Abrir menu principal

Wikipédia β

Lyon

cidade na França
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Lyon (desambiguação).
Lião ou Lyon

Ville de Lyon

—  Comuna francesa França  —
Lião
Lião
Bandeira de Lião ou Lyon
Bandeira
Brasão de armas de Lião ou Lyon
Brasão de armas
Lema: Avant, avant, Lion le melhor
Lião ou Lyon está localizado em: França
Lião ou Lyon
Localização de Lião ou Lyon na França
Coordenadas 45° 46' N 4° 50' E
País  França
Região Blason Auvergne-Rhône-Alpes.svg Auvérnia-Ródano-Alpes
Administração
 - Prefeito Georges Képénékian
Área
 - Total 47,95 km²
População (2010) [1]
 - Total 491 268
    • Densidade 10 245,4 hab./km²
Código Postal 69001 – 69009
Código INSEE 69123
Sítio www.lyon.fr

Lião,[2] ou Lion (em francês: Lyon) é a terceira maior cidade da França. Está localizada na parte central do leste do país na confluência dos rios Ródano e Saône,[3] a cerca de 470 km a sul de Paris, 320 km ao norte de Marselha e 55 km a leste de Saint-Étienne. Os habitantes da cidade são chamados de lyonnais.

Lyon tinha uma população de 513 275 habitantes em 2015.[4] É a capital da Metrópole de Lyon e da região de Auvergne-Rhône-Alpes. A área metropolitana de Lyon tinha uma população de 2.265.375 pessoas em 2014, a segunda maior área urbana da França. A cidade é conhecida por sua gastronomia e marcos históricos e arquitetônicos; parte dela é registrada como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Lyon era historicamente uma área importante para a produção e tecelagem da seda. A cidade desempenhou um papel significativo na história do cinema: é onde Auguste e Louis Lumière inventaram o cinematógrafo. Também é conhecida pelo seu festival de luz, o Fête des Lumières, que começa a cada 8 de dezembro e dura quatro dias, o que fez com que a cidade ganhasse o apelido de "Capital das Luzes".

Economicamente, Lyon é um importante centro financeiro, bem como para as indústrias química, farmacêutica e biotecnológica. A cidade contém uma importante indústria de software com foco especial em videogames e, nos últimos anos, promoveu um crescente setor de startups local.[5] A cidade é sede da sede internacional da Interpol, da Euronews e da Agência Internacional de Pesquisa em Câncer. Em 2014, Lyon ficou em 19º nível mundial e segundo na França pela inovação.[6] Ela ficou em segundo lugar na França e 39º na classificação das Cidades Mais Habitáveis do Mundo em 2015.

Índice

HistóriaEditar

AntiguidadeEditar

Lyon foi fundada sobre a colina Fourvière como uma colônia romana em 43 a.C. por Munatius Plancus, um tenente de Júlio César, num assentamento de uma colina gaulesa chamada Lug [o] dunon, do deus celta Lugus ("Luz", do velho irlandês Lugh, irlandês moderno ) e dúnon ("colina" ou "forte"). Lyon foi primeiramente denominada Lugduno significado de "monte de luzes" ou "o monte de corvos". Lug foi igualado pelos romanos a Mercúrio.[carece de fontes?]

Agripa reconheceu que a posição de Lyon na rota natural do norte para o sudeste da França tornou uma natural via a esta cidade e a fez o ponto de encontro das principais estradas de toda Gália romana. Ela então se tornou a capital da Gália, em parte graças à sua localização conveniente na convergência dos dois rios navegáveis, e rapidamente se tornou a principal cidade de Gália. Dois imperadores nasceram nesta cidade: Cláudio e Caracala. Hoje, o arcebispo de Lyon ainda é referido como "le Primat des Gaules" a cidade e muitas vezes referida como a "capital des Gaules".[carece de fontes?]

Os cristãos em Lyon foram perseguidos por causa da sua religião sob os reinados dos vários imperadores romanos, mais notadamente Marco Aurélio e Septímio Severo. Santos locais a partir deste período incluem Blandina, Potino e Epipódio, entre outros. O grande bispo cristão de Lyon, no século II foi Ireneu de Lyon. Borgonheses refugiados da destruição de Worms pelos Hunos, em 437 foram reinstalados pelo comandante militar do Oeste, Flávio Aécio, em Lyon, que foi formalmente a capital do novo reino borgonhês em 461.[carece de fontes?]

