Abrir menu principal
Mauro Miranda
Deputado federal por Goiás
Período 01 de novembro de 1986 até 31 de janeiro de 1994
(2 mandatos consecutivos)
Senador do Brasil por Goiás
Período 01 de fevereiro de 1995 até 31 de janeiro de 2003
Dados pessoais
Nascimento 28 de fevereiro de 1941 (78 anos)
Uberaba, (MG)
Partido PMDB
Profissão Engenheiro
linkWP:PPO#Brasil

Mauro Miranda Soares (Uberaba, MG, 28 de fevereiro de 1941) é um engenheiro e político brasileiro.[1] Exerceu o cargo de Deputado Federal Constituinte em 1988 e de Senador de Senador do Brasil por Goiás de 1995 a 2003.[2]

Vida PessoalEditar

Filho de José Severino Neto e Diva Miranda Soares, se formou em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia do Triângulo Mineiro em 1963. Viajou para os Estados Unidos em 1964 para estudar treinamento e observação de pavimentação asfáltica. Em 1965 se tornou chefe de Serviços de Pavimentação e assistente da Diretoria de Estudos e Projetos, do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de Goiás, trabalhando em diferentes cargos, entre os quais o de Diretor da Divisão de Conservação do Órgão, no qual permaneceu de 1968 a 1969. Ele tanto cresceu na profissão que chegou a ocupar o cargo de Diretor-Geral, encerrando suas atividades em 1985.[1]

É irmão de Marcelo Miranda, que governou o Mato Grosso do Sul entre 1987 e 1980 e 1997 e 1991, além de ocupado o cargo de senador entre 1983 e 1987.

Nesse período realizou diversos cursos no exterior se especializando em sistemas de pavimentação e transportes.[1]

Carreira PolíticaEditar

Assim como seu irmão, Mauro Miranda se afiliou ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e foi eleito Deputado Federal Constituinte em novembro de 1986.[1] Entre suas diferentes atividades parlamentárias, ficou responsável pela subcomissão da Questão Urbana e Transporte.[2] Fez parte da Assembleia Nacional Constituinte como primeiro vice-presidente da Subcomissão dos Municípios e Regiões, da Comissão da Organização do Estado e suplente da Subcomissão da Questão Urbana e Transporte e da Comissão da Ordem Econômica. Em 1987, foi indicado pelo PMDB a fim de representá-lo no XIV Congresso do Partido Comunista da Romênia.

Era simpático às propostas do denominado Centrão, sendo a favor de pautas como mandado de segurança coletivo, turno ininterrupto de seis horas, aviso prévio proporcional, unicidade sindical, soberania popular, voto aos 16 anos, proibição do comércio de sangue e atribuição de um mandato de cinco anos ao então Presidente da República José Sarney, empossado após Tancredo Neves falecer antes do pleito.

Votou contra outras questões, como a pena de morte, o rompimento de relações diplomáticas com países com políticas de discriminação racial, a jornada de 40 horas semanais, a pluralidade sindical, a nacionalização do subsolo, a estatização do sistema financeiro, o presidencialismo, o aborto, a criação de um fundo de apoio à reforma agrária, a legalização do jogo do bicho e a desapropriação da propriedade produtiva.

Passou a participar dos trabalhos legislativos com a promulgação da nova Carta Constitucional em 1988, tornando-se titular das Comissões de Transportes entre 1989 e 1990, ano de sua reeleição.[1]

Foi vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Fernando Collor, então presidente do Brasil, em 1992. Foi a favor do processo de Impeachment de Collor, que acabou com o título de Presidente da República passado para Itamar Franco, vice de Fernando Collor.[1]

Mauro Miranda deixou a Câmara dos Deputados em 1994, quando foi eleito Senador pelo estado de Goiás. Em 1995 tornou-se vice-líder do primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso no Senado.

Como Senador, votou a favor da da emenda da reeleição para presidente da República, governadores e prefeitos, em 1997.[1] Também foi favorável à abolição do monopólio estatal nas telecomunicações, na distribuição do gás canalizado pelos estados e na exploração do petróleo. Ao longo do mandato, Mauro foi titular das comissões de Assuntos Sociais e Serviços de Infra-Estrutura. Permaneceria como senador até 2003, cumprindo seu mandato por inteiro.

Em 2005, recebeu o título de presidente do Departamento de Estradas e Rodagem/Companhia de Pavimentação de Goiânia.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «MAURO MIRANDA SOARES | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 1 de outubro de 2018 
  2. a b «Conheça os Deputados». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 1 de outubro de 2018