Abrir menu principal

Matipó

município brasileiro do estado de Minas Gerais

Matipó é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, sua população em julho de 2014 foi estimada em 18 604 habitantes.[5]

Município de Matipó
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Fundação 17 de dezembro de 1938 (80 anos)
Gentílico matipoense
Padroeiro(a) São João Batista[1]
CEP 35367-000 a 35367-999[2]
Prefeito(a) Walter Mageste de Ornelas (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Matipó
Localização de Matipó em Minas Gerais
Matipó está localizado em: Brasil
Matipó
Localização de Matipó no Brasil
20° 17' 02" S 42° 20' 27" O20° 17' 02" S 42° 20' 27" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008[3]
Microrregião Manhuaçu IBGE/2008[3]
Municípios limítrofes Abre Campo, Caputira, Manhuaçu, Pedra Bonita, Sericita e Santa Margarida
Distância até a capital 244 km
Características geográficas
Área 277,098 km² [4]
População 18 604 hab. Est. IBGE/2014[5]
Densidade 67,14 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,683 médio PNUD/2000[6]
PIB R$ 145 643,028 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 8 585,92 IBGE/2008[7]
Página oficial
Prefeitura www.matipo.mg.gov.br

EtimologiaEditar

Embora seja difundido que o nome Matipó se deriva da expressão indígena Match-poo, que significaria "milho em pó", tal entendimento carece de fundamentação mais aprofundada, haja vista que o vocábulo "milho" é correspondente ao termo "abati" na língua tupi-guarani ( Fonte: Dicionário de Palavras Brasileiras de Orígem Indígena – Clóvis Chiaradia). Na estruturação ligeira da expressão construída, a expressão indígena seria "abati-poo", ou então "abatipoca" originado dos termos indígenas abati – milho; poca – rebentar ( Fonte: Dicionário de Palavras Brasileiras de Orígem Indígena – Clóvis Chiaradia).

GeografiaEditar

O município de Matipó está localizado na região II da Zona da Mata do estado de Minas Gerais e pertence à microrregião homogênea Vertente Ocidental do Caparaó (ICA/CETEC 1997).

O município situa-se na bacia do Rio Doce, tendo como principais elementos da hidrografia o Rio Matipó e o Ribeirão de Santa Margarida. Possui uma área de 277 km², sendo limitado ao norte pelo município de Caputira, ao sul pelos de Pedra Bonita e Santa Margarida, a leste pelo de Manhuaçu e a oeste por Abre Campo. O distrito de Padre Fialho localiza-se a 15 km da sede.

HistóriaEditar

Sua principal fonte de renda é a agropecuária com maior destaque para a cafeicultura. Possui um distrito denominado Padre Fialho popularmente chamado de "Garimpo".

Os bairros mais importantes são: Centro onde está localizado a Igreja Matriz, bancos, supermercados, lojas e a maioria dos pontos comerciais. Bairro Boa vista, Bairro Palhada, ambos de uso misto (residencial e comercial). Bairro Exposição, onde a cada ano são realizadas as festas tradicionais da cidade. Bairro Retiro onde encontra-se a Faculdade Vértice, sendo o mesmo outro bairro de uso misto (residencial, comercial e institucional). O ponto mais alto da cidade é a Serra do Bom Jesus, carinhosamente chamada de "Serrinha", com uma altitude de 1.230m.

EducaçãoEditar

Matipó se destaca em sua região por sediar a faculdade Univértix, com vários cursos de graduação, pós-graduação, além de cursos técnicos.

Transporte e TurismoEditar

A principal rodovia de acesso à cidade é a Rodovia Osires Linhares Fraga, que liga a cidade à BR 262. Na cidade de Matipó existem diversas cachoeiras, sendo a mais utilizada pela população local e pelos turistas a cachoeira conhecida como Cachoeira dos Lourenços, tendo acesso através do Bairro da Palhada.

Não devemos deixar de citar também que a cidade é cortada pela Estrada Imperial, novo empreendimento do Governo do Estado de Minas Gerais juntamente com o Estado do Espírito Santo.[8]

A Serra do Bom Jesus é frequentada tanto pelos habitantes locais quanto pelos turistas, tendo como via de acesso o Bairro Boa Vista.

Matipó possui ainda uma boa malha hoteleira e restaurantes.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 8. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  2. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. a b «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1 de julho de 2014» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2014. Consultado em 8 de janeiro de 2015 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  8. «Portal Caparaó - Rota Imperial»  Obtido em 27 de dezembro de 2010.

Ligações externasEditar