Abrir menu principal

Uberaba

município brasileiro do estado de Minas Gerais
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Uberaba (desambiguação).

Uberaba é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localizado no Triângulo Mineiro, a 481 km a oeste da capital estadual, sua população estimada em 2018 era de 330 361 habitantes, sendo assim o oitavo município mais populoso do estado.[3]

Município de Uberaba
"Capital Mundial do Zebu"
"Cidade das Sete Colinas"
Mata do Ipê, Manhattan Flat Service, Categral São Domingos, Vista aérea, Parque das Acácias, Univerdecidade(centro ao fundo).

Mata do Ipê, Manhattan Flat Service, Categral São Domingos, Vista aérea, Parque das Acácias, Univerdecidade(centro ao fundo).
Bandeira de Uberaba
Brasão de Uberaba
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 2 de março
Fundação 1820 (199 anos)
Emancipação 22 de fevereiro de 1836 (182 anos)
Gentílico uberabense[1]
Lema Indefesse pro Brasilia!
"Incansável na defesa do Brasil"
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Abadia
Prefeito(a) Paulo Piau Nogueira (MDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Uberaba
Localização de Uberaba em Minas Gerais
Uberaba está localizado em: Brasil
Uberaba
Localização de Uberaba no Brasil
19° 44' 52" S 47° 55' 55" O19° 44' 52" S 47° 55' 55" O
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária

Uberaba IBGE/2017[2]

Região imediata

Uberaba IBGE/2017[2]

Municípios limítrofes Água Comprida, Conceição das Alagoas, Uberlândia, Veríssimo, Indianópolis, Nova Ponte, Sacramento, Conquista e Delta (em MG);
Igarapava, Aramina e Miguelópolis (em SP)
Distância até a capital 481 km
Características geográficas
Área 4 523,957 km² [1]
População 330 361 hab. (MG: 8º) –  estatísticas IBGE/2018[3]
Densidade 73,02 hab./km²
Altitude 823 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,772 (MG: 14°) – alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 12 524 596,25 mil IBGE/2015[5]
PIB per capita R$ 38 881,05 IBGE/2015[5]
Página oficial
Prefeitura www.uberaba.mg.gov.br
Câmara www.camarauberaba.mg.gov.br

Conhecida por ser a que mais investe em pesquisas e criação do gado Zebu[6], também notável por ter sido residência do médium espírita Chico Xavier e onde encontra-se enterrado. O nome da cidade surgiu através de um rio que corta a região e que traduzido da língua Tupi significa: ''Água cristalina''.[7]

Índice

HistóriaEditar

Na época da chegada dos primeiros exploradores de origem europeia (bandeirantes provenientes de São Paulo[8]), o atual território do município de Uberaba, assim como uma vasta região que compreendia os atuais Triângulo Mineiro, sul de Goiás e leste de Mato Grosso do Sul, era habitado pelos índios da etnia panará, do tronco linguístico Macro-Jê. Os panarás eram, erroneamente, chamados de caiapós (grupo que habitava territórios mais ao norte do Brasil) pelos bandeirantes. Estudos antropológicos realizados no século XX demonstraram esse equívoco.

Na terceira década do século XVIII, com a abertura da chamada Estrada de Goiás pelo bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva (conhecido como "Segundo Anhanguera"), iniciaram-se os atritos entre os panarás e os tropeiros e colonos que circulavam entre São Paulo e as novas minas de Goiás. Com isso, o governador de São Paulo contratou o bandeirante Antônio Pires de Campos, na ocasião residente em Cuiabá, para a tarefa de expulsar os panarás da região do atual Triângulo Mineiro.

Na década de 1740, acompanhado por um "exército" de cerca de 500 índios (em sua maioria, bororos e parecis), Pires de Campos combateu os panarás e os subjugou violentamente. Em seguida, ao longo do trecho da estrada situado entre os rios Grande e Paranaíba, criou 18 aldeias para alojar seus aliados índios. Aldeados, esses índios tornaram-se guardiões da Estrada de Goiás, protegendo os viajantes dos temidos panarás. Por cerca de meio século, os índios de Pires de Campos foram os únicos habitantes da região hoje ocupada pelo município de Uberaba, naquela época conhecida como "Sertão da Farinha Podre".

A efetiva colonização da região por populações de origem europeia só teve início no final do século XVIII, com a concessão de algumas sesmarias, concedidas pela Capitania de Goiás, dentre elas, a Fazenda das Toldas concedida a Tristão de Castro Guimarães, e as Fazendas Santo Inácio, Ponte Alta e Bebedouro, concedidas, em 1799, ao tenente Joaquim da Silva e Oliveira, todas ao sul da atual cidade de Uberaba.[9]

O arraial de Uberaba foi fundado em 1809, pelo sargento-mor comandante da Companhia de Ordenanças do Distrito do Julgado do Desemboque da Capitania de Goiás, Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira.[10] Anteriormente a Eustáquio, o cargo de comandante do Distrito do Desemboque fora ocupado por seu irmão, o capitão-general José Manuel da Silva e Oliveira. O Julgado do Desemboque correspondia ao atual Triângulo Mineiro menos a região de Araxá, que foi elevada a julgado, em 1811, desmembrada do Julgado do Desemboque.

A primeira casa da atual Uberaba, construída pelo sargento-mor Antônio Eustáquio, localizava-se na atual esquina da Praça Rui Barbosa com a Rua Artur Machado, do lado esquerdo de quem desce a Rua Artur Machado.

O sargento-mor Antônio Eustáquio era oriundo do Distrito de Glaura, pertencente à antiga Vila Rica, atual Ouro Preto, onde seu pai, João da Silva de Oliveira, fora vereador por três mandatos na época da Inconfidência Mineira e capitão-comandante de Glaura.

O sargento-mor Antônio Eustáquio, buscando desbravar novas terras na região, realizou duas entradas pelo Sertão da Farinha Podre e foi também fundador, entre os anos de 1810 e 1813, do arraial denominado Nossa Senhora do Carmo dos Morrinhos, atual município de Prata.

Da família fundadora do Uberaba, sargento-mor Antônio Eustáquio, seus irmãos e primos, o descendente mais ilustre é o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, tetraneto do capitão-general José Manuel da Silva e Oliveira.

Uberaba surgiu pela migração de "geralistas", como eram chamados os habitantes das Minas Gerais na época do Brasil Colônia, os quais deixaram as já esgotadas regiões produtoras de ouro, porém fracas para agricultura, da Capitania de Minas e de Goiás (Desemboque), em busca de terras férteis para se estabelecerem como agricultores e pecuaristas.[11]

Entre estes pioneiros, além dos Silva e Oliveira, estavam, entre outros, os Rodrigues da Cunha originários da Vila de Queluz, atual Conselheiro Lafaiete,[12] e os Bernardes da Silveira, Rodrigues Gondim e Alves Gondim vindos de Formiga (Minas Gerais).

