Abrir menu principal
Loving Vincent
A Paixão de Van Gogh (PRT)
Com Amor, Van Gogh (BRA)
 Reino Unido ·  Polónia
2017 •  cor •  95 min 
Direção Dorota Kobiela
Hugh Welchman
Produção Hugh Welchman
Ivan Mactaggart
Sean Bobbitt
Produção executiva Dave Neustadter
Walter Hamada
Richard Brener
Toby Emmerich
Marty P. Ewing
Doug Davison
Jon Silk
Niija Kuykendall
Roteiro Dorota Kobiela
Hugh Welchman
Jacek Dehnel
Baseado em Vincent van Gogh (quadros)
Elenco Douglas Booth
Jerome Flynn
Saoirse Ronan
Helen McCrory
Chris O'Dowd
John Sessions
Eleanor Tomlinson
Aidan Turner
Gênero filme de animação
filme biográfico
Música Clint Mansell
Cinematografia Tristan Oliver
Direção de arte Daniela Faggio
Figurino Dorota Roqueplo
Edição Dorota Kobiela
Justyna Wierszynska
Companhia(s) produtora(s) BreakThru Productions Trademark Films
Distribuição Good Deed Entertainment (USA)
Lançamento Reino Unido 13 de outubro de 2017
Brasil 16 de novembro de 2017
Estados Unidos 22 de setembro de 2017
Portugal 19 de outubro de 2017
Idioma língua inglesa
Orçamento US$ 8,5 milhões
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Loving Vincent (prt: A Paixão de Van Gogh; bra: Com Amor, Van Gogh) é um filme biográfico de animação, o primeiro totalmente pintado. Ele conta a história do pintor Vincent van Gogh e foi escrito e dirigido por Dorota Kobiela e Hugh Welchman. Foi produzido por Hugh Welchman e Sean Bobbitt de BreakThru Filmes e Ivan Mactaggart da Marca de Filmes. O desenvolvimento foi financiado pela Polish Film Institute[1] e está sendo vendido pelo Cinema Management Group. Os financiadores incluem RBF Productions, Silver Reel, Doha Film Institute, Polish Film Institute, Sevenex Capital Partners e a Cidade de Wroclaw, Capital Europeia da Cultura em 2016.

A ideia de um filme ilustrado sobre Van Gogh surgiu de Dorota Kobiela, que também é pintora, após se aprofundar nas técnicas e história do artista através das suas cartas durante um período de crise pessoal. Inicialmente seria um curta metragem de 17 minutos com telas feitas por Dorota. [2].

Cada um dos 65.000 quadros do filme (em inglês, movie frames), é uma pintura a óleo sobre tela, usando a mesma técnica de Van Gogh, tudo feito por uma equipe de 115 pintores.[3]

ProduçãoEditar

Os diretores são o animador britânico Hugh Welchman e sua esposa, Dorota Kobiela, uma artista polonesa . Trabalharam com 125 artistas para pintar os 65.000 quadros individuais do filme, inspirados em cada sequência por pinturas específicas de Van Gogh. O filme foi filmado sobre o elenco jogando cenas em conjuntos rudimentares, então isso foi projetado para telas, quadro a quadro e pintado. Os cineastas optaram por usar pintores classicamente treinados sobre animações tradicionais. Welchman afirmou que queria evitar pintores que possuíssem "estilos personalizados" escolhendo pessoas que eram "pintoras de óleos muito puras". No total, havia 125 pintores responsáveis ​​pela animação. Isso foi mais do que inicialmente previsto e era devido a dificuldade em obter financiamento, resultando em um cronograma mais curto para a equipe trabalhar dentro. Havia, no total, cerca de 5.000 candidatos, muitos dos quais se interessaram depois de assistir um "questionário de recrutamento" on-line para o projeto. O storyboard para o projeto foi informado pelas obras que Van Gogh pintou, que foram modificadas para a tela. Estes variaram de alterações simples a re-imagings incorporando diferentes efeitos climáticos ou horário do dia. No total, 65 mil quadros foram pintados, embora o processo de transferência para o filme se revelasse difícil, com apenas 1.000 sobreviventes do processo.

