Maria Francisca de Saboia

Maria Francisca Ana Romana de Saboia (em italiano: Maria Francesca Anna Romana; 26 de dezembro de 19147 de dezembro de 2001) foi a filha mais nova do rei Vítor Emanuel III da Itália e da rainha Helena de Montenegro. Era irmã do rei Humberto II da Itália, da condessa Iolanda de Bergolo, da condessa Mafalda de Hesse e da rainha Joana da Bulgária.[1][2][3][4]

Maria Francisca de Saboia
Princesa de Bourbon-Parma
Princesa de Saboia
Cônjuge Luís de Bourbon-Parma
Descendência Guy
Rémy
Chantal
Jean
Casa Saboia
Nome completo Maria Francisca Ana Romana
Nascimento 26 de dezembro de 1914
  Roma, Itália
Morte 7 de dezembro de 2001 (86 anos)
  Mandelieu, França
Pai Vítor Emanuel III da Itália
Mãe Helena de Montenegro

BiografiaEditar

Maria Francisca nasceu em Roma, no dia 26 de Dezembro de 1914, poucos meses antes de a Itália entrar na Primeira Guerra Mundial.[5] Era a filha mais nova do rei Vítor Emanuel III de Itália e da sua esposa, a princesa Helena de Montenegro.[1] Conhecida pela sua beleza e timidez, a princesa foi uma das primeiras crianças de classe alta de Itália a usar o cabelo curto, o que ajudou a popularizar este visual no país ao longo da década de 1920.[5]

Durante a sua adolescência, Maria Francisca também revelou um gosto especial por futebol, chegando a estar presente em vários jogos. Antes de se casar, participou com os pais em vários eventos oficiais, principalmente ligados com a educação de crianças, tornando-se madrinha de várias fundações e instituições dedicadas a essa área.[5]

Na década de 1930, surgiram rumores de que Maria Franscisca estaria noiva do príncipe Otto da Áustria, herdeiro do extinto Império Austro-Húngaro, no entanto, o casamento nunca aconteceu.[6] A 23 de Janeiro de 1939, Maria Francisca casou-se na Capela Paola do Palácio do Quirinal com o príncipe Luís de Bourbon-Parma, filho do duque Roberto I de Parma e da sua esposa, a infanta Maria Antónia de Bragança, e irmão da imperatriz Zita da Áustria.[4] Juntos, tiveram quatro filhos.[3]

Como represália contra o Golpe de Estado que o seu pai organizou contra Mussolini e o anúncio de um Armistício com os Aliados[7], a 8 de Setembro de 1943, Maria Francisca foi presa e enviada para um campo de concentração Nazi perto de Berlim, à semelhança do que aconteceu com a sua irmã mais velha, Mafalda.[5] Maria Francisca ficou presa até ao final da Segunda Guerra Mundial, uma experiência que a marcou para o resto da vida, principalmente devido à morte da sua irmã Mafalda no campo de concentração de Buchenwald em 1944.[5]

Maria Francisca regressou à Itália, onde viveu até 1946, ano em que, por referendo popular, a monarquia foi extinta. Posteriormente, mudou-se para Mandelieu, na França, onde viveu até à sua morte, aos oitenta-e-sete anos de idade, em 2001. O seu sobrinho-neto, o Vítor Emanuel, Príncipe de Nápoles, pretendente do trono italiano, esteve presente no seu funeral que se realizou a 10 de Dezembro de 2001.[5]

Casamento e descendênciaEditar

No dia 23 de janeiro de 1939, Maria Francisca casou-se com o príncipe Luís de Bourbon-Parma. Tiveram quatro filhos, todos nascidos em Cannes[1][2][3][4]:

  1. Guy Sixte Luís Roberto Vítor de Bourbon-Parma (7 de agosto de 194010 de março de 1991), casado com Brigitte Peu-Duvallon; com descendência.
  2. Rémy Francisco de Bourbon-Parma (n. 14 de julho de 1942), casado com Laurence Dufresne d'Arganchy; com descendência.
  3. Chantal Maria de Bourbon-Parma (n. 24 de novembro de 1946), casada com Panagiotis Skinas; com descendência.
  4. João Bernardo Rémy de Bourbon-Parma (n. 15 de outubro de 1961), casado com Virginia Roatta; com descendência.

Morreu em Mandelieu, França, em 2001.[1][2][3][4]

Referências

  1. a b c d Jirí Louda and Michael MacLagan, Lines of Succession: Heraldry of the Royal Families of Europe, 2nd edition (London, U.K.: Little, Brown and Company, 1999)
  2. a b c Marcellus Donald R. von Redlich, Pedigrees of Some of the Emperor Charlemagne's Descendants, volume I (1941; reprint, Baltimore, Maryland, U.S.A.: Genealogical Publishing Company, 2002), página 75
  3. a b c d C. Arnold McNaughton, The Book of Kings: A Royal Genealogy, in 3 volumes (London, U.K.: Garnstone Press, 1973), volume 1, página 449
  4. a b c d «Person Page». www.thepeerage.com. Consultado em 5 de julho de 2018 
  5. a b c d e f «SAVOIA: PRINCIPESSA MARIA, LA PREFERITA DI UMBERTO». www1.adnkronos.com (em italiano). Consultado em 18 de julho de 2018 
  6. C. Vovk, Justin (2002). Imperial Requiem: Four Royal Women and the Fall of the Age of Empires. EUA: iUniverse. 495 páginas 
  7. «El Tiempo - Pesquisa de arquivos de notícias Google». news.google.com. Consultado em 18 de julho de 2018