O local onde se instalou o Arraial de Uberaba, inicialmente denominado Sertão da Farinha Podre, às margens do Córrego das Lages, foi escolhido por existirem, naquela área, formadas por seis colinas (Boa Vista, Estados Unidos, da Matriz, Cuiabá, Barro Preto e a colina da Misericórdia), grande quantidade de nascentes de córregos no alto destas colinas. Sendo que as primeiras "moradas de casas", como se dizia na época, foram construídas próximas às nascentes destes córregos.

As terras do novo arraial pertenciam à Fazenda das Toldas, ainda existente, e foram doadas, em 1812, por seu proprietário Tristão de Castro Guimarães.

O "Arraial" de Uberaba, na época pertencente ao Julgado do Desemboque, Capitania de Goiás, foi elevado à condição de "distrito de índios" em 13 de fevereiro de 1811.

Em 1816, a região do Triângulo Mineiro, que, na época, compreendia o Julgado do Desemboque (onde Uberaba se encontra) e o Julgado do Araxá, deixou de pertencer à Capitania de Goiás e foi anexada à Capitania de Minas Gerais.

Estes dois julgados (Desemboque e Araxá) ficaram pertencendo à Vila e comarca de Paracatu do Príncipe. A comarca de Paracatu foi criada em 1815.

O sargento-mor Eustáquio pediu e conseguiu, de dom João VI, a elevação de Uberaba à categoria de freguesia em 2 de março de 1820 com o nome de Freguesia de Santo Antônio e São Sebastião do Uberaba, desmembrada da Freguesia do Desemboque.

Devido a este fato de importância histórica, se instituiu, oficialmente, como a data em que se comemora o aniversário de Uberaba, 2 de março.[13]

Em 1831, foi criada a Vila de Araxá, da qual Uberaba fez parte até sua emancipação política em 1836.

Na década de 1830, o escritor Bernardo Guimarães residiu em Uberaba.

O sargento-mor Antônio Eustáquio foi o líder político de Uberaba até sua morte em 1832, quando assumiu o seu lugar, seu irmão Capitão Domingos da Silva e Oliveira que foi o líder político de Uberaba até sua morte em 1852, e, que conseguiu, em 1836, a emancipação política de Uberaba, então pertencente à Vila de Araxá. O Capitão Domingos havia trabalhado, também, em 1831, para a elevação de Araxá à categoria de vila.

Em 22 de fevereiro de 1836, pela lei mineira número 28, Uberaba foi elevada à categoria de município, a Vila de Uberaba, desmembrando-se de Araxá. Em 7 de janeiro de 1837, é instalada a Câmara Municipal, tomando posse os primeiros vereadores, tendo o Capitão Domingos como seu primeiro presidente. Esta lei número 28 também extinguiu o julgado do Desemboque e o anexou ao município de Araxá.

Em 1840, Uberaba é elevada à categoria de comarca, a Comarca do Paraná, desmembrada da comarca de Paracatu.

Uberaba é elevada da categoria de vila à categoria de cidade em 2 de maio de 1856.

Uberaba, na Guerra do Paraguai, foi passagem das tropas federais, e recebeu o Visconde de Taunay, que assim descreveu a paisagem ao redor de Uberaba:

Inúmeros regatos, córregos, ribeirões e possantes rios, semeado de flores, com um sem número de pássaros, aves e animais, todos esquivos e que mal se enxergam escondidos nas matas e capões, inçados de cobras de veneno virulentíssimo, cascavéis, jararacuçus, urutus, todas ariscas, fugitivas, e que só causam dano quando se tem a infelicidade de pisá-las e magoá-las.


O Visconde de Taunay homenageou Uberaba em seu livro "Inocência", colocando, como personagem do livro, o músico, e depois único deputado estadual uberabense no Segundo Reinado, Antônio Cesário da Silva e Oliveira.

Na década de 1870, criadores de Uberaba introduziram, no Brasil, o gado zebu trazido da Índia.

A sessão da Câmara Geral, atual Câmara dos Deputados, na cidade do Rio de Janeiro, do dia 10 de maio de 1886, foi quase toda dedicada às tumultuadas eleições para deputado, ocorridas em Uberaba, em 15 de janeiro de 1886. Depois de muito debate, a Câmara Geral deliberou por anular as eleições de Uberaba.[14]

Em 1889, chegam, a Uberaba, os trilhos da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro. A autorização para prolongar a Mogiana até Uberaba foi dada pelo decreto imperial nº 8 888 de 17 de fevereiro de 1883.

Em 1899, é criado o "Clube Lavoura e Comércio" com o objetivo de defender a lavoura e a pecuária, combatendo os altos impostos e as interferências do novo governo republicano na atividade rural. É lançado o jornal "Lavoura e Comércio" que, em seu primeiro número, ocupando toda sua primeira página, expõe os ideais dos ruralistas do Triângulo Mineiro.

Na década de 1890, iniciou sua carreira de engenheiro agrimensor e de político do PRM, em Uberaba, o depois ministro da guerra e historiador Pandiá Calógeras.[15][16]

 
Antiga Rua do Comércio em 1930, atual Arthur Machado. [17]

Em 1905, é inaugurada a energia elétrica na cidade. São Antônio e São Sebastião deixaram de ser os padroeiros da cidade em 1905, quando criou-se a Catedral de Uberaba e a Paróquia da Matriz mudou de nome.

Viveu, em Uberaba, uma neta de Tiradentes, nascida em março de 1819. Seu nome era Carolina Augusta Cesarina, e faleceu em Uberaba com 86 anos de idade, em 30 de setembro de 1905.[18]

Em 1906, têm início as exposições de gado bovino. Exposições que foram muito prestigiadas por Getúlio Vargas da década de 1930 à década de 1950.

Em 29 de setembro de 1907, é criada a Diocese de Uberaba, elevada à categoria de arquidiocese e sede metropolitana em 14 de abril de 1962.

Na década de 1910, advogou, em Uberaba, o depois vice-presidente da república Fernando de Melo Viana.

Durante a Revolução de 1924, uma comissão de líderes políticos uberabenses encontra, em Mogi Mirim, o líder tenentista João Cabanas e lhe oferece dinheiro, armas e tropas para que ele e a sua coluna, chamada Coluna da Morte, rumarem para o Uberaba, onde Cabanas proclamaria a criação do "Estado do Triângulo", antiga reivindicação da região, e partirem, em seguida, para Belo Horizonte, para depor o governo mineiro. O tenente João Cabanas conta, em seu livro "A Coluna da Morte", que aceitou a proposta, mas, enquanto fazia os preparativos para a partida para Uberaba pela Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, chegaram ordens do comando revolucionário para a Coluna da Morte partir em retirada para o atual Mato Grosso do Sul.

