Abrir menu principal

Let's Make Love

filme de 1960 dirigido por George Cukor
Let's Make Love
Vamo-nos amar (PRT)
Adorável Pecadora (BRA)
Yves Montand e Marilyn Monroe em cena no filme
 Estados Unidos
1960 •  cor •  119 min 
Direção George Cukor
Produção Jerry Wald
Roteiro Norman Krasna
Hal Kanter (material adicional)
Arthur Miller (não creditado)
Elenco Marilyn Monroe
Yves Montand
Tony Randall
Frankie Vaughan
Wilfrid Hyde-White
Gênero comédia romântica
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Let's Make Love (br: Adorável Pecadora, pt: Vamo-nos amar) é um filme estadunidense de 1960 dirigido por George Cukor e estrelado por Marilyn Monroe e Yves Montand. Foi produzido por Jerry Wald pelos estúdios da 20th Century Fox. Este foi o penúltimo trabalho completo de Monroe no cinema. Trata-se de adaptação do musical Avenida dos Milhões de 1937.[1]

SinopseEditar

A história gira em torno do bilionário solteirão francês radicado nos Estados Unidos Jean-Marc Clement que é informado que vai ser ridicularizado pela sua fama de mulherengo em uma peça off-Broadway (sósias o interpretarão em um número musical satírico assim como também Maria Callas e Elvis Presley), pelo seu relações públicas Coffman. Ao chegar ao teatro onde ocorre o ensaio, ele vê a sensual Amanda Dell dançando e cantando a música "My Heart Belongs to Daddy" e se apaixona desesperadamente por ela. Antes de se identificar como Clement, porém, um organizador o confunde com um dos candidatos ao papel dele e o bilionário acaba entrando na peça com o nome de Alexander Dumas, com o objetivo de conquistar o coração de Amanda sem que seja pelo seu dinheiro e sim pelo o que ele é. Mas Clement tem a investida fracassada pois Amanda parece estar muito interessada no protagonista da peça, o jovem Tony Danton (na verdade ela o protege pois o rapaz é ex-alcoólico). Achando que deverá agir como o rival para conquistá-la ele resolve que seu papel tenha mais destaque e usa seu dinheiro para isso: compra uma piada de um escritor famoso (Charlie Lamont), contrata Milton Berle para lhe ensinar alguns números cômicos, Bing Crosby para cantar e Gene Kelly para dançar. Como isso também não parece suficiente ele faz com que George, seu braço direito nos negócios, se torne o maior investidor e adquira o controle da produção.

AntecedentesEditar

Let's Make Love foi um filme que ninguém queria fazer, exceto os executivos da 20th Century Fox. Em 1955, Marilyn Monroe assinou um novo contrato com a Fox, exigindo que ela estrelasse quatro filmes nos próximos sete anos, que também lhe permitiu fazer filmes para outros estúdios. Em 1959, ela completou apenas um: Bus Stop, que havia sido lançado em 1956. Enquanto Monroe gravava Some Like It Hot em 1958 (para a United Artists) seu marido, Arthur Miller, completou o roteiro de The Misfits (1961), que seria então seu próximo filme. Some Like It Hot foi lançado em março de 1959 e se tornou um enorme sucesso. Os críticos elogiaram a comédia e a performance de Marilyn. Esperando capitalizar isso, a 20th Century Fox exigiu que ela cumprisse seu contrato. Sendo assim, Os Desajustados foi adiado, e Marilyn foi escalada pelo estúdio para estrelar o que foi então intitulado The Billionaire (título provisório de Let's Make Love).

O roteiro original foi escrito pelo vencedor do Oscar Norman Krasna. Miller reescreveu e ampliou o papel de "Amanda" dando mais ênfase no seu personagem (embora ele não tenha recebido crédito). Depois de Gregory Peck recusar o papel de "Jean-Marc Clement",[2] seu personagem foi então oferecido a Rock Hudson, Cary Grant e Charlton Heston, os quais recusaram. Eventualmente foi oferecido a Yves Montand, que apareceu em uma versão cinematográfica francesa de As Virgens de Salem (1957), de Miller, e que havia recebido elogios por seu recente show musical em Nova York. O título do filme foi então alterado para Let's Make Lovee (Adorável Pecadora, no Brasil). A produção começou em janeiro de 1960, com George Cukor como diretor, mas foi interrompida devido a uma greve do Sindicato de Atores e Roteiristas dos EUA, que decorreu de 7 março a 18 de abril daquele ano.[3]

Em março de 1960, Monroe recebeu o Globo de Ouro de Melhor Atriz - Musical ou Comédia, consolidando ainda mais o sucesso de Some Like It Hot.[4] A esposa de Montand, Simone Signoret, com quem ele estrelou a versão francesa de As Virgens de Salem, ganhou o Oscar de Melhor Atriz por seu papel em Almas em Leilão em abril daquele ano.[5]

Elenco principalEditar

 
Marilyn Monroe com Frankie Vaughn

Números musicaisEditar

  • "Let's Make Love" (Sammy Cahn e Jimmy Van Heusen) - cantado por Marilyn Monroe e coro,depois por Marilyn Monroe com Frankie Vaughan e novamente com Yves Montand.
  • "My Heart Belongs to Daddy" (Cole Porter) - cantado por Marilyn Monroe
  • "Give Me the Simple Life" (Rube Bloom e Harry Ruby) - (parodia) cantado por Frankie Vaughan
  • "Crazy Eyes" (Cahn e Van Heusen) - cantado por Frankie Vaughan
  • "Specialization" (Cahn e Van Heusen) - cantado por Marilyn Monroe e Frankie Vaughan
  • "Incurably Romantic" (Cahn e Van Heusen) - cantado por Bing Crosby e Yves Montand, por Marilyn Monroe e Montand e novamente por Marilyn Monroe e Frankie Vaughan.

RecepçãoEditar

Marilyn Monroe vinha de vários sucessos de crítica e público como Bus Stop (1956), The Prince and the Showgirl (1957) e Some Like It Hot (1959) mas nessa produção que ela fez por pressão da Twentieth Century Fox que a mantinha em contrato, o retorno financeiro não foi tão bom (renda de apenas 4 milhões e meio de dólares). As filmagens foram ainda complicadas pelo caso romântico de Marilyn com Montand, sendo que na época estavam casados respectivamente com o dramaturgo Arthur Miller e a atriz Simone Signoret.

IndicaçõesEditar

  • Oscar
    • Melhor trilha musical: Lionel Newman e Earle H. Hagen
  • BAFTA
    • Melhor Filme - George Cukor
    • Melhor ator estrangeiro - Yves Montand
  • Golden Globe
    • Melhor musical/comédia.

Referências

  1. «Adorável Pecadora (1960)|Rubens Ewald Filho». UOL Cinema. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  2. «LET'S MAKE LOVE» (em inglês). TCM.com. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  3. «"Let's Make Love" (1960)». American Film Institute. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  4. The Hollywood Foreign Press Association. «Some Like It Hot». goldenglobes.com/. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  5. American Academy of Arts and Sciences. «Simone Signoret Academy Awards Acceptance Speech». oscars.org/. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 

Ligações externasEditar