Abrir menu principal
Manuel Lapa
Nascimento 1914
Lisboa
Morte 1979 (65 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal portuguesa
Prémios Prémio Domingos Sequeira, 1947
Área Pintura
Manuel Lapa, capa da revista Panorama, 1947

D. Manuel Francisco de Almeida e Vasconcellos, de nome artístico Manuel Lapa (Lisboa, 20.9.1914 — Lisboa, 11.12.1979), foi um pintor, artista gráfico e decorador português. Pertence à segunda geração de artistas modernistas portugueses.[1][2]

BiografiaEditar

Filho primogénito de D. Manuel das Misericórdias de Mello e Castro de Almeida e Vasconcellos, 3º conde e 4º visconde da Lapa e 5º barão de Mossâmedes de juro e herdade (Cascais, 9.10.1885 - Celorico da Beira 14.9.1942) e da condessa D. Cecília Burnay e Vasconcelos da Cruz Sobral (Porto, 12.5.1889 - 9.5.1969), casados em Lisboa a 12.2.1902. Nunca se encartou nos títulos de que era representante.

Casou em Lisboa a 27.12.1939 com D. Irene da Silva Pereira, com quem teve seis filhos. O segundo filho deste casal, D. Pedro Manuel de Almeida e Vasconcellos (Lisboa, 21.6.1942) é o 4º conde e 5º visconde da Lapa e 6º barão de Mossâmedes de juro e herdade (por deliberação do Instituto da Nobreza de Portugal de 7.2.2017).

Diplomado pela Escola de Belas-Artes de Lisboa, onde foi professor. Em 1940 integra a equipa de artistas decoradores da Exposição do Mundo Português; nesse mesmo ano é agraciado com o oficialato da Ordem de Cristo. Colabora na Panorama (revista portuguesa de arte e turismo); assume a direção artística da revista Atlântico (1942). Participa na I Exposição de Artistas Ilustradores Modernos, S.P.N., (Porto, 1942); colabora na obra Portugal: Breviário da Pátria para os Portugueses Ausentes (S.P.N./S.N.I., 1946). Participa em seis das Exposições de Arte Moderna do S.P.N./S.N.I. (distinguido com o Prémio Domingos Sequeira, 1947).[3][4]

Em 1948 integra a equipa de artistas-decoradores do Museu de Arte Popular, para onde executa, em parceria com Tom, os murais do Vestíbulo e salas de Entre-Douro-e-Minho, Trás-os-Montes e Algarve. Nesse mesmo ano participa na exposição 15 anos de Obras Públicas e assume, com Tom, a direção do projeto da exposição 14 Anos de Política do Espírito, promovida pelo S.P.N./S.N.I. (Lisboa, 1948). Em 1953, dirige a ilustração e publicação da obra Guia Olisipo: Roteiro da Cidade de Lisboa. Em 1954 conduz a direcção artística da Exposição do Quarto Centenário da Cidade de São Paulo, Brasil, sob a direcção do Professor Jaime Cortesão, onde também executa diversas obras. Em 1969 faz parte, com António Quadros (1923-1993) , Lima de Freitas (1927-1998) e Manuel Costa Martins (1922-1996), do núcleo de fundadores do Instituto de Arte, Decoração e Design (IADE), Lisboa.[5][2]

Ligações externasEditar

Referências

  1. França, José AugustoA arte em Portugal no século XX. Lisboa: Livraria Bertrand, 1991, p. 310.
  2. a b IADE. «Manuel Lapa (1914-1979)» (PDF). Consultado em 15 de maio de 2018 
  3. França, José AugustoA arte em Portugal no século XX. Lisboa: Livraria Bertrand, 1991, p. 310.
  4. Museu de Arte Popular. «Artistas – Manuel Lapa». Consultado em 25 de agosto de 2013. Arquivado do original em 12 de agosto de 2014 
  5. «Museu de Arte Popular». Consultado em 15 de maio de 2018 
  Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.