Durante a presidência de Artur Bernardes, 1922–1926, o uberabense Alaor Prata foi o prefeito da cidade do Rio de Janeiro.

Durante a Revolução de 1932, foram travados combates entre mineiros e paulistas na fronteira com o estado de São Paulo, na "Ponte do Delta", que ligava Uberaba ao estado de São Paulo. Uberabenses, liderados por Roberto de Genari, constroem um carro blindado para enfrentar os paulistas na "Ponte do Delta".

Na década de 1940, começam a serem encontrados fósseis de animais pré-históricos na região da antiga Estação de Trem de Peirópolis. Nesse período, a cidade se reurbanizou através de um conjunto de obras públicas e empreendimentos de iniciativa privada, como o cine Metrópole, o Jóquei Clube e os edifícios da Faculdade de Odontologia do Triângulo Mineiro, criada por Mário Palmério.[19]

Em 1946, o escritor Monteiro Lobato passou por Uberaba e fez um discurso da campanha O Petróleo é Nosso. Sobre isso, escreveu:

[20]

Durante a elaboração da Constituição de 1946, nos debates da Assembleia Nacional Constituinte, o deputado federal mineiro Juscelino Kubitschek propõe a construção da nova capital do Brasil no Triângulo Mineiro.

Em 10 de setembro de 1950, Getúlio Vargas, em sua campanha para presidente da república, faz um discurso em Uberaba em defesa da pecuária. Lembrando sua condição de pecuarista, Getúlio diz:

Em 24 de abril de 1952, ocorre uma revolta em Uberaba contra os altos impostos cobrados pelo governo estadual chefiado por Juscelino Kubitschek. O edifício da Coletoria Estadual é destruído, assim como os postos de cobrança de impostos nas entradas da cidade. A revolta só terminou com a chegada de tropas do 4º Batalhão de Caçadores, vindas de Belo Horizonte, de avião, e que ocuparam as ruas do centro de Uberaba portando metralhadoras. A revolta foi notícia no New York Times.[21]

Logo em seguida, procurando se reconciliar com os uberabenses, o governador Juscelino cria a Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro e a instala no edifício onde funcionava a Cadeia de Uberaba, na atual Praça Manuel Terra.

Em 1956, acontecem, em Uberaba, grandes comemorações em homenagem ao seu primeiro centenário de elevação à categoria de cidade.

Em 1957, a senhora Aparecida Conceição Ferreira, a "Dona Cida", funda o "Hospital do Fogo Selvagem", referência nacional no tratamento do pênfigo foliáceo.

Em 1959, fixa residência, em Uberaba, o médium Chico Xavier, que se tornaria o mais conhecido dos médiuns brasileiros.

 
Santuário de Nossa Senhora da Abadia, padroeira da cidade. [22]

A construção de Brasília deu um impulso ao desenvolvimento de Uberaba. Assim, em 1959, a lei federal nº 3 613, de 12 de agosto, assinada pelo presidente Juscelino Kubitschek, ordena que seja implantada e pavimentada, uma rodovia ligando Limeira a Brasília, passando por Uberaba (de São Paulo a Limeira já existia uma rodovia asfaltada). Em junho de 1961, o asfalto chega à divisa São Paulo-Minas Gerais, em Igarapava, e, em 1965, a pavimentação asfáltica da BR-050, entre Uberaba e Uberlândia, é inaugurada pelo presidente da república Humberto de Alencar Castelo Branco.

Na década de 1960, chega a televisão a Uberaba com a TV Uberaba.

Na década de 1970 em diante, começa a industrialização de Uberaba com os distritos industriais.

O primitivo território de Uberaba, que abrangia metade do Triângulo Mineiro, foi desmembrado várias vezes: a última vez foi na década de 1990, para se criar o município de Delta.

No século XXI, foi, finalmente, construída e entregue a nova ponte ligando São Paulo a Minas Gerais. Também foi duplicada a rodovia BR-050, que liga Delta a Uberaba.

Em 2008, Nossa Senhora da Abadia passa a ser a padroeira de Uberaba. Sua devoção em Uberaba, na década de 1870 e 1880, foi introduzida pelo alferes Antônio Carrilho de Castro, capitalista e vereador, e pelo capitão Eduardo José de Alvarenga Formiga, oriundos de Iguatama, onde Nossa Senhora da Abadia é a padroeira.

Documentos da história municipal de UberabaEditar

Transferência do Triângulo Mineiro à Capitania de Minas GeraisEditar

Alvará de 4 de abril de 1816:

"Eu, El Rei, faço saber aos que este meu alvará virem, que tendo creado a nova Comarca de Paracatú, assignando-lhe os limites, que me parecem próprios, na fórma do Alvará de 17 de maio do anno passado de 1815, e representando-me os povos da Campanha do Araxá, que comprehende os dous Julgados e Freguezias de S. Domingos e Desemboque, os grandes incommodos que supportam em viverem sujeitos à Capitania e Comarca de Goyaz, cuja Capital lhes fica em distância de mais de 150 léguas, sendo lhes penosos os recursos, de que frequentemente necessitam; ao mesmo passo que estando elles sujeitos à Capitania de Minas Geraes e à Ouvidoria de Paracatú que lhes fica próxima, podem ser mais facilmente ouvidos e soccorridos nas suas dependencias, sem serem obrigados a desamparar as suas casas e culturas de suas terras, ficando também mais desembaraçados e promptos para se empregarem no meu real serviço: e querendo eu evitar-lhes tão penosos inconvenientes, e promover as comodidades daquelles povos, que, pela sua industria e digna aplicação à lavoura, se fazem dignos da minha real comtemplação;........Hei por bem separar e desannexar da Capitania e Comarca de Goyaz os ditos dous Julgados e Freguezias de S. Domingos do Araxá e Desemboque, com todo o território que lhes pertence; em mando que deste alvará em diante fiquem pertencendo à Capitania de Minas Geraes e à Comarca de Paracatú, fazendo parte dos limites desta....Dado no Rio de Janeiro a 4 de abril de 1816".

Criação da Freguesia de UberabaEditar

Decreto de 2 de março de 1820:

Cria uma freguesia no distrito de Uberaba (do tupi "água cristalina"), em Minas Gerais, com a invocação de Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba, e manda fundar uma capela curada na mesma Freguesia.

