Abrir menu principal

Metropolitan Railway e Metropolitan District Railway

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Metropolitan Railway (MetR) e o Metropolitan District Railway (District), em português, Caminho de Ferro Metropolitano, Estrada de Ferro Metropolitana ou Ferrovia Metropolitana; e Caminho de Ferro do Distrito Metropolitano, Estrada de Ferro do Distrito Metropolitano ou Ferrovia do Distrito Metropolitano foram os dois primeiros metropolitanos a serem construídos em Londres, a criação do primeiro sistema de metrô do mundo. Embora separados e independentes e, muitas vezes ferozes rivais, as histórias da MetR e do distrito estão indissociavelmente ligados através de sua construção conjunta do Inner Circle (agora a Linha Circle). Estes dois caminhos formaram a base do que viria a tornar-se conhecido como a rede do Metrô de Londres.

HistóriaEditar

Paddington à City, 1853–63Editar

  A ferrovia de 3,75 milhas (6 km) foi aberta ao público no sábado 10 de janeiro de 1863.[1] Havia estações em Paddington (Bishop's Road) (atual Paddington), Edgware Road, Baker Street, Portland Road (atual Great Portland Street), Gower Street (atual Euston Square), King's Cross (atual King's Cross St Pancras) e Farringdon Street (atual Farringdon).[2]

Extensões e o Inner Circle, 1863–84Editar

 
As City Widened Lines entre King's Cross e Moorgate Street e suas conexões. A curva leste ao sul da LC&DR foi aberta em 1871, a estação em Snow Hill foi aberta em 1874.

Com as conexões com a GWR e a GNR em construção e as conexões com a Midland Railway e a London, Chatham and Dover Railway (LC&DR) planejadas, a Met obteve permissão em 1861 e 1864[3] para duas faixas adicionais de King's Cross até Farringdon Street e uma extensão de quatro faixas para leste até Moorgate.[4][5][6] A Met usava duas faixas: as outras duas faixas, a City Widened Lines, eram usadas principalmente por outras empresas ferroviárias.[7]

Um par de túneis de via única em King's Cross, conectando a GNR à Met, abriu em 1 de outubro de 1863, quando a GNR começou a executar serviços,[8][9] a GWR retornando no mesmo dia com trens suburbanos de lugares como Windsor.[10] Em 1864, a Met possuía carruagens e locomotivas suficientes para rodar seus próprios trens e aumentar a frequência para seis trens por hora.[11]

Em 1 de janeiro de 1866, os serviços conjuntos da LC&DR e da GNR da Blackfriars Bridge começaram a operar através do túnel Snow Hill sob o Mercado de Smithfield para Farringdon e ao norte para a GNR .[12] A extensão da Aldersgate Street e da Moorgate Street (agora Barbican e Moorgate) foi aberta no dia 23 de dezembro de 1865[13] e todas as quatro faixas foram abertas em 1 de março de 1866.[14]

Os novos trilhos de King's Cross a Farringdon foram usados pela primeira vez por um trem de carga da GNR em 27 de janeiro de 1868. O entroncamento da Midland Railway foi aberto em 13 de julho de 1868 quando os serviços chegaram a Moorgate Street antes do terminal de St Pancras ser aberto. A linha saiu da linha principal em St Paul's Road Junction, entrando em um túnel de duas vias e juntando as Widened Lines em Midland Junction.[15]

Extension Line, 1868–99Editar

 
Em 1871, começaram os serviços do inner circle, começando em Mansion House e viajando para Moorgate Street via South Kensington e Paddington. As empresas tinham seus próprios pares de trilhos entre Kensington High Street e South Kensington.

No sábado, 1 de julho de 1871, um banquete de abertura contou com a presença do Primeiro Ministro William Gladstone, que também era acionista. Na segunda-feira seguinte, a Mansion House abriu e a District começou a operar seus próprios trens.[16] A partir dessa data, as duas empresas operavam um serviço conjunto Inner Circle entre Mansion House e Moorgate Street via South Kensington e Edgware Road a cada dez minutos, complementado por um serviço da District a cada dez minutos entre Mansion House e West Brompton e serviços suburbanos da H&CR e da GWR entre Edgware Road e Moorgate Street.[17]

Eletrificação, 1900–14Editar

Guerra e "Metro-land", 1914–32Editar

London Passenger Transport Board, 1933Editar

LegadoEditar

 
O brasão de armas da Metropolitan Railway, combinando os brasões de Londres, Middlesex, Buckinghamshire e Hertfordshire

Ver tambémEditar

Referências

  1. Day & Reed 2008, p. 14.
  2. Rose 2007.
  3. No Metropolitan Railway Act 1861 e no Metropolitan Railway Act (Finsbury Circus Extension) 1861 e no Metropolitan Railway Act foi dado o parecer real em 25 de julho de 1864, aprovando os trilhos adicionais para King's Cross.
  4. "Fowler's Ghost" 1962, p. 303.
  5. London Gazette. [S.l.: s.n.] 12 de julho de 1861. pp. 2871–2872 
  6. London Gazette. [S.l.: s.n.] 9 de agosto de 1861. pp. 3314–3315 
  7. Jackson 1986, p. 130.
  8. a b "Fowler's Ghost" 1962, p. 301.
  9. Um desses túneis, concluído em 1862, foi usado para levar o material rodante emprestado pela GNR para a Metropolitan Railway quando a GWR retirou seus trens em agosto de 1863.[8]
  10. Jackson 1986, p. 35.
  11. Jackson 1986, p. 37.
  12. "Fowler's Ghost" 1962, p. 304.
  13. Green 1987, p. 6.
  14. Jackson 1986, p. 47.
  15. Jackson 1986, p. 49.
  16. Lee 1956, p. 7.
  17. Jackson 1986, p. 56.

Ligações externasEditar