Vítor Emanuel III da Itália

Vítor Emanuel III (Nápoles, 11 de novembro de 1869Alexandria, 28 de dezembro de 1947) foi o Rei da Itália de 1900 até sua abdicação em 1946. Além disso, ele também reivindicou ser Imperador da Etiópia[1] entre 1936 e 1941, e também Rei da Albânia de 1939 até 1943, porém esses títulos e domínios nunca foram reconhecidos internacionalmente. Era o único filho do rei Humberto I da Itália e sua esposa Margarida de Saboia.[2]

Vítor Emanuel III
Rei da Itália
Reinado 29 de julho de 1900
a 9 de maio de 1946
Antecessor(a) Humberto I
Sucessor(a) Humberto II
Imperador da Etiópia
Reinado 9 de maio de 1936
a 5 de maio de 1941
Predecessor Haile Selassie
Sucessor Haile Selassie
Rei da Albânia
Reinado 16 de abril de 1939
a 8 de setembro de 1943
Predecessor Zog I
Sucessor Zog I
 
Esposa Helena de Montenegro
Descendência Iolanda de Saboia
Mafalda de Saboia
Humberto II da Itália
Joana de Saboia
Maria Francisca de Saboia
Casa Saboia
Nome completo Vítor Emanuel Fernando Maria Januário
Nascimento 11 de novembro de 1869
  Nápoles, Itália
Morte 28 de dezembro de 1947 (78 anos)
  Alexandria, Egito
Enterro Catedral de Santa Catarina, Alexandria, Egito
Pai Humberto I da Itália
Mãe Margarida de Saboia
Religião Catolicismo
Assinatura Assinatura de Vítor Emanuel III

Foi encarregado de arbitrar divergência entre Brasil e Reino Unido acerca do território litigioso que os ingleses julgavam pertencer à Guiana Inglesa, litígio conhecido como Questão do Pirara.

Membro da Casa de Saboia, ascendeu ao trono italiano após o assassinato de seu pai.[3] Numa primeira fase, desempenhou unicamente funções constitucionais, mas, durante a crise que se seguiu à Primeira Guerra Mundial, teve um importante papel nas decisões políticas.

Em 29 de outubro de 1922, encarregou Benito Mussolini, depois da sua marcha sobre Roma, da formação do novo governo e, nos anos seguintes, assistiu Mussolini implantar o regime fascista.[4] Durante seu reinado, foi assinado o Tratado de Latrão.

Após a derrota militar da Itália na Segunda Guerra Mundial, participou em 1943 na destituição de Mussolini por parte do Grande Conselho do Fascismo e assumiu o comando do exército.[5]

Em 12 de abril de 1944, renunciou a favor de seu filho Humberto II[6] e, em 1946, abdicou e exilou-se no Egito. Pouco depois, foi proclamada a República Italiana.

Nascimento e famíliaEditar

Vítor Emanuel nasceu em Nápoles, Itália a 11 de Novembro de 1869. Foi o único filho do rei Humberto I da Itália e da rainha Margarida de Saboia; seus pais eram primos de primeiro-grau. Ele nasceu durante o reinado de seu avô Vítor Emanuel II da Itália, chamado pelos italianos de "Pai da Pátria", quando unificou a Península Itálica num único estado. Vítor Emanuel não tinha estatura nem mesmo pelos padrões do século XIX, o que lhe valeu o apelido de piccolo re ("pequeno rei"), ele tinha apenas 1,53 m de altura.[7]

Seu casamento com a princesa Helena de Montenegro, deu origem à expressão "casal italiano", referindo-se à uma esposa alta e marido pequeno, uma vez que sua esposa, descrita como uma "beleza eslava", era bastante alta (ela tinha 1,80 m de altura).

ReinadoEditar

No seu reinado fez uma aliança chamada Tríplice Aliança que era de defesa com a Alemanha e a Austro-Hungria. Em 1914 estalou a grande guerra na qual participaram as suas aliadas de uma forma que não era de defesa pois a Alemanha e Austro-Hungria é que declararam guerra à Entente, por isso não entrou na guerra. Mas em 1915 para surpresa de todos a Itália entraria na guerra do lado da Entente em troca de territórios austríacos, na qual ficou conhecida como traidora. E venceu a guerra do lado da Entente.

Em 1922, depois de um golpe de estado o rei declara Benito Mussolini, um ditador fascista primeiro-ministro. O seu ministro fez alianças com Hitler e Hirohito e entrou na Segunda Guerra Mundial do lado deles. Saiu derrotado depois do assassinato de Mussolini e foi obrigado a apoiar o Reino Unido, a França, a URSS e os EUA.