"…Sendo-me presente o grande desgosto que sofrem os colonos estabelecidos no Sertão da Farinha Podre, por se verem privados de socorro e pasto espiritual, sem que o possa obter com facilidade da Freguesia do Julgado do Desemboque, que dali dista mais de 60 léguas: Hei por bem que se estabeleça uma freguesia no distrito de Uberaba até a confluência do rio Paranaíba e rio Pardo, com a invocação de Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba, dividindo-se com a Capela de N. S. do Monte do Carmo, e com a Freguesia do Desemboque, por onde mais conveniente for. E Sou outrossim servido, que nesta nova Freguesia haja também uma capela curada, no lugar que mais convier, para comodidade dos habitantes que novamente se acham por ali estabelecidos. A Mesa da Consciência e Ordens o tenha assim entendido, e faça executar com os despachos necessários. Palácio do Rio de Janeiro em 2 de março de 1820.

Com a rubrica de Sua Majestade"

Nota 1: A dita "confluência do rio Paranaíba e rio Pardo", se refere à antiga divisa entre a Capitania de Goiás com a Capitania do Mato Grosso e a Capitania de São Paulo, a foz do atual Rio Pardo (Mato Grosso do Sul) com o rio Paraná.

Nota 2: a Capela de N. S. do Monte do Carmo é a atual Prata (Minas Gerais).

Criação da Vila de UberabaEditar

"Manuel Dias de Toledo, Presidente da Província de Minas Gerais: Faz saber a todos os seus habitantes que a Assembleia Legislativa Provincial decretou e eu sancionei a Lei seguinte:

Artigo 1- Fica elevado à Vila o arraial de Santo Antônio e São Sebastião de Uberaba, compreendendo no seu município a freguesia do mesmo nome e o distrito de Sacramento (Minas Gerais) da Freguesia do Desemboque, servindo de divisa pelo lado desta povoação a Lagoa dos Esteios e a linha do prolongamento da mesma lagoa até o Rio das Velhas ao Rio Grande.

Artigo 2- É suprimido o julgado do Desemboque, e a parte dele não compreendida no Município de Uberaba é incorporada ao de São Domingos do Araxá.

Artigo 3- Os habitantes do novo município são obrigados a construir à sua custa Casa para sessões da Câmara Municipal, Júri, uma cadeia segura conforme o plano que for determinado pelo governo; antes de verificar-se condição não terá lugar a execução desta lei".

Dada no Palácio do Governo,na Imperial cidade de Ouro Preto, aos vinte e dois de fevereiro 1836.

Nota: O Rio das Velhas citado é o atual rio Araguari (Minas Gerais).

Ata da Instalação do Município de UberabaEditar

"Ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil oitocentos e trinta e sete, décimo-sexto da Independência e do Império, aos sete dias do mês de janeiro do dito ano, neste Arraial de Santo Antônio e São Sebastião do Uberaba, Comarca do Rio Paracatu do Príncipe, Província de Minas Gerais, em nova Casa, construída pelos Cidadãos do novo Termo, para servir de Paço da Câmara, que vai se instalar, perante os novos vereadores, que hão de formar, eleitos na forma da Lei. E, em presença dos cidadãos que concorreram a este Ato, leu, o Capitão Domingos da Silva e Oliveira, o Ofício da Câmara Municipal da Vila do Araxá, pelo qual o convidava, como cidadão mais votado, a prestar juramento para Presidente da nova Câmara; E declarando que o tinha feito, leu a Certidão do mesmo juramento prestado a 20 de dezembro de mil oitocentos e trinta e seis. Leu a Portaria da Presidência da Província de Minas Gerais, de vinte de julho do dito ano, que ordena a execução da Lei Mineira número 28, que elevou este Arraial à Vila e que lhe marcou seus limites".

Nota: Esta citada casa, construída pelo Capitão Domingos da Silva e Oliveira, para servir de Casa de Câmara e Cadeia de Uberaba, ainda hoje, serve como Gabinete do Prefeito e de Câmara Municipal de Uberaba.

Política:Editar

Prefeito atual: Paulo Piau Nogueira - 2017 a 2020

GeografiaEditar

TopografiaEditar

Faz parte do Planalto Arenítico Basáltico da Bacia do Paraná. O relevo varia de plano ligeiramente ondulado na maioria absoluta de área do município, até fortemente ondulado em pequenas manchas de solos podzólicos. Seu relevo é 60% ondulado e 40% plano.

 
A cidade em um dia fechado.[23]

ClimaEditar

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a menor temperatura registrada em Uberaba foi de -2,2 ºC em 21 de julho de 1981, e a maior atingiu 40,7 ºC em 17 de outubro de 2014,[24] superando o recorde de 40,1 ºC em 31 de outubro de 2002.[25] O maior acumulado de precipitação em 24 horas atingiu 160,8 milímetros (mm) em 14 de novembro de 2016. Outros grandes acumulados iguais ou superiores a 100 mm foram 157 mm em 28 de março de 1991, 140,6 mm em 26 de novembro de 2017, 128,6 mm em 5 de fevereiro de 2008, 126,6 mm em 8 de abril de 2002, 109,2 mm em 3 de janeiro de 1997, 108,2 mm em 20 de maio de 2017, 107,8 mm em 18 de janeiro de 2003, 106 mm em 19 de outubro de 1978 e 103,6 mm em 1° de dezembro de 2017.[26] O mês de maior precipitação foi março de 2011, com 629,3 mm.[27]

Dados climatológicos para Uberaba
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 37,1 36,5 35,8 35,1 33,5 32,5 33,7 36,1 38,3 40,7 37 36,9 40,7
Temperatura máxima média (°C) 29,7 30,3 30,1 29,9 27,7 27,2 27,7 29,7 30,8 31,4 30,2 29,7 29,5
Temperatura média compensada (°C) 23,6 23,7 23,5 22,5 19,8 18,6 18,9 20,9 22,8 23,9 23,7 23,6 22,1
Temperatura mínima média (°C) 19,4 19,2 19 17,2 14 12,7 12,5 14 16,7 18,2 18,8 19,3 16,8
Temperatura mínima recorde (°C) 14,4 12,3 11,4 5,6 2,6 -0,2 -2,2 2,3 4,4 6,2 10,2 11,5 -2,2
Precipitação (mm) 323,7 238,2 234,6 88,7 45,3 16,6 9,7 20,1 54,6 137,8 180,2 287,2 1 636,7
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 19 16 16 7 4 2 1 2 6 9 13 18 113
Umidade relativa compensada (%) 80 78,3 79 74,2 72,2 68,7 60,8 51,5 56,8 62,1 70,9 76,6 69,3
Horas de sol 176 184,1 204 239,2 256,4 245,7 266,5 273,9 218,2 222,8 197,5 184,4 2 668,7
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[28] recordes de temperatura de 1961 a 1984 e a partir de 1989)[24][25]


EconomiaEditar

Nos dias atuais a cidade é um centro comercial dinâmico, com agricultura produtiva, comércio, e um importante parque industrial.

Pioneira na raça Zebu, recebe visitantes de várias regiões do Brasil e do Mundo durante as feiras realizadas na ABCZ (Associação Brasileira dos Criadores de Zebu) que ocorrem no 4º mês do ano. A mais famosa é a Expozebu, considerada a maior do mundo com prêmios disputados pelos melhores criadores. No ano, são realizadas feiras exclusivas para cada raça bovina: Mega Leite, ExpoGenética, Expoinel e por último a Expobrahman.

 
Terminal da VLI em Uberaba[29].

A cidade também abriga três distritos industriais instalados, onde se destaca várias empresas de importância no país: Vale Fertilizantes, Stanley Black & Decker, FMC Agrícola, Ouro Fino Agrociência, Yara Brasil Fertilizantes, Duratex, JBS Foods, Valmont, VLI Logística, Ambev, Mexichem, Magnesita, Mosaic, Logum, Bunge, Smurfit Kappa, Skala Cosméticos. Está na lista das 100 cidades do Brasil com melhores polos industriais. [30]

A cidade possui diversas redes supermercadistas dentre elas o Bretas Cencosud, Bahamas mix, Superatacado Makro, Atacado Martminas, e Walmart.

Inaugurado em 1999, O Shopping Center Uberaba possui faturamento anual de R$ 400 milhões, fluxo mensal de 750 mil consumidores, acomoda 1548 veículos, com 182 lojas incluindo salas de Cinema, Fast foods, Praça de Alimentação, Academia, dentre outros serviços. [31]

O Praça Uberaba Shopping foi inaugurado no dia 29 de Abril de 2015. Possui 148 lojas incluindo: academia, supermercado, cinemas, boliche, praça de alimentação, e estacionamento para 1600 veículos. Área bruta locável: 29.862 m². [32]

No centro da cidade há presença de grandes redes nacionais de eletrodomésticos e confecções como: Pernambucanas, Ricardo Eletro, Eletrosom, Lojas Cem, Magazine Luiza, Casas Bahia, além de serviços diversos como Fast Foods (Habib's), Sorveterias, Perfumarias (O Boticário), Varejo (Lojas Americanas) , Serviços de Telefonia, Casa e decoração, Confecções, Bugingangas, Vestuário, etc.

 
O Shopping Center Uberaba, completa 20 anos de inauguração em 2019.[33]

[34]

Possui nos serviços como sua principal atividade econômica, representando cerca de metade da produção da riqueza municipal.


Indicadores:

IDH: 0,772 (2010) [35]

PIB: R$ 13.453.594.031,00 (2016) [36]

PIB per capita: R$ 36.403,22 (2014) [37]

Nº de empresas ativas: 34.166 (2016) [38]

TurismoEditar

A crença religiosa atrai diversas pessoas para o município, que também recebe um grande número de visitantes que buscam vários objetivos.

O museu do médium Chico Xavier é um dos locais mais procurados. Atrações como os museus de Arte Decorativa (MADA), Museu do Zebu, Museu de Arte Sacra, o Museu dos Dinossauros, o Mercado Municipal, Nossa Senhora da Abadia, a Catedral Metropolitana do Sagrado Coração de Jesus, A Igreja da Medalha Milagrosa, Arquidiocese de Uberaba, Santa Terezinha do Menino Jesus, e a Casa da Prece de Chico Xavier são algumas das opções culturais de entretenimento. A cidade é sede da Academia de Letras do Triângulo Mineiro. [39]

Cidades-irmãsEditar

Uberaba possui duas cidades irmãs, que foram associadas em 2011:

DemografiaEditar

Etnias:

  • Amarelos : 2.700 (0,91%)
  • Brancos : 183.150 (61,88%)
  • Indígenas : 405 (0,14%)
  • Pardos : 82.757 (27,96%)
  • Pretos : 26.976 (9,11%)

Total : 295.988 (100%) [40]

Fonte: IBGE 2010.


Infraestrutura:Editar

Fontes: IBGE 2017.

Meios de Transporte:Editar

AeroportoEditar

O Aeroporto de Uberaba - Mario de Almeida Franco, foi inaugurado em 1935, e ampliado recentemente para a capacidade de 200 mil passageiros/ano. Conta com voos diários para São Paulo (Guarulhos), Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro, Araxá, Uberlândia, Ribeirão Preto, Araguaína e Belém.

Atualmente é servido com as aeronaves ATR-42 e ATR-72.

Transporte coletivoEditar

O sistema de transporte coletivo de Uberaba é prestado sob contrato de concessão por duas empresas: Viação Piracicabana e Líder Itamarati, operando com 62 linhas, sendo 57 urbanas e 5 rurais, além das linhas intermunicipais não integradas para Delta-MG, Veríssimo-MG, Água Comprida-MG, Conceição das Alagoas-MG, Ituverava-SP, Igarapava-SP, Aramina-SP. Atualmente a frota diária de ônibus na cidade é de 200 carros para atender a demanda.

A cidade atualmente possui 4 terminais urbanos:

  • Terminal Oeste - Localizado na Avenida Leopoldino de Oliveira na entrada da Univerdecidade.
  • Terminal Leste - Localizado na Av. Niza Guaritá, na entrada do bairro Manoel Mendes
  • Terminal Sudeste - Localizado na Av. Bandeirantes, no bairro Parque das Gameleiras.[41][42]
  • Terminal Sudoeste - Localizado na Av. Juca Pato, na entrada do bairro Beija-Flor II[43]
Rodovias:
  • BR-262 (Uberaba/Araxá -Uberaba/Campo Florido)
  • BR-464 (Liga Conquista a BR 050)
  • BR-050 (Uberaba/Uberlândia/Brasília -Uberaba/São Paulo totalmente duplicada)
  • MG-190
  • MG-798
  • MG-427 (Uberaba/Agua Comprida - Uberaba/Nova Ponte).

Saúde:Editar

A Santa Casa de Misericórdia de Uberaba (atual Hospital Escola-UFTM) foi fundada em 1858 pelo Frei Eugênio Maria de Gênova, foi até então a única instituição de saúde na cidade e região.

 
Atual sede da UFTM (Inicialmente A Santa Casa de Misericórdia).

