Luena (Angola)

cidade e comuna angolana, sede do município de Moxico e capital da província de Moxico

Luena, também grafada como Lwena, é uma cidade e comuna angolana, sede do município de Moxico e capital da província de Moxico.

Luena
  Comuna angolana Angola  
Jardim do Palácio do Governador, em Luena, em 2010.
Jardim do Palácio do Governador, em Luena, em 2010.
Localização
Luena está localizado em: Angola
Luena
Localização de Luena em Angola
Coordenadas 11° 46' 58" S 19° 54' 46" E
Província Moxico
País  Angola
Características geográficas
População total (2018) 320 000 hab.

Segundo as projeções populacionais de 2018, elaboradas pelo Instituto Nacional de Estatística, conta com uma população aproximada de 320 000 habitantes.[1][2]

Foi conhecida como "Vila Luso" durante o período colonial.

HistóriaEditar

Conhecida inicialmente pelo nome de "região Luvale", o primeiro português que viajou de Benguela para a região de Luena foi José de Assunção e Melo, em missão comercial, em 1794.[3]

ColonizaçãoEditar

A efetiva expedição de ocupação portuguesa só aconteceu em 3 março de 1895, após o tratado que firmou o Protetorado Lunda-Chócue. A missão foi chefiada pelo tenente-coronel Trigo Teixeira. Nesta expedição o militar transferiu definitivamente o Moxico-Velho para aonde atualmente está assentada a cidade de Luena, na época recebendo o nome de "Moxico-Novo".[3] Em Moxico-Novo o tenente-coronel Trigo Teixeira estabeleceu uma Colônia Penal Militar Agrícola, que depois tornou-se a Fortaleza Ferreira de Almeida.[4]

Em 25 de fevereiro de 1922, o Moxico-Novo passou a chamar‐se Vila Luso, em virtude da visita do governador colonial José Norton de Matos para supervisionar as obras do Caminho de Ferro de Benguela, que acabava de chegar na localidade.[3] O nome Vila Luso era uma homenagem à cidade de Luso, em Portugal.[4]

Em 18 de maio de 1956 as autoridades coloniais resolvem alterar o estatuto jurídico de Vila Luso dando a ela o título de cidade, mais apropriado para localidades que eram capitais distritais. No ano seguinte iniciou-se um extenso projeto de obras públicas na cidade.[4]

Período das guerrasEditar

Durante a Guerra de Independência de Angola, na década de 1960, partindo de Luau, Luena foi tomada pelo MPLA, numa ousada operação que expulsou os portugueses. A partir de 1973 a região começa a sofrer diversos ataques da UNITA e da Força de Defesa da África do Sul, com o MPLA perdendo o controle da cidade para o exército estrangeiro em 1975, durante a Operação Savana.[5]

De 11 de novembro de 1975 a janeiro de 1976, já na Guerra Civil Angolana, as Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA) travaram grandes embates para a expulsão das tropas invasoras sul-africanas, na que ficou conhecida como "batalha do Luso". A cidade de Luena foi libertada depois de dois meses de ocupação estrangeira.[5]

Em 1975/1976, como a cidade tinha um nome português que identificava de alguma forma esta região com o país colonizador, o governo angolano decidiu mudar o sua denominação, dando-lhe o nome do rio Luena, que banha a região.[6]

Foi em Luena que ocorreram alguns episódios que finalizaram a Guerra Civil Angolana, sendo uma das bases de operações decisivas das Forças Armadas de Angola durante batalhas finais que levaram a morte de Jonas Savimbi, líder da UNITA, encerrando o conflito, em 2002.

Durante as guerras muitas ONG trabalharam em Luena, incluindo MSF Belgique, Jesuit Relief Service, GOAL Irlanda, Vietnam Veterans e Medair.

GeografiaEditar

 
Igreja de Nossa Senhora das Vitórias do Luena, em 2011.

Segundo a classificação climática de Köppen-Geiger predomina na cidade o clima subtropical úmido (Cwa), com pluviometria média anual de cerca de 1200 mm e temperatura média de 21ºC.

A cidade situa-se numa área com altitudes médias de 1350 metros acima do nível do mar.

SubdivisõesEditar

A cidade é constituída por diversos bairros. Alguns destes são: Nazaji, Popular, Mandembué, Zorro, Saíde Mingas, Santa Rosa, Sinai-Velho, Sinai-Novo, Aço, Capango, Cuenha, Chifuchi, Alto Campo e Zona Verde.

DemografiaEditar

A capital do Moxico é habitada por diversos grupos étnicos, sendo que os mais numerosos são os chócues e ganguelas, além de grupos menores luvales, luenas, ovimbundos, ambundos, luchazes e lundas.

InfraestruturaEditar

TransportesEditar

Pela rodovia EN-250 Luena consegue acesso à Chicala, ao oeste, e; a Léua, a leste. Pela EN-180 tem-se acesso a Camanongue, ao norte, e; ao Lucusse, ao sul.

A cidade é conectada pelo Caminho de Ferro de Benguela ao Porto do Lobito, na costa atlântica angolana. É um importante corredor de escoamento da produção local, bem como para o transporte de passageiros. Também dá acesso ao Luau, no extremo-leste do país.[7]

A cidade também é servida pelo Aeroporto Comandante Dangereux.[8]

EducaçãoEditar

A cidade do Luena possui duas instituições de ensino de grande relevo, sendo o Instituto Médio de Administração e Gestão do Luena, de nível médio-técnico, e; a Escola Superior Politécnica do Moxico, de ensino superior, uma das unidades da Universidade José Eduardo dos Santos.

Cultura e lazerEditar

Em Luena existem alguns pontos de interesse, entre eles encontra-se a Reserva Florestal do Luena. Esta floresta ocupa uma área de 1800 Km² e é demarcada pelos rios Luena e Camege, além do Lago Dilolo. Tem também o Parque Nacional da Cameia.

Algumas das principais construções de Luena são a Igreja de Nossa Senhora das Vitórias do Luena, as ruínas do Forte de Dilolo, as Ruínas do Moxico Velho e o Sítio Arqueológico do rio Cassai, onde se encontram pedras gravadas com pegadas de pessoas, animais, entre outros sinais.[9]

Uma das principais festividades da cidade é a Procissão do Corpo de Deus, promovida pela Diocese de Luena.

A principal prática esportiva da cidade é o futebol, tanto que exite até uma equipa profissional, a Futebol Clube Bravos do Maquis, que joga seus campeonatos no Girabola.

Referências

  1. Schmitt, Aurelio. Município de Angola: Censo 2014 e Estimativa de 2018. Revista Conexão Emancipacionista. 3 de fevereiro de 2018.
  2. Censo 2014 : 350 803, accessdate: February 18, 2017
  3. a b c Província do Moxico completa 90 anos. Portal Angop. 16 de setembro de 2007.
  4. a b c Luena (Vila Luso). Património de Influência Portuguesa. [s/d].
  5. a b Memórias das batalhas que levaram à reconquista da cidade do Luena. Jornal de Angola. 29 de novembro de 2014.
  6. Moxico: Cidade do Luena existe há 60 anos. Portal Angop. 18 de maio de 2016.
  7. Bié: CFB abre rota Cuito-Luena. Portal Angop. 17 de julho de 2018.
  8. Moxico: Aeroporto "Comandante Dangereux" reinaugurado quarta-feira. Portal Angop. 19 de agosto de 2014.
  9. Luena. Welcome to Angola. 2019.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre geografia de Angola, integrado no Projecto Angola, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.