Abrir menu principal
Lizzy Mercier Descloux
Informação geral
Nome completo Martine-Elisabeth Mercier Descloux
Nascimento 16 de dezembro de 1956
Local de nascimento Paris
 França
Morte 20 de abril de 2004 (47 anos)
Gênero(s) no wave, post punk, coldwave
Ocupação(ões) músico, compositor
Instrumento(s) Vocal, guitarra.
Outras ocupações escritor, poeta
Gravadora(s) ZE Records, Island Records

Lizzy Mercier Descloux Martine (nascida Martine-Elisabeth Mercier Descloux, Paris, 16 de dezembro de 1956 - Saint-Florent, Córsega, 20 de abril de 2004) foi uma cantora e compositora francesa, pioneira no gênero worldbeat, assim como um escritora e pintora.

Índice

BiografiaEditar

Ela cresceu em Lyon, mas retornou a Paris quando adolescente para frequentar a escola de arte. Com seu parceiro, Michel Esteban, ela ajudou a criar o arquivo de Harry Cover, templo do movimento punk na França, e a revista de new wave Rock News. Tornou-se amiga de Patti Smith e Richard Hell ao visitar Nova York em 1975, e ambos contribuíram para seu primeiro livro, Desiderata. Ela e Esteban mudaram-se para Nova York em 1977, onde, com Zilkha Michael, Esteban fundou a ZE Records.[1]

Com o D.J. e guitarrista, Barnes, Mercier Descloux formou o do duo artístico e de performance Rosa Yemen, com o qual gravou um mini-álbum homônimo para ZE Records, em 1978. No ano seguinte, a ZE lançou seu primeiro LP solo, Press Color. Autodidata como guitarrista, ela revelou-se como uma suprema minimalista gênero No wave, concentrando-se em finas linhas de uma única nota, combinada com a harmonias e ritmos funky. Embora o registro tenha sido de poucas vendas, por causa dele Descloux viajou aos Estados Unidos e Europa.[1]

O Chefe da Island Records, Chris Blackwell financiou as sessões nas Bahamas para o seu segundo álbum, Mambo Nassau, com o engenheiro de som Steven Stanley e tecladista Wally Badarou co-escrevendo e produzindo. O álbum foi fortemente influenciado pela música africana, bem como art rock, funk e soul. Embora novamente não bem sucedido nos Estados Unidos, rendeu-lhe um contrato com a CBS, na França.[2]

Voltando à França, ela lançou dois singles antes de viajar pela da África, com base na música de Soweto para as contagiantes "Mais où Sont Passées les Gazelles ?" ( "Mas onde é que as gazelas foram?"), sucesso na França, em 1984, e do premiado álbum de mesmo título, com o produtor Adam Kidron, Com quem ela, em seguida, gravou "One for the Soul" (1986) no Brasil, com o trompetista de jazz Chet Baker, E "Suspense" (1988) em Londres com o músico britânico Mark Cunningham, da banda Mars. Ela também atuou, compois trilhas sonoras para filmes, e escreveu poesia.

Em meados dos anos 1990, ela se mudou para a Córsega e se dedicou à pintura e à escrita de um romance inédito. Em 2003, ela foi diagnosticada com câncer, e morreu no ano seguinte.

DiscografiaEditar

ÁlbunsEditar

Referências

  1. a b «ZE Records: Lizzy Mercier Descloux biography». Consultado em 29 de março de 2010. Arquivado do original em 7 de maio de 2006 
  2. Artist Direct: Lizzy Mercier Descloux

Ligações externasEditar