Em 843, pelo Tratado de Verdun, Lyon, com o território além do Saône, foi para Lotário I, e mais tarde tornou-se uma parte do reino de Arles. Lyon só tornou-se parter do Reino de França no século XIV.[carece de fontes?]

Era contemporâneaEditar

 
Lyon durante um cerco em 1793

Fernand Braudel observou que historiadores de Lyon não estão suficientemente conscientes da bi-polaridade entre Paris e Lyon, que é uma estrutura em constante desenvolvimento francês nos finais da Idade Média para a Revolução Industrial.[7] As feiras em Lyon, a invenção do mercado italiano, tornaram o countinghouse econômico da França no final dos século XV. Quando o banco internacional se mudou para Gênova e, em seguida, Amesterdão, Lyon simplesmente se tornou o centro bancário da França e seu novo bourse (tesouraria), construído em 1749, e ainda um bazar público semelhante onde contas eram liquidadas ao ar livre. Durante o Renascimento, a cidade desenvolveu com o comércio da seda, especialmente com a Itália, a influência italiana sob a arquitetura de Lyon ainda pode ser vista. Graças ao comércio da seda, Lyon se tornou uma importante cidade industrial no século XIX.[carece de fontes?]

Durante a Revolução Francesa, Lyon opôs-se à Convenção e apoiou os girondinos. Em 1793, a cidade esteve sob cerco durante mais de dois meses, agredido pelo exército revolucionário, antes de finalmente se render. Mais de 2 000 pessoas[carece de fontes?] foram executadas e vários edifícios foram destruídos, especialmente em torno da Place Bellecour. Uma década mais tarde, o próprio Napoleão ordenou a reconstrução de todos os edifícios demolidos durante este período.[carece de fontes?]

Os trabalhadores da seda de Lyon, conhecidos como canuts, encenaram dois grandes levantes: em 1831 e 1834. A revolta de 1831 viu uma das primeiras utilizações registradas da cor preta como um símbolo de protesto. A primeira ferrovia funicular do mundo foi construída entre Lyon e La Croix-Rousse, em 1862.[carece de fontes?]

Lyon foi um centro de forças de ocupação alemã, e também um reduto de resistência durante a Segunda Guerra Mundial, e agora a cidade é sede de um museu da resistência. Os traboules, ou passagens secretas, através das casas permitiu à população local fugir da Gestapo. Foi nessa cidade também que nasceu Allan Kardec o codificador do Espiritismo.[carece de fontes?]

GeografiaEditar

 
Vista aérea de Lyon

Situada na junção dos rios Ródano e Saône, a cidade é dominada por duas colinas, Fourvière e Croix-Rousse, separadas pelo Saône. No século XIX, Jules Michele atribuiu as designações de "colina que reza" a Fourvière, por abrigar a basílica de Notre-Dame de Fourvière, vários conventos e o sede do bispado, e de "colina que trabalha" a Croix-Rousse, onde morava a maioria dos operários que trabalhavam na tecelagem (particularmente da seda), indústria principal da cidade nessa época. Podemos incluir uma terceira colina, mais recente: La Duchère a nordeste da cidade, que se encontra actualmente em reestruturação.

Podem encontrar-se nos bairros do Vieux Lyon e da Croix-Rousse várias passagens no interior dos prédios, chamados traboules que permitem passar de uma rua a outra. Na península entre os dois rios encontra-se a praça Bellecour, uma das maiores praças pedestres da Europa, no centro da qual se destaca a estátua equestre de Luís XIV. A cidade estende-se ainda ao longo da margem esquerda do Ródano em direcção ao Dauphiné. Para lá do Ródano, a Este, estende-se a planície urbanizada segundo um plano ortogonal nos bairros de Brotteaux e de Part-Dieu.

ClimaEditar

Meses Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperaturas minimas médias (°C) -0,4 1,0 2,8 5,5 9,3 12,6 15,0 14,4 11,7 8,2 3,4 0,4 7,0
Temperaturas médias (°C) 2,6 4,5 7,2 10,3 14,3 17,9 20,8 20,0 17,1 12,5 6,7 3,2 11,4
Temperaturas maximas médias (°C) 5,7 8,1 11,6 15,2 19,4 23,2 26,6 25,6 22,4 16,8 10,1 5,9 15,9
Médias mensais de precipitação (mm) 54,1 54,5 62,9 67,8 86,0 76,6 60,6 76,7 75,2 79,5 71,4 59,2 68,73

DemografiaEditar

A população da cidade de Lyon propriamente dita era 491.268 no censo de janeiro de 2011,[4] 14% dos quais nasceram fora da França metropolitana.[8]

Panorama da cidade de Lyon a partir de Fourvière.

