Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMamute-da-estepe
Mammuthus trogontherii122DB.jpg
Estado de conservação
Pré-histórica
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Proboscidea
Família: Elephantidae
Género: Mammuthus
Espécie: M. trogontherii
Nome binomial
Mammuthus trogontherii
Pohlig, 1888

O mamute-da-estepe (Mammuthus trogontherii) foi uma espécie de mamute e a primeira a adaptar-se ao clima temperado do hemisfério norte. Podia chegar a mais de 4.7 metros. Viveu no nordeste da Eurásia na metade do período pleistocênico, entre 600 e 370 mil anos atrás. É provavelmente a evolução do mamute-ancestral, que ocupava a região onde hoje se localiza a Sibéria, entre 750 e 500 mil anos atrás.[1]

Índice

DescriçãoEditar

 
M. trogontherii (maior) e Elephas namadicus (menor).

Para se adaptar ao clima de tundra, o mamute-da-estepe desenvolveu uma pelagem mais espessa e orelhas menores do que o seu predecessor. Os machos possuíam presas longas e curvas, já as das fêmeas eram mais curtas e retas. Essas presas podiam alcançar até 5.2 m. Esses aperfeiçoamentos foram decisivos para o mamute-lanoso, que foi o seu sucessor evolutivo.[1]

AlimentaçãoEditar

Os mamutes-da-estepe alimentavam-se basicamente de folhas, frutas e sementes, dieta semelhante a dos elefantes atuais.[2]

FósseisEditar

Embora encontrar partes de esqueletos fossilizadas em bom estado dessa espécie seja um evento bastante raro, constantemente são achados dentes fossilizados. O fóssil mais completo achado até então foi de um exemplar de Kikinda, Sérvia. Achado em 1996, é o fóssil de uma fêmea que media por volta de 4.7 m, com presas de 3.5 m, e pesava mais ou menos 7 toneladas.(Duk), Dusko Milicev. «KIKA - OnLine». www.kika-mamut.com. Consultado em 5 de maio de 2018 

Uma das mais recentes e importantes descobertas envolvendo o mamute-da-estepe foi de um crânio fossilizado encontrado em Auvergne, França. O exemplar foi desenterrado em 2008, era um jovem macho de aproximadamente 3.7 m.[3]

Referências

  1. a b «Bicho Mamute». www.mamutesdapedra.org. Consultado em 5 de maio de 2018 
  2. Zimov, Sergey A. (6 de maio de 2005). «Pleistocene Park: Return of the Mammoth's Ecosystem». Science (em inglês). pp. 796–798. PMID 15879196. doi:10.1126/science.1113442. Consultado em 5 de maio de 2018 
  3. «'Rare' mammoth skull discovered» (em inglês). 2 de setembro de 2008. Consultado em 5 de maio de 2018 

Ligações externasEditar