Massacre de Aucayacu

O massacre de Aucayacu ou Genocídio comunista de Aucayacu foi um massacre seletivo contra pessoas LGBT e profissionais do sexo que ocorreu em 6 de agosto de 1986 na cidade de Aucayacu localizado em Huánuco, Peru. Os responsáveis ​​eram membros do Partido Comunista do Peru - Sendero Luminoso durante o conflito armado interno no Peru. O massacre foi desenvolvido como parte das políticas de "limpeza social" levadas a cabo pelo grupo comunista.[1]

ContextoEditar

O Partido Comunista do Peru - Sendero Luminoso e o Movimento Revolucionário Túpac Amaru foram organizações comunistas que iniciaram um conflito contra o Estado peruano para implantar o comunismo no Peru por meio de táticas terroristas. Eles identificaram a homossexualidade como uma consequência do capitalismo[2].

MassacreEditar

Em 6 de agosto de 1986, na cidade de Aucayacu, integrantes do Sendero Luminoso sequestraram 10 pessoas, entre homossexuais e prostitutas, por serem, para esse grupo comunista, "flagelos sociais", sendo posteriormente assassinados[3].

Ver tambémEditar

Referências

  1. PERÚ, NOTICIAS EL COMERCIO (26 de junho de 2016). «Actualidad: Cuando el odio sale del clóset | NOTICIAS EL COMERCIO PERÚ». El Comercio Perú (em espanhol). Consultado em 24 de setembro de 2020 
  2. «Psicoanálisis de un liderazgo homofóbico (2da parte) | EL MONTONERO». EL MONTONERO | Primer Portal de opinión del país (em espanhol). Consultado em 24 de setembro de 2020 
  3. «Corresponsales clave». www.corresponsalesclave.org. Consultado em 24 de setembro de 2020