PolíticaEditar

EconomiaEditar

 
La Part-Dieu, o centro financeiro de Lyon

O produto interno bruto (PIB) de Lyon foi de 74 bilhões de euros em 2012 e é a segunda cidade mais rica da França, depois de Paris. Lyon e sua região Rhône-Alpes representam uma das economias mais importantes da Europa e, segundo a Universidade de Loughborough, podem ser comparadas com a Filadélfia, Mumbai ou Atenas em relação à sua posição internacional.[9]

A cidade de Lyon está trabalhando em parceria para permitir a criação de novas indústrias de alta tecnologia, como biotecnologia, desenvolvimento de software, videogames (Arkane Studios, Ivory Tower, Eden Games, EA France, Bandai Namco Entertainment Europe) e serviços de internet também estão crescendo. Outros setores importantes incluem pesquisa e tecnologia médica, instituições sem fins lucrativos e universidades. Lyon é o lar do laboratório P4-Inserm-ean Merieux que realiza pesquisa de vacinas de alto nível.[10]

A cidade é sede da sede de muitas grandes empresas, como Groupe SEB, Sanofi Pasteur, Renault Trucks, Norbert Dentressangle, Le Crédit Lyonnais, Merial, BioMérieux, Iveco Bus, Compagnie Nationale du Rhône, Boiron, Babolat, Euronews, Aeroportos de Lyon, LVL Medical e agências intergovernamentais, como Agência Internacional de Pesquisa em Câncer e a Interpol. A especialização de alguns setores de atividades levou à criação de muitos dos principais centros de negócios: La Part-Dieu, localizado no 3º arrondissement, é o segundo maior centro financeiro do país após La Défense, em Paris, com mais de 1.600.000 m² de espaços de escritórios e serviços e mais de 55 mil empregados.[11]

InfraestruturaEditar

TransportesEditar

O Saint-Exupéry International Airport está situado a 20 km (12 milhas) ao leste de Lyon, e serve como uma base para voos regionais e internacionais. Ele também está diretamente ligado à rede de TGV com a sua própria estação Gare de Lyon Saint-Exupéry. O Aéroport de Lyon-Bron é um pequeno aeroporto local a leste do centro da cidade. É reservado para os negócios.[carece de fontes?]

Lyon está ligada ao norte (Lille, Paris, Bruxelas, e no futuro Amesterdão) e ao sul (Marselha, Montpellier, e no futuro Barcelona), pelo TGV. Foi a primeira cidade a ser ligado a Paris pelo TGV em 1981.[carece de fontes?]

Lyon tem duas grandes estações ferroviárias: Lyon Part-Dieu, que foi construído para acomodar o TGV e se tornou a principal estação ferroviária de comboios extra-regionais; e Lyon Perrache, que é uma antiga estação que agora serve essencialmente serviços ferroviários regionais. Na prática, muitos comboios, incluindo TGVs, servem ambas estações. Pequenas estações ferroviárias incluem Gorge Loup, Vaise, Vénissieux, e St-Paul.[carece de fontes?]

A cidade fica no coração de uma densa rede de estradas e está localizada no ponto de encontro de várias rodovias: A6 (para Paris), A7 (de Marselha), A42 (de Genebra), A43 (em Grenoble). A cidade também é servida pela A46.[carece de fontes?]

Lyon é servido pela Organização Eurolines de autocarros interurbanos. Seu terminal está localizado na estação ferroviária da cidade de Perrache, que serve como uma plataforma intermodal de transporte que também inclui eléctricos, comboios e autocarros locais e regionais, a estação terminal de metro linha A, o serviço de bicicletas Vélo'v, táxis, e de alta velocidade dos comboios TGV.[carece de fontes?]

CulturaEditar

  Sítio Histórico de Lião *
Património Mundial da UNESCO

 
Basília de Notre-Dame de Lyon
País   França
Tipo Cultural
Critérios ii, iv
Referência 872 en fr es
Região** Europa e América do Norte
Coordenadas 45° 45' 35" N 4° 50' 32" E
Histórico de inscrição
Inscrição 1998  (22ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Patrimônio mundialEditar

