png Viana do Castelo
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Filipe Manuel Castro Da Rocha (PPD/PSD)
Área
 - Total 10,04 km²
População (2011)
 - Total 1 645
    • Densidade 163,8 hab./km²
Orago Santa Eulália
Sítio http://www.jf-lanheses.com

No século final do século XVII e principio do XIX, foi vila e sede de concelho, com a designação de Vila Nova de Lanhezes.

Localizada a leste do seu actual concelho, de Viana, faz fronteira com o concelho de Ponte de Lima. É atravessada pelo rio Rio Lima, fazendo parte então da região conhecida localmente por "Ribeira Lima". Tem como vizinhos as localidades de Fontão, a leste, Moreira de Geraz do Lima, a sul, Vila Mou, a oeste e Meixedo a norte.

Como freguesia eclesiástica, tendo como orago ou padroeira Santa Eulália, faz parte da administração do arciprestado da Vinha que antigamente pertencia até 1444 ao bispado de Tui, na Galiza, depois ao bispado de Ceuta, mais tarde ao arcebispado de Braga e que hoje está a cargo da diocese de Viana do Castelo.


Índice

Alguns Dados HistóricosEditar

Em 1801 tinha 1 790 habitantes e 23 km².

Era um couto do Mosteiro de São Salvador (em São Salvador da Torre) na sua origem medieval.

Dizia o padre António Carvalho da Costa, em 1712, na sua famosa corografia: Santa Eulália de Lanhezes, Abadia que apresenta a Casa de Paço da mesma Freguesia, de que são senhores o Doutor Gonçalo Mendes de Brito, Desembargador, & Superintendente do Tabaco em Lisboa, & seu irmão Francisco de Abreu Pereira, Sargento-mor da Comarca de Barcelos. A Casa dos Rochas de Meixedo, dizem, tem alternativa neste Padroado, rende quatrocentos mil reis, & tem cento e setenta vizinhos.

Aqui se faz boa telha, & há ruínas de fortificação, aonde chamam o Calvindo que teve grandes minas de estanho, & se vêm ainda as covas abertas, em que se acha escumalha de material.[2]

As tais minas são várias e em diferentes sítios, cujos vestígios ainda hoje subsistem, mas, as mais extensas compreendem as aqui chamadas "Olas" ou as "Zolas", umas antiquíssimas explorações a céu aberto, e a mais profunda é a chamada "Cova da Moura", em túnel.

Vila Nova de LanhesesEditar

Com estatuto de aldeia chegou a ser vila e sede de concelho, criado em 1793 com a designação de Vila Nova de Lanhezes, foi extinto em 1835 no âmbito de uma reforma administrativa nacional.

Expandiu-se geograficamente em 1796, na altura em que se tornou sede de concelho. Para além de Lanheses, esse concelho era constituído pelas freguesias de Fontão, Meixedo e Vila Mou.

O Marquês de Ávila e Bolama refere, em 1914, que Lanheses foi criada vila… em remuneração dos muitos e valiosos serviços prestados pelo Dr. José Ricalde Pereira de Castro, Moço Fidalgo, Desembargador do Paço, Chanceler-mor do Reino, ser dado o senhorio de juro e herdade, d´ela e doutras freguesias, que se lhe anexaram para formar o seu concelho, e em troca do de Lindoso que já possuía, a seu sobrinho, Sebastião de Abreu Pereira Peixoto,.., 10.º senhor da Casa do Paço e do Padroado da Egreja de Lanheses,…[3]

A referida descendência dos senhores de Lanheses recaiu por via feminina e casamento nos condes de Almada, que aí ainda mantém como propriedade o seu Paço de Lanheses.

Como, era costume, esta vila tinha sede da câmara municipal, tribunal e cadeia e assim tinha igualmente o chamado Juízo ordinário. Este, em 1839, pertencia à comarca de Ponte de Lima, figurando, em 1852 na comarca de Viana do Castelo. E igualmente teve Juiz do Cível, do Crime e dos Órfãos, exercendo essas funções, entre os anos de 1833 3 1834, Manuel Alves Franco e José da Cunha Leitão Sotomaior[4].

Foi nessa altura que a feira mercantil, que ainda aqui se mantém quinzenalmente aos sábados, foi trazida do lugar de Ferreira, em Meixedo.

Caminho de SantiagoEditar

São vários os registos históricos, arqueológicos, artísticos e documentais, de que esta freguesia era antigamente privilegiada para quem queria viajar para a Galiza.

Há nomeadamente uma ponte românica, numa zona mais pantanosa, que existe para dar apoio aos que se deslocavam vindos do rio Lima ou para os que lá se dirigiam. E, como prova de maior antiguidade desse fluxo, foram descobertas nele na sua direcção duas pirogas anteriores a essa época[5] e mais tarde outra.

Sabemos que, através de um padrão gravado no século XVIII que está em frente na outra margem, terá sido instituída a prática de pagar a passagem a um barqueiro que prestava serviço aos viajantes que pretendiam atravessá-lo. Assim foi até 1981, altura em que foi inaugurada a ponte de circulação automóvel sobre o Rio Lima.

Assim como há referência, nos livros de Registo Paroquial de Lanheses, de dois peregrinos estrangeiros que morreram e foram enterrados nesta freguesia quando percorriam o caminho de Santiago que aqui passava.

Património MonumentalEditar

ColetividadesEditar

  • Associação dos Caçadores de Lanheses
  • Associação Cultural e Humanitária de Lanheses
  • Casa do Povo de Lanheses
  • PROIDA XXI - Grupo de Intervenção e Informação para a Proteção do Ambiente e Desenvolvimento de Lanheses
  • União Desportiva de Lanheses - Fundado em 18 de Setembro de 1973, a União Desportiva de Lanheses, com sede no Lugar da Feira, Lanheses, Viana do Castelo, não é senão fruto e continuidade de uma terra que há já longas décadas se dedica ao chamado "Desporto-Rei". Tem como símbolo da sua Bandeira o Pelourinho de Lanheses e utiliza como cores o azul e amarelo; Utiliza para as diversas competições em que participa o "Estádio 15 de Agosto"; Desenvolve para além da sua equipa Sénior, todos os escalões etários de Futebol.

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Lanheses [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 191 1 140 1 073 1 028 1 200 1 161 1 218 1 515 1 816 1 810 1 684 1 594 1 676 1 740 1 645
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 241 278 857 364 13,9% 16,0% 49,3% 20,9%
2011 185 167 864 429 11,2% 10,2% 52,5% 26,1%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Norte". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 5 de Março de 2014 
  2. António Carvalho da Costa, Corografia portugueza e descripçam topografica do famoso reyno de Portugal, na Off. de Valentim da Costa Deslandes, 1712, pág. 583
  3. Marquês de Ávila e Bolama, "Nova Carta Chorografica de Portugal", composto e impresso na Imprensa Lucas, Lisboa, 1914, pág. 437
  4. Juízo Ordinário de Vila Nova de Lanheses, Arquivo Distrital de Viana do Castelo, 2008
  5. As pirogas 4 e 5 do rio Lima, de Alves, Francisco Rieth, Eric, Lisboa Centro Nacional de Arqueologia Náutica e Subaquática, 2007
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar