Abrir menu principal

MetrôRio

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a empresa que opera as linhas 1, 2 e 4 do metrô do Rio de Janeiro. Para o sistema metroviário carioca, veja Metrô do Rio de Janeiro.
MetrôRio
Logo MetroRio.svg
Razão social Concessão Metroviária do Rio de Janeiro S.A.[1]
Privada
Indústria Concessionária de transportes
Fundação 1997
Sede Rio de Janeiro, RJ
 Brasil
Presidente Guilherme Walder Mora Ramalho
Website oficial www.metrorio.com.br

MetrôRio é uma empresa privada brasileira com sede no Rio de Janeiro concessionária responsável pela operação da Linha 1 (laranja) da Linha 2 (verde) e da Linha 4 (amarela).

Índice

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

Inicialmente construídas e operadas pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro a operação e manutenção das Linha 1 e Linha 2 do Metrô do Rio de Janeiro foi concedida em 9 de dezembro de 1997 à iniciativa privada, vencendo a empresa hoje batizada de MetrôRio. O controle de fato passou para a companhia em abril do ano seguinte.[2]

Pelo contrato a empresa seria responsável por operar o sistema e realizar a sua manutenção, enquanto a expansão da rede continuaria responsabilidade do estado, através da estatal Rio Trilhos, num contrato de 20 anos. Em dezembro de 2007, contudo, após metade desse período o governo estadual reeditou o instrumento, aumentando a concessão por mais 20 anos. Em contrapartida a MetrôRio teve de realizar um pacote de investimentos de cerca de R$1,5 bilhão.[2]

VendaEditar

Um ano depois, em dezembro de 2008, a MetrôRio mudou de mãos. Os acionistas principais à época, Citigroup Venture Capital (CVC), Investidores Institucionais Fundo de Investimento em Participações (IIFIP) e Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social (Valia) venderam por R$1 bilhão o controle da concessão para a Invepar, consórcio formado pela construtora OAS e pelos fundos de pensão dos funcionários do Banco do Brasil (Previ), da Caixa Econômica Federal (Funcef) e da Petrobras (Petros).[2]

Desde setembro de 2011 o presidente da MetrôRio é Flávio Medrano de Almada, ex-presidente da Barcas S.A., empresa responsável pela operação do sistema de barcas de passageiros da Baía de Guanabara.[3]

Referências

  1. 1 CONCESSÃO METROVIÁRIA DO RIO DE JANEIRO S.A. «COMUNICADO AO MERCADO» (PDF). Consultado em 7 de Setembro de 2015. 
  2. a b c Alberto Komatsu (31 de dezembro de 2008). «Citi vende controle do metrô do Rio por R$ 1 bilhão». Estadão. Consultado em 9 de fevereiro de 2014. 
  3. «Ex-presidente da Barcas S/A assume direção do Metrô Rio». Terra. 26 de setembro de 2011. Consultado em 15 de fevereiro de 2014. 


  Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.