Marcos, primo de Barnabé

Marcos, primo de Barnabé é um personagem do Novo Testamento, geralmente identificado como sendo João Marcos (e, por consequência, Marcos, o Evangelista). Porém, Hipólito de Roma, em sua obra "Sobre os Setenta Discípulos", trata os três como pessoas diferentes. Ele seria o primo do apóstolo Barnabé.

São Barnabé, primo de Marcos.
Estátua na igreja do Palácio Nacional de Mafra, em Mafra, Portugal

IdentidadeEditar

Marcos, primo de Barnabé, aparece em duas passagens do Novo Testamento. Em Colossenses 4:10, Paulo saúda Aristarco e pede que Marcos seja bem recebido pela comunidade de Colossas[nota a]. Em Filemom 1:24, Marcos aparece novamente ao lado de Aristarco, mas ali Paulo não afirma claramente que este seria o "primo de Barnabé"[nota b]. Hipólito afirma que este Marcos é distinto de João Marcos (de Atos 12:12; Atos 12:25; Atos 13:5; Atos 13:13 e Atos 15:37) e de Marcos (2 Timóteo 4:11). Eles todos fazem parte dos Setenta Discípulos (eles são os números 56, 65 e 14, respectivamente), que foram enviados por Jesus para pregar na Judeia pouco antes de sua crucificação.[1] Hipólito diz ainda que Marcos, primo de Barnabé, era o líder da igreja apostólica e bispo de Apolônia.

Aparentemente Marcos, primo de Barnabé, estava com Paulo durante a sua primeira passagem na prisão em Roma, pois foi dali que ele escreveu as suas quatro epístolas da prisão: Efésios, Colossenses, Filemom e Epístola aos Filipenses.

Ver tambémEditar

NotasEditar

[nota a] ^ «Saúda-vos Aristarco, meu companheiro de prisão, e Marcos, primo de Barnabé (a respeito do qual recebestes instruções; se for ter convosco, recebei-o)» (Colossenses 4:10)
[nota b] ^ «assim como Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus companheiros de trabalho.» (Filemom 1:24)

Referências

  1. Alexander Roberts, James Donaldson e A. Cleaveland Coxe, ed. (1999). Ante-Nicean Fathers (em inglês). 5. Peabody MA: Hendrickson Publishers. pp. 255–6