[44]

Anos mais tarde outras instituições seriam abertas onde pode-se destacar:

  • O Sanatório Espírita de Uberaba (1928)
  • O Hospital da Criança (1935),
  • O Hospital da Associação de Beneficência Portuguesa (1947)
  • O Hospital Santa Cecília (1955),
  • O Hospital  Dr. Hélio Angotti (1961),
  • Hospital e Maternidade São Domingos (1960).  


Apesar  do  desenvolvimento,  consolidação  e  importância  de  outros  centros  urbanos  que contam com assistência hospitalar próximos a Uberaba, como Uberlândia e Ribeirão Preto, a cidade se  mantém  até  hoje  como  um  importante  centro  de  referência  hospitalar  na  região.[45]

O Hospital Escola (HC-UFTM) atende 27 municípios que compõem a macrorregião Triângulo Sul do Estado de Minas Gerais como único hospital que oferece atendimento de alta complexidade possuindo 302 leitos ativos, sendo 20 de UTI infantil, 10 de UTI adulto e 10 de UTI coronariano, além de 14 salas de cirurgia. O Pronto Socorro conta com 32 leitos, 5 anexos, totalizando 180 consultórios. [46]

Em 2014, é inaugurado o Hospital Universitário Mário Palmério, contando com 38 especialidades médicas, 220 leitos, capacidade para cerca de 4,500 consultas por mês, e pronto-atendimento de 24h nas áreas de clínica médica, clínica cirúrgica, pediatria, ortopedia e ginecologia e obstetrícia. [6]

Outros hospitais na cidade de importante relevância: Hospital do Pênfigo (Fogo Selvagem), Instituto Uberabense de Cardiologia (Hospital São Marcos), Hospital São Paulo, Hospital São José, Hospital Santa Lúcia, Hospital Regional José de Alencar.

ComunicaçõesEditar

A cidade conta com vasta quantidade canais de televisão aberta sendo algumas com emissoras na cidade(Band Triângulo, TV Universitária, TV Alterosa e TV Integração) e operadoras de TV por assinatura como NET, Sky, Embratel, OiTV e TV Filme. Os canais abertos são sintonizados:


Em relação à rádios, Uberaba foi uma das pioneiras em minas a iniciar a transmissão de rádio. Há 40 anos conta com a rádio 7 colinas em AM e FM. Recentemente foi reinaugurada a Rede Jovem Pan FM (a maior rede de rádio do país) após mais de uma década sem operação na cidade.

Sintonia em AM:

  •    AM 630 - Rádio JM Difusora (Bandeirantes)
  •    AM 670 - Rádio Uberaba
  •    AM 1120 - Rádio Sete Colinas


Sintonia em FM:


A cidade possui 4 estúdios de TV aberta, que é transmitido no triângulo mineiro, centro-oeste Mineiro, Sul de Minas, pontal do triângulo e algumas cidades do estado de Goiás e São Paulo . Entre esses estúdios estão o da Globo (TV Integração), da BAND (Band Triângulo), SBT (TV Alterosa) e TV Universitária . Os dois primeiros, são grandes estúdios onde trabalham os melhores profissionais do estado. O sinal da imagem é em ótima definição.

Rede telefônica

  •    Oi Uberaba-Matriz regional e 7 Lojas
  •    Tim- matriz regional e 6 Lojas
  •    Claro Uberaba- Matriz regional e 5 Lojas
  •    Vivo- Matriz regional e 7 Lojas
  •    CTBC Uberaba- 5 Lojas
  •    Nextel- 1 Loja

EducaçãoEditar

O município é considerado um polo educacional, ofertando instituições universitárias públicas e particulares que incluem centros de pesquisas e extensão, e eventos periódicos com artistas musicais. [7]

As universidades e faculdades de Uberaba são:

  

Ensino á distância:

  •    UNOPAR - Universidade Norte do Paraná
  •    UNIPAR - Universidade Padre Antonio Rocha
  •    UNIFRAN- Universidade de Franca


Quantidade de alunos matriculados em Instituições:

  • Estadual: 35.710
  • Municipal: 26.142
  • Federal: 20.648
  • Particular: 6.832

CulturaEditar

Uberaba possui vários Teatros, dentre os maiores se destaca o Teatro Municipal Vera Cruz.

A Biblioteca Municipal Bernardo Guimarães que tem mais cem anos de história, oferece anfiteatros e salas de aula.

Junto a Biblioteca está a sede da Academia de Letras do Triângulo Mineiro.

ParquesEditar

  • Mata do Ipê - Parque com arborização densa incluindo espécies como Aroeira, Pau-ferro, Paineira, Jatobá e Bálsamo. Possui trilhas de pedra tapiocanga, cascatas, lagos, etc. Área de aproximadamente 35.000 m².
  • Parque Jacarandá (Zoológico de Uberaba) - Com uma área de 33.000 m² abriga espécies de aves e animais do cerrado: lobo guará, jabuti, jaguatiricas, macacos e outros.
  • Mata do Carrinho - Mata nativa rica. Possui uma área de 133.000 m². Possui vasta variedade de orquídeas raras.
  • Parque das Acácias - Parque com área de 120.000 m², espaço de lazer com pista de caminhada, quadras de esporte, parque infantil, pista de skate e quiosques.
  • Univerdecidade - área entre o perímetro urbano e rural com pista de caminhada, Centro Olímpico, pista de skate, kartódromo, pista de motocross, pista de aeromodelismo, ciclovias e trilhas para a prática de mountain-bike.


 
Panorâmica do Parque das Acácias.


MuseusEditar

EventosEditar

Expozebu

Foi fundada em 1934 e é uma das principais atrações turísticas de Uberaba. A Expozebu (maior exposição de gado zebu do mundo) se realiza anualmente no mês de maio, atraindo pessoas de várias partes do país e do exterior. Além de atrações como Rodeios, Shows musicais e a própria exposição, serve como ponto de encontro da cadeia produtiva da carne e do leite. Reúne mais de 3 mil animais das raças zebuínas – nelore, nelore mocho, gir, guzerá, tabapuã, indubrasil e sindi – que são julgados e premiados. Publica uma revista bimestral, e organiza cursos, congressos e seminários.


Axé Uberaba

Realiza-se, no segundo semestre, o Axé Uberaba, um dos maiores eventos do gênero no Brasil com dois dias de festas, geralmente no mês de outubro.

O Axé Uberaba tem uma grande estrutura com camarote, área do bloco e espaço para a pipoca.

