Miguel de Moura

Miguel de Moura (Lisboa, 4 de Novembro de 1538Lisboa, 30 de Dezembro de 1600), homem de Estado português, escrivão do município de Beja e mais tarde da Fazenda d'el-Rei.[1][2]

Miguel de Moura
Nascimento 1538
Morte 30 de dezembro de 1600

BiografiaEditar

Órfão de pai aos 10 anos e de mãe aos 12, foi confiado ao conde da Castanheira, que dada a sua influência na corte de D. João III, o levou a ser nomeado Escrivão da Puridade da Fazenda por el-Rei.

Mais tarde, gozando da confiança dos regentes D. Catarina de Áustria, D. Henrique e do rei D. Sebastião, acabou por ser designado secretário de Estado.

Acabou por ser nomeado conselheiro de Estado pelo rei espanhol, mais tarde seu escrivão da puridade (1582) e depois, dada a sua excelente e ampla folha de serviços, foi nomeado um dos cinco membros do Conselho de Regência (1593-1598) que sucedeu ao vice-rei cardeal Alberto de Áustria.

ReferênciasEditar

Precedido por
Cardeal-Arquiduque
Alberto de Áustria
Membro do Conselho de Regência
do Reino de Portugal

(em conjunto com Miguel de Castro, João da Silva,
Francisco de Mascarenhas e Duarte de Castelo Branco)

5 de Julho de 1593 - 1598
Sucedido por
Francisco Gómez de Sandoval y Rojas,
Marquês de Denia e Duque de Lerma