Abrir menu principal

Miguel de la Madrid

político mexicano
(Redirecionado de Miguel de la Madrid Hurtado)
Miguel de la Madrid Hurtado
Miguel de la Madrid .jpg
Miguel de la Madrid Hurtado
México Presidente do México
Período 1 de dezembro de 1982
até 30 de novembro de 1988
Antecessor José López Portillo
Sucessor Carlos Salinas de Gortari
Dados pessoais
Nascimento 12 de dezembro de 1934
Colima, Colima
Morte 1 de abril de 2012 (77 anos)
Cidade do México, México
Primeira-dama Paloma Cordero
Partido PRI
Profissão advogado

Miguel de la Madrid Hurtado (Colima, Colima, 12 de dezembro de 1934 - Cidade do México, 1 de abril de 2012) foi um político mexicano. Foi presidente do México de 1982 a 1988 [1].

BiografiaEditar

EducaçãoEditar

Cursou direito na Universidade Nacional Autónoma do México (UNAM) e mais tarde fez uma pós-graduação em administração pública na Universidade de Harvard. Trabalhou no Banco de México e ensinou direito na UNAM antes de prestar serviço na secretaria do tesouro em 1965. Entre 1970 e 1972 foi funcionário da Pemex (a companhia mexicana de petróleo) e logo depois ocupou várias posições na administração pública, durante o mandato de Luis Echeverría Álvarez. Em 1976 foi escolhido por José López Portillo para o cargo de secretário do orçamento e planeamento. Sucedeu a Portillo na presidência após vencer as eleições disputadas a 4 de Julho de 1982, como candidato do PRI.

PresidênciaEditar

A sua chegada à presidência coincidiu com um dos períodos mais difíceis para a economia do México, consequência das decisões tomadas durante a governação de López Portillo que havia nacionalizado a banca poucos meses antes do término do seu mandato. A inflação atingiu os 100% ao ano, o desemprego os 20-25 % entre 1983 e 1985, a produção nacional sofreu uma forte quebra (sobretudo nas indústrias sob controlo governamental) e o peso sofreu uma desvalorização muito acentuada, obrigando à implementação dos pactos de crescimento económico através dos quais o governo subsidiava os preços de produtos básicos, comprometendo-se os produtores/fabricantes a não aumentar os preços.

Como resposta à crise que o país atravessava, de la Madrid elaborou o chamado Plan Global de Desarrollo (Plano Global de Desenvolvimento), estabeleceu constitucionalmente um sistema democrático de planeamento, incentivou a abertura da economia mexicana ao exterior e iniciou a desregulação e privatização em vários sectores controlados pelo estado (medida esta que foi continuada pelo seu sucessor.

No entanto, para muitos mexicanos a presidência de Miguel de la Madrid ficou indelevelmente manchada pela actuação do governo perante a catástrofe que foi o Terramoto da Cidade do México de 1985 que causou a morte de milhares de pessoas e produziu graves danos na Cidade do México. Apesar de os dados oficiais apontarem para alguns milhares de mortos (5 a 10 mil), a opinião generalizada entre a população era que poderiam ter perdido a vida cerca de 20 000 pessoas. A reacção inicial do governo foi lenta e inadequada, obrigando a população a organizar e liderar os trabalhos de resgate das vítimas de entre os escombros. Tanto as declarações do presidente de la Madrid em que dizia que o México não necessitava ajuda externa para enfrentar o desastre, como a sua decisão de não permitir que o exército colaborasse com a população nos trabalhos de socorro durante as primeiras horas que se seguiram ao terramoto, foram objecto de severas críticas que ainda hoje se fazem ouvir.

MorteEditar

Morreu em 1 de abril de 2012, na Cidade do México, aos 77 anos de idade por consequências de um enfisema pulmonar, segundo informações de fontes oficiais e da imprensa local[2].

Precedido por
José López Portillo
Presidente do México
1 de dezembro de 1982 a 1 de dezembro de 1988
Sucedido por
Carlos Salinas de Gortari

Referências