Abrir menu principal
Leny Eversong
Nascimento 1 de setembro de 1920
Santos
Morte 29 de abril de 1984 (63 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação cantora

Leny Eversong (Santos, 1 de setembro de 1920São Paulo, 29 de abril de 1984), nome artístico de Hilda Campos Soares da Silva, foi uma cantora brasileira, especializada em música internacional.[1]

CarreiraEditar

Dona de uma voz poderosa, venceu um concurso de talentos mirins na Rádio Clube de sua cidade natal aos 12 anos. Em 1936 foi para o Rio de Janeiro, onde se apresentou na Rádio Tupi, atuando também em shows no Cassino da Urca e no Copacabana Palace. Voltando a São Paulo em 1937, trabalhou em várias rádios e casas noturnas durante a década seguinte, como a boate Night&Day, no Edifício Martinelli.[2]

Em 1948, apresentou-se na Argentina, como uma cantora americana, a primeira de muitas turnês internacionais, incluindo Venezuela, Cuba, México, Estados Unidos e França.

Criticada no Brasil por só cantar músicas estrangeiras, nos anos 1950 começou a gravar também compositores brasileiros, como Lupicínio Rodrigues, Tom Jobim e Adoniran Barbosa, mantendo no entanto o foco internacional.

Em 1956 começou a se apresentar nos Estados Unidos em shows, principalmente em Las Vegas, onde fez várias temporadas nos famosos cassinos e televisão, culminando com uma participação em 6 de janeiro de 1957 num programa apresentado por Ed Sullivan, onde intercalava suas interpretações com as de um jovem astro do rock chamado Elvis.[3]

nos anos 1960 voltou a São Paulo, trabalhando nas emissoras Record, Excelsior e Tupi, e casas de show, como num memorável show na boate Drink junto com Cauby Peixoto, registrado em disco gravado ao vivo. Participou da montagem da Ópera dos Três Vinténs, de Brecht e de alguns festivais como o Festival de Música Popular Brasileira 1966 na TV Record.Em 1970 voltou ao Rio para um show no Canecão.

Em 1973 afastou-se da vida artística, por motivos pessoais e de saúde. Seu marido, Francisco Luís Campos Soares da Silva (conhecido como Nei) desapareceu misteriosamente e o desgosto, junto ao diabetes e o excesso de peso a prejudicavam. Em 1983 fez uma última participação no programa televisivo "O Show é o limite", de J. Silvestre. Faleceu em 29 de abril de 1984.

BibliografiaEditar

  • AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
  • CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular Edição do autor. Rio de Janeiro, 1965.
  • EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Editora: Instituto Nacional do Livro. Rio de Janeiro, 1982.
  • MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

FilmografiaEditar

  • Leny, a fabulosa - documentário de Ney Inacio, 2015 - 54' -com a foto com Elvis.[4]

Ligações externasEditar

Referências

  1. Leny Eversong: os 80 anos da diva esquecida
  2. CA. «Leny Everson». Dicionário Cravo Albin. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  3. Evelyn Cristine (21 de fevereiro de 2018). «Elvis e o Brasil». Revista Leituras da História Ed. 111. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  4. Ney Inácio (2015). «Leny a fabulosa». Canal Brasil Imprensa. Consultado em 8 de dezembro de 2018