CIA - Copa Inter Atleticas [49]

CIA são disputas esportivas, em 23 modalidades, que reúnem equipes universitárias, de 72 Associações Atléticas Acadêmicas (AAA), de sete estados. As modalidades disputadas na CIA são atletismo, basquete, futebol de campo, futsal, handebol, jiu-jítsu, judô, natação, peteca, tênis de campo, tênis de mesa, vôlei e xadrez, nas categorias Masculino e Feminino. Todos os competidores, incluindo atletas campeões, integram as Associações Atléticas Acadêmicas (AAA). Cada curso universitário tem a sua atlética, que promove e coordena treinos e campeonatos, assim como comemorações

Feirarte

Centenas de expositores realizam esta feira, comercializando artesanato em geral, artigos de decoração, vestuário, acessórios e alimentos. São realizados ainda shows com artistas locais.

UberabãoEditar

O Estádio Municipal Engenheiro João Guido, mais conhecido como Uberabão, foi inaugurado Inaugurado em 1972, Serve como palco de eventos culturais na cidade, diversas competições, entre elas, os jogos dos campeonatos oficiais da Federação Mineira de Futebol e da Liga Uberabense de Futebol.

ReligiãoEditar

 
Santuário da Medalha Milagrosa em Uberaba.

É uma cidade muito religiosa, o catolicismo, o espiritismo e protestantismo são as mais praticadas. Na cidade é muito tradicional as Folias de Reis, O Santuário da Medalha Milagrosa, e a Festa da Nossa senhora da Abadia, que em 2007 tornou-se a padroeira de Uberaba.

Existem aproximadamente 700 Testemunhas de Jeová em Uberaba, divididas em 11 congregações sendo uma em Libras. Existe atualmente 9 Salões do Reino nos quais estão divididas todas as 11 congregações.[carece de fontes?]

Existem cerca de 5.200 Mórmons em uberaba. Sendo 16 capelas dividas em 2 estacas. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos Dias, chegou a cidade em 1978.

População Residente por religião em 2010:


Igreja da Medalha Milagrosa:Editar

O Santuário da Medalha Milagrosa, como é popularmente conhecido, é um das referências do circuito turístico de caráter religioso da cidade. Embora, Nossa Senhora da Medalha Milagrosa não seja a padroeira oficial de Uberaba, a santa, diariamente, recebe muitos visitantes e, na data da consagração, dia 27 de novembro, a Igreja recebe visitantes de todo o país.

Anteriormente, o pequeno mosteiro e a capelinha funcionavam no final da rua Afonso Rato (próximo à Fazenda Modelo). Em 1958, com a iniciativa de vários beneméritos, iniciou-se a construção do Mosteiro e do Santuário. No ano de 1961, muito importante para os devotos, em 7 de janeiro, foi inaugurado o Mosteiro e, em 26 de novembro, o Santuário. Em 2011, o local completou 50 anos e é uma importante referência religiosa e cultural da cidade de Uberaba. [50]

Nossa Senhora D'Abadia – Padroeira de Uberaba:Editar

A devoção à Nossa Senhora da Abadia tem início em Uberaba, em 1881, quando o Capitão Eduardo José de Alvarenga Formiga solicita à Câmara Municipal a doação de um terreno no Alto da Misericórdia para construção de uma capela em homenagem a Nossa Senhora D' Abadia, conhecida, em Portugal, como Santa Maria do Bouro.

O Capitão Alvarenga Formiga e o Alferes Antônio Carrilho de Castro, moradores da rua Capitão Domingos, no atual Alto da Abadia ou da Misericórdia, eram oriundos de Iguatama onde o padroeiro é Nossa Senhora da Abadia, trazendo então a devoção a esta santa para Uberaba. Os esteios de madeira que sustentavam a primeira igreja da abadia foram trazidos pelo Alferes Carrilho de sua fazenda "Batista e Policardo".

131 anos depois em seu belo e majestoso Santuário, administrado pelos Missionários Estigmatinos, a Senhora D'Abadia é venerada e amada por milhares de fiéis e devotos que durante todo ano, especialmente na primeira quinzena de agosto, aportam rogando graças e agradecendo favores.

Houve na Abadia uma mina de água, com propriedades milagrosas, segundo testemunhas da época, a fonte de água secou no momento em que uma mulher lavou um cão em suas águas.

Na Alvorada de 15 de agosto a praça em frente ao Santuário fica repleta de gente para agradecer, rezar, pedir e reafirmar o seu compromisso como cristão. Às 5 horas da manhã aproximadamente 5 mil pessoas já estão no Santuário para louvar Nossa Senhora D' Abadia. Durante todo o dia mais de 150 mil pessoas passam pela igreja, havendo missas de hora em hora das 6 às 17 horas.[carece de fontes?]

Nossa Senhora D'Abadia é a padroeira oficial da cidade através de ato decretado pela Lei 10.196 de 15 de agosto de 2007 e reconhecida pela Igreja Católica Romana e também Padroeira da Arquidiocese de Uberaba.

Francisco Cândido Xavier, Chico Xavier:Editar

 Ver artigo principal: Chico Xavier
 
Casa de Chico Xavier [51]

Médium nascido em 2 de abril de 1910 em Pedro Leopoldo-MG e radicado em Uberaba desde 1959. Faleceu a 30 de junho de 2002, “em um dia de grande alegria para o povo brasileiro”, conforme houvera prometido em vida (Dia em que o Brasil sagrou-se pentacampeão mundial de futebol em Yokohama, Japão).

De origem humilde, tornou-se mundialmente conhecido por sua obra espírita e pela atenção e carinho doados a todos os que o procuravam em busca de auxílio espiritual, na Casa da Prece. Mais de quatrocentos e cinquenta livros por ele psicografados já foram editados, alguns em vários idiomas. Codinomeado pela comunidade espírita como “O Consolador”.

No ano de 2000 foi eleito “O Mineiro do Século” em votação da Globo Minas, e o Governo do Estado de Minas Gerais instituiu a “Comenda da Paz Chico Xavier”, outorgada anualmente a pessoas ou entidades que trabalham pela paz. Em 3 de Outubro de 2012 foi considerado por voto popular, na emissora de televisão SBT, "O Maior Brasileiro de Todos os Tempos".

