Abrir menu principal
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Marcos Antônio Ronchetti
Marcos Antônio Ronchetti
Prefeito de Canoas Bandeira canoas.png
Período 1º de janeiro de 2001
até 31 de dezembro de 2008
Antecessor Hugo Simões Lagranha
Sucessor Jairo Jorge da Silva
Vereador de Canoas Bandeira canoas.png
Período 1º de janeiro de 1993
até 31 de dezembro de 1995

1º de janeiro de 1996
até 31 de dezembro de 2000

1º de janeiro de 2013
até 11 de abril de 2019.

Dados pessoais
Nascimento 27 de novembro de 1956
Relvado, RS
Morte 11 de abril de 2019 (62 anos)
Porto Alegre, RS
Partido PDT, PSDB
Profissão Médico

Marcos Antônio Ronchetti (Relvado, 27 de novembro de 1956Porto Alegre, 11 de abril de 2019[1]) foi um político brasileiro, ex-prefeito de Canoas, no Rio Grande do Sul.

Em 1992, Ronchetti foi eleito vereador em Canoas pelo PDT. Dois anos depois, mudou-se para o PSDB, partido pelo qual se reelegeu em 1996. Em 2000, ele foi eleito prefeito de Canoas, sendo reeleito em 2004. Vítima de câncer, faleceu no Hospital Santa Casa, de Porto Alegre, aos 62 anos de idade.[1]

Índice

CorrupçãoEditar

Em março de 2008, o Ministério Público Federal (MPF) determinou o bloqueio dos bens de Marcos Ronchetti, que somam R$ 6 milhões, abrangendo contas bancárias, veículos e imóveis.[2]

O bloqueio, que também atingiu os secretários municipais Marco Zandonai, da Educação, e Francisco "Chico" Fraga, de Governo, o qual está envolvido no escândalo do Departamento Estadual de Trânsito, e dirigentes das empresas SP Alimentação e Gourmaitre Cozinha Industrial e Refeições, servirá, em uma eventual condenação, para ressarcir o prejuízo (superior a 5,6 milhões) aos cofres públicos do município. Tais empresas, conforme um contrato firmado com a prefeitura, deveriam ter fornecido merenda escolar para a rede pública de Canoas, o que ocorreu de forma irregular.

Foi denunciado pelo Ministério Público Federal por crimes contra a Administração Pública.

Está com os bens pessoais bloqueados, junto com outros denunciados, como forma de garantir o reembolso pelos desvios.

No dia 1 de outubro de 2010 foi condenado pelo Tribunal de Contas da União a devolver 4 milhões de reais aos cofres públicos e deverá perder seus direitos políticos por 8 anos.

Pós-prefeituraEditar

Em 2010 se candidatou a Deputado Federal, e obteve 16.146 votos, não sendo eleito. Em 2012, se candidatou a vereador de Canoas, e foi eleito com 3.710 votos, sendo o 4º mais votado.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «Morre, aos 62 anos, ex-prefeito de Canoas Marcos Ronchetti». Correio do Povo. 11 de abril de 2019. Consultado em 11 de abril de 2019 
  2. «Ex-prefeito de Canoas é indiciado por fraudes em licitações». Terra. Jornal do Brasil. 24 de novembro de 2009. Consultado em 19 de janeiro de 2014 

Ligações externasEditar