Lope Díaz II de Haro

Lope Díaz II de Haro "Cabeça Brava" (c. 117015 de novembro de 1236), filho de Diego Lopes II de Harosenhor da Biscaia e de Maria Manrique de Lara de Manrique Perez de Lara, 1.º senhor de Molina e visconde de Narbona, e de Ermesenda de Narbona, senhora deNarbona, foi o 6.º senhor da Biscaia entre 1214 e 1236.

Antigo brasão da casa de Haro, titulares do Senhorio de Biscaia entre os séculos XI e XIV. A sua composição foi herdada por numerosos municípios da Biscaia.

Combateu com o seu pai na Batalha de Navas de Tolosa em 1212 debaixo do comando do rei Afonso VIII de Castela. Esteve à frente dos destinos da Biscaia numa altura conturbada. A sua subida ao poder aconteceu com a morte de seu pai em 16 de outubro de 1214, por cuencidência poucos dias depois da morte do rei Afonso VIII de Castela, que deixou como herdeiro do trono o seu filho de apenas 10 anos, Henrique I de Castela (1204 - 1217).

Devido a estes acontecimentos a família de Lara tomou o poder ao controlar a regência da coroa, travando-se de rações com Berengária de Castela, irmã de Henrique I de Castela e a quem Lope deu o seu apoio.

Em 1217 Henrique I de Castela morre por acidente, o que leva ao trono a sua irmã Berenguela I de Castela que apoioada por vários nobres, entre os quais Lope Dias II de Haro, delega o trono ao seu filho Fernando III de Castela que foi quase de imediato coroado em Nájera. Afonso IX de Leão pai de Fernando III, não se conforma com o proclamação do filho como rei de Castela dá inico a combates um pouco por todo o país.

Durante estes acontecimentos Álvar Núñez de Lara apodera-se de Nájera, sendo no entanto derrotado e feito presioneiro por Lope Díaz II de Haro. A poio dado por Lope Díaz ao rei Fernando III foi premiado com o cargo de Alferes Maior de Castela, e casado com D. Urraca Afonso de Leão, irmã do rei.

Recebeu a doação da Vila de Haro e da Vila de Pedroso com confirmação. Participou com muitas guerras em apoio de Fernando III, como foi o caso das expedições contra os mouros da Andaluzia, sendo a mais importante a Tomada de Baeza ocorrida em 1227 o que o levou a receber o título de conquistador de Baeza.

Quando o bispo de Calahorra quis exigir directos das igrejas sujeitas ao Mosteiro de San Millán de la Cogolla, deu início a conflitos que só terminaram com a sua transferência em 1232 da diocese para Santo Domingo de la Calzada, facto que causou ainda mais discórdias, até que em 1235 Lope Díaz expulsou o bispo que foi para Roma, tendo a diocese voltado Calahorra.

Foi fundador de Plencia e encontra-se enterrado no Mosteiro de Santa María la Real de Nájera.

Matrimómio e descêndenciaEditar

Casou por duas vezes, a primeira em 1230 com Urraca Afonso de Leão, filha do rei Afonso IX de Leão e de Inês Iñiguez de Mendoza, de quem teve:

Fora do casamento e com Toda de Santa Gadea, senhora de origem nobre da linhagem de os Salcedos, teve:

  • Diego Lopes de Salcedo (morto depois de 1275), casado com Teresa Alvarez de Lara, filha ilegítima do Alvar Fernandes de Lara.

Teve outro filho de mai desconocida:

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em castelhano, cujo título é «Lope Díaz II de Haro», especificamente desta versão.
  • Ansón Oliart, Francisco (1998). Fernando III, rey de Castilla y León. Madrid: Ediciones Palabra S. A.. ISBN 84-8239-233-6.
  • Del Arco y Garay, Ricardo (1954). Instituto Jerónimo Zurita. Consejo Superior de Investigaciones Científicas. (ed.). Sepulcros de la Casa Real de Castilla.
  • Eslava Galán, Juan (1987). «La campaña de 1225 y el primer cerco de Jaén por Fernando III» Boletín del Instituto de Estudios Giennenses. n.º 132. pp. 23-38. Jaén: Instituto de Estudios Giennenses. ISSN 0561-3590. Consultado el 26 de febrero de 2010.
  • González González, Julio (2006). Consejo Superior de Investigaciones Científicas. Instituto Jerónimo Zurita (ed.). Las conquistas de Fernando III en Andalucía, Edición Facsímil, Valladolid: Editorial Maxtor. ISBN 84-9761-277-9.