Marco Pórcio Catão (cônsul em 36)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Marco Pórcio Catão (desambiguação).

Marco Pórcio Catão (em latim: Marcus Porcius Cato; m. 38) foi um senador romano da gente Pórcia nomeado cônsul sufecto em 36 com Caio Vécio Rufo. Provavelmente era descendente de Catão, o Jovem.

Marco Pórcio Catão
Cônsul do Império Romano
Consulado 36 d.C.
Morte 38 d.C.

CarreiraEditar

Em 27, Catão foi pretor e, no ano seguinte, se envolveu na trama orquestrada pelo prefeito pretoriano Lúcio Élio Sejano contra um equestre chamado Tício Sabino, um antigo aliado de Germânico. Além de Catão, participaram os pretores Lúcio Lucânio Laciário[1], Petílio Rufo e Marco Ópsio[2]. Os conspiradores seduziram Sabino para que ele fizesse comentários depreciativos em relação ao imperador Tibério e depois o convenceram a se aproximar do imperador para conseguir um consulado[3]. O imperador então ordenou que Sabino fosse executado. Lucânio e Ópsio não conseguiram nada, pois foram executados depois da queda de Sejano, em 31, mas Catão conseguiu ser nomeado cônsul sufecto em 36. Em 38, ele foi nomeado curator aquarum (responsável pelos aquedutos de Roma), mas acabou sendo também executado ainda no posto, provavelmente por iniciativa do prefeito pretoriano Macro, que estava tentando eliminar todos os antigos aliados de Sejano[4].

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Caio Céstio Galo I

com Marco Servílio Noniano
com Décimo Valério Asiático (suf.)
com Aulo Gabínio Segundo (suf.)

Sexto Papínio Alênio
36

com Quinto Pláucio
com Caio Vécio Rufo (suf.)
com Marco Pórcio Catão (suf.)

Sucedido por:
'Cneu Acerrônio Próculo

com Caio Petrônio Pôncio Nigrino
com Calígula I (suf.)
com Cláudio I (suf.)
com Aulo Cecina Peto (suf.)
com Caio Canínio Rébilo (suf.)


Referências

  1. Latinius Latiaris em Tácito, Anais 4, 71, 1.
  2. CIL XV, 1245
  3. Tácito, Anais 4, 68 ss.
  4. Tácito, Anais 4, 71, 1.

BibliografiaEditar

  • (em alemão) Gerhard Winkler: Porcius II 1. In: Der Kleine Pauly (KlP). Vol. 4, Stuttgart 1972, col. 1058.