Seu primeiro livro, Parnaso de Além-Túmulo, com 256 poemas atribuídos a poetas mortos, entre eles os portugueses João de Deus, Antero de Quental e Guerra Junqueiro, e os brasileiros Olavo Bilac, Castro Alves e Augusto dos Anjos, foi publicado pela primeira vez em 1932. O livro causou muita admiração e polêmica nos círculos literários da época. O de maior tiragem foi Nosso Lar (que em 2010 já havia vendido mais de dois milhões de cópias), atribuído ao espírito André Luiz.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Uberaba». Consultado em 8 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 1 de outubro de 2018 
  2. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 1 de outubro de 2018 
  3. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2018). «Estimativas da população residente no Brasil e unidades da federação com data de referência em 1º de julho de 2018» (PDF). Consultado em 1 de outubro de 2018 
  4. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 26 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  5. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2015). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2015». Consultado em 1 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 1 de outubro de 2018 
  6. «Capital do zebu, Uberaba lidera produção de cana - Economia». Estadão. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  7. «Significado do nome Uberaba». Dicionário de Nomes Próprios. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  8. [1]
  9. PONTES, Hildebrando de Araújo, História de Uberaba e a Civilização do Brasil Central, Academia de Letras do Triângulo Mineiro, 1970
  10. BORGES SAMPAIO, Antônio, Uberaba, História, Fatos e Homens, Academia de Letras do Triângulo Mineiro, 1970
  11. Fonseca, André Azevedo da (16 de junho de 2014). «UMA HISTÓRIA SOCIAL DE UBERABA (MG) - doi: 10.5216/hr.v19i1.30523». História Revista. 19 (1): 197–235. ISSN 1984-4530. doi:10.5216/hr.v19i1.30523 
  12. [2]
  13. [3]
  14. http://imagem.camara.gov.br/dc_20b.asp  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  15. CARVALHO, Antônio Gontijo, "Calógeras", Companhia Editora Nacional, 1935
  16. [4]
  17. link, Gerar; Facebook; Twitter; Pinterest; E-mail; aplicativos, Outros. «UBERABA - DE ONTEM E DE HOJE - PARTE 5». Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  18. [5]
  19. Azevedo da Fonseca, André (2012). A construção do mito Mário Palmério: um estudo sobre a ascensão social e política do autor de Vila dos Confins. São Paulo: Editora Unesp. ISBN 9788539302680. doi:10.7476/9788539302680 
  20. MONTEIRO LOBATO, Conferências, Artigos e Crônicas, volume 15 de Obras Completas, página 41 e 42, Editora Brasiliense, São Paulo, 1959
  21. Reds Lead Brazil Tax Riot Spree That Causes Damage of $6,000,000; Income Tax Office and Other Buildings Are Wrecked in Minas Geraes Town, The New York Times, 26 de abril de 1952
  22. «Arquidiocese de Uberaba - Santuário de Nossa Senhora da Abadia». Arquidiocese de Uberaba. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  23. Fotos, Postado por Uberaba em. «"CHUVA NA MADRUGADA" EM UBERABA». Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  24. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (ºC) - Uberaba». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  25. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (ºC) - Uberaba». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  26. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Uberaba». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  27. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Uberaba». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  28. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 12 de maio de 2018 
  29. «TI Uberaba (MG)». VLI Logística. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  30. «Fiemg lança programa de reaproveitamento de recursos com indústrias dos distritos - Jornal da Manhã - 46 anos». www.jmonline.com.br. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  31. «Shopping Uberaba | Invista Aqui». www.shoppinguberaba.com.br. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  32. «ABRASCE». abrasce.com.br. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  33. «Shopping Uberaba | O Shopping». www.shoppinguberaba.com.br. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  34. Renato, Luiz (30 de novembro de 2017). «Promoção de Natal Shopping Uberaba traz presente exclusivo». Em todas. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  35. «Lista de municípios de Minas Gerais por IDH-M». Wikipédia, a enciclopédia livre. 3 de janeiro de 2019 
  36. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/uberaba/pesquisa/38/47001?tipo=ranking. Consultado em 8 de fevereiro de 2019  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  37. «21.12.2015 - PIB de Uberaba ganha 2 posições no país e se mantém na 6ª em MG». www.fjp.mg.gov.br. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  38. «Cidade de Uberaba | The Cities». www.thecities.com.br. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  39. «Academia de Letras do Triângulo Mineiro». academiadeletrastm.com.br. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  40. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/uberaba. Consultado em 8 de fevereiro de 2019  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  41. «Novo corredor do Sistema BRT/Vetor em Uberaba deve entrar em operação no dia 18 de agosto». G1.com 
  42. «Terminal Sudeste/Gameleiras é inaugurado» 
  43. «Em Uberaba, BRT/Vetor Sudoeste começa a funcionar no próximo sábado». G1 
  44. «Atual sede UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro) - Wikimapia». wikimapia.org. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 
  45. Lopes, Andreia de Freitas (31 de outubro de 2017). «Espaços de saúde na história da cidade de Uberaba: o hospital como patrimônio cultural». doi:http://dx.doi.org/10.14393/ufu.di.2018.1404 Verifique |doi= (ajuda) 
  46. «Hospital de Clínicas da UFTM». Wikipédia, a enciclopédia livre. 17 de fevereiro de 2018 
  47. «Institucional – CESUBE». Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  48. www.zoomwi.com.br, Zoom Agência Digital-. «FACTHUS - Faculdade de Talentos Humanos». FACTHUS - Faculdade de Talentos Humanos. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  49. «Uberaba sedia 4ª edição da Copa Inter Atléticas; evento deve movimentar R$ 9 milhões na cidade». G1. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  50. «Uberaba em Fotos». Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  51. «Casa do Chico Xavier (Museu) - Wikimapia». wikimapia.org. Consultado em 7 de fevereiro de 2019 

BibliografiaEditar

  • ______, A Igreja em Uberaba, Fundação Cultural de Uberaba, 1987.
  • FERREIRA, Orlando, Terra Madrasta, Tipografia do Brasil Central, Uberaba, 1928.
  • PONTES, Hildebrando de Araújo, A Família Silva e Oliveira, Uberaba, 1944.
  • PONTES, Hildebrando de Araújo, Vida, Casos, Perfis, Arquivo Público Mineiro, 1992.
  • PONTES, Hildebrando de Araújo, Uberaba e a civilização do Brasil Central, Uberaba, s/d.
  • MACEDO, José Felício Buarque de Macedo, A Verdade Histórico Jurídica a propósito das alegações finais sobre a Fábrica da Matriz de Uberaba, São Paulo, Escolas Profissionais Salesianianas, 1912.
  • NABUT, Jorge Alberto, coordenador, Desemboque Documentário Histórico e Cultural, Uberaba, 1986.
  • SAMPAIO, Antônio Borges, Uberaba; História Fatos e Homens, Editora A. L T Mineiro, Uberaba, 1971.
  • SILVA, Antonio José, Uberaba - historia topographica da Freguezia do Uberaba vulgo Farinha Podre, Edição Imprensa Oficial de Minas Gerais, Local de Publicação Ouro Preto, Revista do Arquivo Público Mineiro, Ano / Volume 01, Fascículo 2, Páginas 339-346, Data de publicação 1896, Mês abril/junho.
  • SOUZA, Iná, Fragmentos - Crônicas de Uberaba, Editora Imprensa Oficial de Minas Gerais, 1958.

Ligações externasEditar