Lourosa (Santa Maria da Feira)

cidade e freguesia do município de Santa Maria da Feira, Portugal

Lourosa é uma cidade e freguesia portuguesa do município de Santa Maria da Feira, com 5,77 km² de área[1] e 8003 habitantes (censo de 2021)[2]. A sua densidade populacional é 1 387 hab./km².

Portugal Portugal Lourosa 
  Freguesia  
Gentílico lourosense
Localização
Localização no município de Santa Maria da Feira
Localização no município de Santa Maria da Feira
Localização no município de Santa Maria da Feira
Lourosa está localizado em: Portugal Continental
Lourosa
Localização de Lourosa em Portugal
Coordenadas 40° 59' N 8° 33' O
Região Norte
Sub-região Área Metropolitana do Porto
Distrito Aveiro
Município Santa Maria da Feira
Código 010913
História
Elevação a cidade 19 de abril de 2001
Administração
Tipo Junta de freguesia
Características geográficas
Área total 5,77 km²
População total (2021) 8 003 hab.
Densidade 1 387 hab./km²
Código postal 4535 Lourosa
Outras informações
Orago São Tiago
Sítio Junta de Freguesia de Lourosa

Geografia editar

A freguesia de Lourosa confina a norte com as freguesias de Mozelos e Argoncilhe, a Sul com a de S. João de Vêr, a este com a de Fiães e a oeste com a de Lamas.

A freguesia de Lourosa é constituída por vinte e um lugares: Aldeia Nova, Aldeiro, Além, Azenha, Boco, Cadinha, Casalinho, Casalmeão, Casas, Espinheira, Giestal, Igreja, Lavoura, Lourosa, Lourozela, Monte, Paço, Ribeira, Vendas de Baixo, Vendas Novas e Vila Verde.

História editar

O documento mais antigo que faz referência a Lourosa é datado de 1009 ("Laurosa"), por isso, depreende-se que Lourosa é anterior à formação e organização de Portugal. Lourosa é novamente referênciada em documentos de 1155, 1234, e 1251.[3]

Em 25 de setembro de 1985 a povoação de Lourosa foi elevada à categoria de vila, e em 19 de Abril de 2001 elevada a cidade.

Quanto à origem do topónimo Lourosa, existem duas versões populares, idênticas.

Uma das versões atribui o nome à junção de louro, que havia em abundância no local, mais Rosa, o nome de uma linda rapariga que ali vivia. Com o passar dos anos ter-se-à dado a fusão e surgido Lourosa.

Outra lenda etiológica, também de cariz popular e de transmissão oral, explica o nome, como advindo de uma planta: o loureiro, dado existirem muitos na região. Também assim se explique o seu nome de outrora, "Laurosa", que deriva do termo latino românico "laurus" e, cujo significado, é precisamente louro; loureiro.

Lourosa conta com uma igreja situada no arraial e uma capela situada no largo da Feira dos Dez. Como pontos mais atractivos, pode-se visitar o Parque da Cidade na Encosta d'Além, o Zoo de Lourosa ou o largo da Feira dos Dez.

Lourosa é conhecida actualmente como a cidade dos três "C": Cidade Capital da Cortiça, devido à forte presença da indústria da cortiça.

Demografia editar

A população registada nos censos foi:[2]

População da freguesia de Lourosa[4]
AnoPop.±%
1864 1 328—    
1878 1 595+20.1%
1890 1 762+10.5%
1900 1 936+9.9%
1911 2 276+17.6%
1920 2 341+2.9%
1930 2 775+18.5%
1940 3 448+24.3%
1950 4 079+18.3%
1960 5 724+40.3%
1970 7 384+29.0%
1981 8 288+12.2%
1991 8 113−2.1%
2001 9 204+13.4%
2011 8 636−6.2%
2021 8 003−7.3%
Distribuição da População por Grupos Etários[5]
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 1697 1297 5289 921
2011 1235 1027 5012 1362
2021 854 861 4452 1836

Património editar

  • Igreja Matriz de São Tiago
  • Capela de São Miguel e de Santa Luzia (Capela da Feira dos Dez)
  • Capela das Almas
  • Troço de calçada romana
  • Avenida das Cruzes - Calvário
  • Antiga residência paroquial
  • Edifício da Escola d D. Margarida Granja
  • Parque Ornitológico de Lourosa

Desporto editar

Clubes
Equipamentos
  • Estádio do Lusitânia
  • Academia Forte Paixão - Lusitânia de Lourosa
  • Pavilhão Gimnodesportivo
  • Pista de Atletismo
  • Piscina Municipal- pólo de Lourosa
  • Circuitos de manutenção no parque da cidade

Cultura e Lazer editar

  • Biblioteca Municipal- pólo de Lourosa
  • Casa da Cultura
  • Festival da Juventude- realizado anualmente em Setembro.
  • Parque da Cidade (Encosta d´Além)
  • Zoo de Lourosa - Parque Ornitológico
  • Festa em Honra a São Miguel e Santa Luzia ( 29 de setembro )
  • Festa em Honra a Nossa Senhora da Saúde, São Tiago e Santo António (15 de agosto)
Associações
  • Associação Aliança da Família Cadete
  • Associação Columbófila de Lourosa
  • Associação Desportiva e Cultural dos B.V.L.
  • Associação Peles Vermelhas
  • Alfaia Viva
  • Cavaquinhos de Lourosa
  • Centro Cultural "Os Vilaverdenses"
  • Centro C. R. "Os Malmequeres de Lourosa"
  • Clube Columbófilo Vilaverdense
  • Fanfarra de Lourosa
  • Gabinete da Juventude
  • Grupo Cénico
  • Grupo Cultural e Recreativo "Os Cortiçeiros"
  • Grupo de Caçadores de Lourosa
  • Grupo Solidariedade
  • Grupo Recr. de Intervenção da Lourocoop
  • Os Protectores do Ambiente
  • Sociedade Columbófila do Fundo da Feira
  • Associação Desportiva Lourosa Em Movimento

O cerco de 1964 editar

O Cerco a Lourosa aconteceu no dia 14 de Outubro de 1964, na então aldeia de Lourosa, da Vila da Feira, quando a Igreja decide transferir o padre Damião. A população descontente, faz vigias durante vários dias à porta da igreja, reclamando «Damião é nosso!».

Perante tamanha contestação do povo, em pleno estado novo, Salazar envia jipes com centenas de militares da GNR armados que cercaram a aldeia, matando duas jovens e ferindo mais vinte pessoas.[6][7]

Referências

  1. «Carta Administrativa Oficial de Portugal CAOP 2013». descarrega ficheiro zip/Excel. IGP Instituto Geográfico Português. Consultado em 10 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 9 de dezembro de 2013 
  2. a b Instituto Nacional de Estatística (23 de novembro de 2022). «Censos 2021 - resultados definitivos» 
  3. lourosa.no.sapo.pt/historia
  4. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  5. INE. «Censos 2011». Consultado em 11 de dezembro de 2022 
  6. «Espetáculo recria cerco dos militares a Lourosa». TSF. Consultado em 3 de abril de 2017 
  7. «É o povo que contará a história da aldeia que se uniu pelo seu padre». Público (jornal). Consultado em 3 de abril de 2017 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.