Lavagem das mãos

Lavar as mãos (ou lavar as mãos), também conhecido como higienização das mãos, é o ato de limpar as mãos com água e sabão para remover vírus, bactérias/micro-organismos, sujeira, graxa ou outras substâncias nocivas e indesejadas presas às mãos. A secagem das mãos lavadas faz parte do processo, pois as mãos molhadas e úmidas são mais facilmente recontaminadas.[1][2]

Lavagem das mãos com sabão

Se não houver água e sabão disponíveis, pode-se usar um gel desinfetante para as mãos com pelo menos 60% de álcool na água (especificamente, etanol ou álcool isopropílico), a menos que as mãos estejam visivelmente excessivamente sujas ou gordurosas.[3][4]

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda lavar as mãos por pelo menos 20 segundos antes/depois do seguinte:[5][6]

  • Antes e depois de cuidar de qualquer pessoa doente;
  • Antes, durante e depois de preparar os alimentos;
  • Antes de comer;
  • Depois de usar o banheiro (para urinar, defecar, higiene menstrual, etc);
  • Depois de ajudar alguém que acabou de usar o banheiro;
  • Depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar;
  • Depois de tocar em um animal, ração ou resíduo animal;
  • Depois de tocar no lixo;
  • Depois de vir do hospital;
  • Depois do trabalho;
  • Depois de qualquer viagem.

As áreas mais comumente omitidas são o polegar, o pulso, as áreas entre os dedos e sob as unhas. Unhas artificiais e esmaltes lascados podem conter microorganismos. A loção hidratante é frequentemente recomendada para evitar que as mãos sequem; a pele seca pode causar danos à pele, o que pode aumentar o risco de transmissão de infecções.[7]

Quando a lavagem e o desinfetante para as mãos não estão disponíveis, as mãos podem ser limpas com cinzas não contaminadas e água limpa, embora os benefícios e danos sejam incertos para a redução da disseminação de infecções virais ou bacterianas.[8] No entanto, a lavagem frequente das mãos pode causar danos à pele devido ao ressecamento.[9]

Referências

  1. «Show Me the Science – How to Wash Your Hands». www.cdc.gov (em inglês). 4 de março de 2020. Consultado em 6 de março de 2020 
  2. Huang C, Ma W, Stack S (Agosto de 2012). «The hygienic efficacy of different hand-drying methods: a review of the evidence». Mayo Clinic Proceedings. 87: 791–8. PMC 3538484 . PMID 22656243. doi:10.1016/j.mayocp.2012.02.019 
  3. «Coronavirus Disease 2019 (COVID-19)». Centers for Disease Control and Prevention (em inglês). 11 de fevereiro de 2020 
  4. Centers for Disease Control (2 de abril de 2020). «When and How to Wash Your Hands». cdc.gov (em inglês) 
  5. «WHO: How to handwash? With soap and water». YouTube 
  6. «Hand Hygiene: How, Why & When» (PDF). World Health Organization 
  7. Fundamentals of Nursing 2nd ed. Philadelphia: F.A. Davis Co. 2011 
  8. Paludan-Müller AS, Boesen K, Klerings I, Jørgensen KJ, Munkholm K (Abril de 2020). «Hand cleaning with ash for reducing the spread of viral and bacterial infections: a rapid review». The Cochrane Database of Systematic Reviews. 4: CD013597. PMC 7192094 . PMID 32343408. doi:10.1002/14651858.cd013597 
  9. de Almeida e Borges LF, Silva BL, Gontijo Filho PP (Agosto de 2007). «Hand washing: changes in the skin flora». American Journal of Infection Control. 35: 417–20. PMID 17660014. doi:10.1016/j.ajic.2006.07.012