ElencoEditar

O elenco principal conta com os seguintes atores:[4][5][6]

Recepção e críticaEditar

A maioria dos críticos elogiou o filme. Tim Robey do jornal The Telegraph escreveu: "Nunca experimentei nada assim" e considerou o roteiro realista, como uma sensação ocasional de uma caminhada por um museu. Escreve que os flashbacks das amizades que Vincent experimentou são compartilhadas academicamente embora não possuam muitas surpresas para os já familiarizados com sua biografia.[7] O jornal The Independent afirmou: "...é uma tela sempre transformadora que brilha na frente de seus olhos. "Os diretores não queriam fazer as pinturas de Van Gogh", diz Booth, o jovem ator britânico do The Riot Club . "Eles queriam que toda a ação aconteça nas pinturas que ele pintou." Imagine Starry Night ou The Night Cafe ganha vida; É tão revolucionário e notável como assistir, digamos, seu primeiro filme da Pixar, porém relevante".[8]

O consenso dos críticos do Rotten Tomatoes concluíram que "as realizações visuais deslumbrantes de Vincent fazem com que este biopic de Van Gogh valha a pena procurar", avaliando em 81% no "tomatômetro" e 89% de pontuação de audiência.[9]

  • "Uma obra-prima animada! Eu nunca vi nada na vida da tela antes". [10] — Deadline Hollywood
  • "É realmente muito surpreendente". [11] — The Independent
  • "Nunca experimentei nada parecido antes". [12] — The Telegraph
  • "Transformando-se em uma obra-prima por direito próprio". [13] — NBC Nightly News
  • "Incrivelmente deslumbrante". [14] — Metro UK

Inspiração filmográficaEditar

Van Gogh fazia várias excursões artísticas para explorar paisagens nos arredores de Arles. Ele pintava colheitas,[15] campos de trigo e outros marcos e peculiaridades da região. Algumas dessas obras icônicas de van Gogh inspiraram várias cenas da dramaturgia do filme.[16]

Terraço do Café à Noite, 1888
Autorretrato, setembro de 1889
Retrato do Carteiro Joseph Roulin, início de agosto de 1888
Velho Triste ("No Portão da Eternidade"), 1890
  A Wikipédia tem os portais:

PrêmiosEditar

O filme recebeu vários prêmios em festivais de cinema, tais como:

Premiação Categoria Resultado
Shangai International Film Festival Melhor Animação Venceu[carece de fontes?]
Golden Trailer Awards Melhor Trailer Estrangeiro Venceu[carece de fontes?]
Film Festival Ostend Belgium Prêmio de Audiência Venceu[carece de fontes?]
Animasyros International Animation Festival Prêmio de Audiência Venceu[carece de fontes?]
Festival Internacional de Cinema de Vancouver Filme internacional mais popular Venceu[carece de fontes?]
Annecy International Animated Film Festival 2017 Prêmio do Público Venceu[carece de fontes?]


Referências

  1. «Watch the Mesmerizing Trailer for a Movie About Van Gogh Fully Animated From Oil Paintings» 
  2. Macdonald, Fiona. «Loving Vincent: The film made entirely of oil paintings». Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  3. «How do you paint 65,000 pictures like Van Gogh?» 
  4. Waring, Olivia (2016) This animated Van Gogh movie rendered entirely in paint looks unbelievably stunning; Metro 87.1M, 23 March 2016.
  5. ‘Loving Vincent’ Starring Vincent van Gogh; Fashion Industry Broadcast FIB, April 4, 2016.
  6. Loving Vincent (2016) Full Cast & Crew; IMDb.
  7. «Loving Vincent review: a beautifully textured tribute to Van Gogh». THe Telegraph. 12 de outubro de 2017 
  8. «Loving Vincent: How the first fully-painted feature film took six years». The Independent (em inglês). 11 de outubro de 2017 
  9. Loving Vincent (em inglês), consultado em 1 de dezembro de 2017 
  10. Evans, Greg (23 de agosto de 2017). «'Loving Vincent' Premiere Gets Broadcast; Cornerstone Nabs 'Apostasy'; Content Takes 'Bees Make Honey' – Global Briefs». Deadline (em inglês) 
  11. «Loving Vincent: How the first fully-painted feature film took six years». The Independent (em inglês). 11 de outubro de 2017 
  12. Waters, Florence (27 de junho de 2016). «Van Gogh, a new film and a tantalising question: was Vincent murdered?». The Telegraph (em inglês). ISSN 0307-1235 
  13. «The Anchor Candidate: Boyfriend of Slain TV Reporter on a Mission». NBC News (em inglês) 
  14. «Loving Vincent |». www.cinemamanagementgroup.com (em inglês). Consultado em 1 de dezembro de 2017 
  15. «The upcoming animated Van Gogh movie made entirely from paintings looks stunning». Metro (em inglês). 23 de março de 2016 
  16. «How a Hand-Painted Film Is Bringing Vincent van Gogh's Art to Life». NBC News (em inglês) 
  Este artigo sobre animação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.