O centro histórico de Lyon foi designado Património Mundial pela UNESCO em 1998. Na sua designação, a UNESCO citou o "testemunho excepcional da continuidade do assentamento urbano há mais de dois milênios em um local de grande importância comercial e estratégica".[12] As regiões específicas que compõem o centro histórico incluem o distrito romano e Fourvière, o bairro renascentista (Vieux Lyon), o distrito da seda (encostas de Croix-Rousse) e a Presqu'île, que apresenta arquitetura do século XII aos tempos modernos.[13] Tanto o Vieux Lyon como as encostas de Croix-Rousse são conhecidos por suas passagens estreitas (denominadas traboules) que passam por edifícios e ligam ruas de cada lado. Acredita-se que os primeiros exemplos de traboules tenham sido construídos em Lyon no século IV.[14]

EsportesEditar

Lyon é o lar do clube de futebol Olympique Lyonnais (OL), cuja equipe masculina joga na Ligue 1 e ganhou o campeonato dessa competição sete vezes, todos consecutivamente, de 2002 a 2008).[15] O OL jogou até dezembro de 2015 no Stade de Gerland, de 43.400 lugares, que também recebeu partidas da Copa do Mundo FIFA de 1998. Desde 2016, a equipe joga no Parc Olympique Lyonnais, um estádio de 59.000 lugares localizado no subúrbio oriental de Décines-Charpieu.[16]

Lyon tem uma equipe de rugby, Lyon OU, no Top 14, que se mudou para o Stade de Gerland em tempo integral na temporada 2017-18. Além disso, a cidade tem um time de rugby league chamado Lyon Villeurbanne, que joga no Campeonato Francês da Rugby League. A casa do clube é o Stade Georges Lyvet em Villeurbanne.

Lyon também abriga o Lyon Hockey Club, uma equipe de hóquei no gelo que compete na liga nacional da França. O Patinoire Charlemagne é a sede do Club des Sports de Glace de Lyon, o clube dos campeões olímpicos de dança do gelo Marina Anissina e Gwendal Peizerat e dos campeões mundiais Isabelle Delobel e Olivier Shoenfelder.[17] Villeurbanne também tem uma equipe de basquete, a ASVEL, que joga na arena Astroballe.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Populations légales des communes en vigueur au 1er janvier 2013». www.insee.fr (em francês). INSEE. Dezembro de 2012. Consultado em 3 de abril de 2013 
  2. Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 
  3. Granger, Bill (14 de junho de 1987). «What´s In A Name? Well, Excuuuuse Us, Nueva York, But We Shakawgoans Know». Chicago Tribune. Consultado em 1 de outubro de 2015 
  4. a b «Séries historiques des résultats du recensement – Commune de Lyon (69123)». INSEE 
  5. «Lyon entrepreneurship, Lyon company, Invest Lyon – Greater Lyon». Business.greaterlyon.com. Consultado em 3 de abril de 2011. Arquivado do original em 8 de março de 2010 
  6. «Innovation Cities Top 100 Index, 2014». Innovation Cities Program. 18 de outubro de 2011. Consultado em 31 de julho de 2015 
  7. Braudel 1984 p. 327
  8. «Le nouveau profil de la population active immigrée». Institut national de la statistique et des études économiques 
  9. www.lyon-business.org. «Chiffres-clés Lyon & sa région» (PDF) (em french) 
  10. «Le laboratoire P4, ménagerie virale». Le Monde. France. Consultado em 8 de julho de 2009. Arquivado do original em 6 de junho de 2009 
  11. «Official site of Lyon». Grandlyon.com. Consultado em 3 de abril de 2011. Arquivado do original em 24 de abril de 2010 
  12. «Historic Site of Lyons». unesco.org. UNESCO World Heritage Center. Consultado em 31 de julho de 2015 
  13. UNESCO World Heritage Site Arquivado em 18 de julho de 2011 no Wayback Machine.
  14. Perret, Aurelie. «Les traboules de Lyon». histoire-pour-tous.fr. SF Webmedia. Consultado em 31 de julho de 2015 
  15. «Avant d'être une compétition, le Trophée des champions est une vitrine pour la Ligue 1». webfootballclub.fr. Web Football Club. Consultado em 31 de julho de 2015. Arquivado do original em 31 de julho de 2015 
  16. Joly, Maxime. «Le Grand Stade de Lyon pourrait rapporter 70 millions d'euros par an à l'OL». lefigaro.fr. Le Figaro. Consultado em 31 de julho de 2015 
  17. «Lyon 2e : 60 ans de sport de glace». leprogres.fr. Le Progres. Consultado em 31 de julho de 2015 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lyon
O Wikivoyage possui o guia Lyon
  Na cidade Lyon há um sítio Centro Histórico, Património Mundial da UNESCO.