Títulos da Coroa ItalianaEditar

 
Selo italiano emitido em 1903 com a efígie de Vítor Emanuel III

De 1860 a 1946, os seguintes títulos foram usados ​​pelo rei da Itália:

Victor Emmanuel III, pela Graça de Deus e a Vontade da Nação, rei da Itália, rei da Sardenha, Chipre, Jerusalém, Armênia, duque de Savoy, conde de Maurienne, marquês (do Sacro Império Romano) na Itália; Príncipe de Piemonte, Carignano, Oneglia, Poirino, Trino; Príncipe e vigário perpétuo do Sacro Império Romano; príncipe de Carmagnola, montmelliano com Arbin e Francin, príncipe bailliff do Ducado de Aosta, príncipe de Chieri, Dronero, Crescentino, Riva di Chieri e Banna, Busca, Bene, Brà, duque de Gênova, Monferrat, Aosta, duque de Chablais, Genevois, Duque de Placência, Marquês de Saluzzo (Saluces), Ivrea, Susa, de Maro, Oristano, Cesana, Savona, Tarantasia, Borgomanero e Cureggio, Caselle, Rivoli, Pianezza, Govone, Salussola, Racconigi com Tegerone, Migliabruna e Motturone, Cavallermaggiore, Marene, Modane e Lanslebourg, Livorno Ferraris, Santhià Agliè, Centallo e Demonte, Desana, Ghemme, Vigone, Conde de Barcaça, Villafranca, Ginevra, Nizza, Tenda, Romont, Asti, Alessandria, del Goceano, Novara, Tortona, Bobbio , Soissons, Sant'Antioco, Pollenzo, Roccabruna, Tricerro, Bairo, Ozegna, de Apertole, Barão de Vaud e de Faucigni, Senhor de Vercelli, Pinerolo, de Lomellina, de Valle Sesia, de Ceva Marquisate, senhor de Mônaco, Roccabruna e 11/12 de Menton, nobre patrício de Veneza, pat técnico de Ferrara.[8]

Casamento e descendênciaEditar

 
Helena de Montenegro, esposa de Vítor Emanuel III, com suas filhas Iolanda e Mafalda.

Vítor Emanuel III casou-se com a princesa montenegrina Helena de Petrović-Njegoš, filha do rei Nicolau I a 24 de Outubro de 1896. Juntos tiveram cinco filhos:

  1. Iolanda de Saboia (1 de junho de 1901 - 16 de novembro de 1986), casada com Giorgio Carlo Calvi, Conde de Bergolo; com descendência.
  2. Mafalda de Saboia (2 de novembro de 1902 - 27 de agosto de 1944), casada com Filipe de Hesse-Cassel, neto do imperador Frederico III da Alemanha e membro Partido Nazista; com descendência. Mafalda foi presa Gestapo e levada para o campo de concentração de Buchenwald, na Alemanha; Após um bombardeio pelas tropas aliadas, Mafalda ficou gravemente ferida e, devido a uma infecção no braço, tiveram de amputar o membro da princesa, que levou à sua morte, aos 41 anos.
  3. Humberto II da Itália (15 de setembro de 1904 - 18 de março de 1983), o último rei da Itália entre maio e junho de 1946, casado com a princesa Maria José da Bélgica; com descendência. É o pai do atual pretendentes ao trono italiano, Vítor Emanuel, Príncipe de Nápoles.
  4. Joana de Saboia (13 de novembro de 1907 - 26 de fevereiro de 2000), casada com o czar Bóris III da Bulgária; com descendência. Foi a última czarina da Bulgária, além de mãe de Simeão II, o último czar da Bulgária e atual pretendente ao extinto torno.
  5. Maria Francisca de Saboia (26 de dezembro de 1914 - 7 de dezembro de 2001), casada com Luís de Bourbon-Parma; com descendência.

AncestraisEditar

Referências

  1. Havas (10 de maio de 1936). «O rei da Itália foi ontem proclamado imperador da Etiópia». Folha da manhã, ano XI,edição 3724, página 1. Consultado em 1 de maio de 2014 
  2. United Press (30 de dezembro de 1947). «Mais um membro da Casa di Savóia que desaparece». Jornal do Brasil, Ano LVII, edição 306, página 5. Consultado em 1 de maio de 2014 
  3. «O rei Umberto I- Regicídio». Jornal do Brasil, Ano X, número 212/Biblioteca Nacional-Hemeroteca digital brasileira. 31 de julho de 1900. Consultado em 1 de maio de 2014 
  4. Dirk Kaufmann. «1922: Chega ao fim a Marcha sobre Roma». Deutsche Welle. Consultado em 1 de maio de 2014 
  5. United Press (26 de julho de 1943). «Cae Mussolini. Lo sucede Badoglio-El Rey asume el mando del ejército». El Tiempo, Ano, edição, página 1. Consultado em 1 de maio de 2014 
  6. United Press (13 de abril de 1944). «Abdiciou ao trono da Itália o rei Victor Emanuel». Folha da manhã, AnoXIX, edição 6161, página 1. Consultado em 1 de maio de 2014 
  7. «Biography for King Victor Emmanuel III». IMDb.com. Consultado em 16 de setembro de 2013 
  8. «Victor Emmanuel III Facts». biography.yourdictionary.com. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  9. «Ancestors of King Victor Emmanuel III of Italy and Albania, Emperor of Ethiopia». myorigins.org. Consultado em 5 de maio de 2020 
  Este artigo sobre Genealogia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.