Monique Kessous

Monique Kessous
Informação geral
Nascimento 14 de fevereiro de 1984 (36 anos)
Origem Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil
Gênero(s) MPB
Pop
Música contemporânea
Ocupação(ões) Cantora
compositora
Instrumento(s) Voz
Violão
Cajón
Pandeiro
Guitarra
Acordeão
Piano
Período em atividade 2008 — presente
Gravadora(s) Som Livre (2008-2009)
Sony Music (1999–presente)
Página oficial moniquekessous.com.br

Monique Kessous (Rio de Janeiro, 14 de fevereiro de 1984) é uma cantora e compositora brasileira

BiografiaEditar

Aos 9 anos, Monique fez sua primeira apresentação, quando participou de um Festival de Música representando o seu colégio, à frente de um coral de 40 crianças.

Na adolescência estudou canto lírico e popular, piano, aprendeu a tocar violão com seu irmão Denny Kessous, e começou a compor.

Decidida a seguir carreira musical, fez seu primeiro show em 2001 no Teatro Ipanema aonde pela primeira vez mostrou suas composições.

Em seguida, começou a cantar em algumas bandas e formou o grupo Entretantos, com Denny no violão, o guitarrista João Arruda e a percussionista Jadna Zimmerman, passando a se apresentar em bares e casas noturnas, cantando música brasileira.

Elogiada pelo produtor musical Alberto Rosenblit, após um show seu, foi convidada por ele a gravar uma demo. Ao ouvir sua voz, Roberto Menescal fez uma música para ela cantar, chamada Comunique-se, que mais tarde ganhou letra de Monique.

Em 2005, foi convidada por Roberto Menescal, para participar de projetos como intérprete, como o disco “ Liverpool Bossa”, lançado pela gravadora de Menescal na Asia, Europa e Americas e posteriormente no Brasil. As faixas deste álbum tocam até hoje no mundo todo e possuem milhões de acessos nas plataformas digitais. Monique gravou a sua parceria com Menescal, Comunique-se, com sua participação no seu primeiro álbum produzido por Flávio Mendes, com produção fonográfica de Mariama Lemos.

“Com essa cor” foi lançado em 2008 e consolidou a sua estreia também como compositora, sendo autora de 10 dentre as 12 faixas. Após lançar este primeiro disco autoral, uma série de acontecimentos repercutiu o nome da artista e ampliou a expectativa em torno do seu trabalho: A música “Com essa cor” entrou para a novela “Ciranda de Pedra”, "Pitangueira" integrou a trilha de "Paraíso"(2009), Monique assinou com a Som Livre, e atraiu para o seu show artistas como Elba Ramalho e Paulinho Moska, que se tornaram grandes parceiros..

Em 2010, lançou seu segundo disco, "Monique Kessous", produzido por Rodrigo Vidal, com participação de Paulinho Moska. O disco foi muito bem recebido pela crítica e pelo público e consagrou a cantora como uma das maiores revelações de sua geração. Após o lançamento do show do respectivo álbum, a cantora tocou em grandes festivais de música como Verão no Morro(RJ), Festival de Verão e Primavera do Morro de SP(SSA), Viradão Cultural (RJ), entre outros, além de abrir shows de artistas como Seu Jorge, Capital Inicial, Ana Carolina e Jorge Ben Jor. Deste ábum, As canções “Frio”, "Calma aí", "Coração" e "Levo a minha vida assim" tocaram nas principais rádios brasileiras, a faixa “Coração” fez parte da trilha de “Cordel Encantado”(2011), e Calma aí, da novela Sangue Bom (2013). Monique também participou do programa "Som Brasil", em homenagem a Marcos Valle, ao lado de outros artistas como Tulipa Ruiz, Zélia Duncan, Jair Oliveira, Kassin, Domenico e o próprio Marcos Valle. O programa se tornou um DVD.

Em 2011, Kessous ganhou o Prêmio MultiShow de Artista Revelação, entregue pelas mãos de Maria Gadú, que havia ganhado no ano anterior. Se apresentou no prêmio ao lado de Hyldon e Jota Quest.

Em 2012, participou de show na Alemanha com Moska e Elba Ramalho. Sua canção "Frevo meio envergonhado" foi gravada por Elba em 2013, dando título ao seu álbum com uma das frases da canção: "Vambora lá dançar". No mesmo ano, Kessous gravou participação no programa de Moska, "Zoombido", no Canal Brasil.

Em 2013, a canção "Calma aí", do seu segundo álbum, fez parte da trilha da novela "Sangue Bom"(2013). Neste ano, a cantora participou do programa "Compositores Unidos"(Canal Brasil), de Dudu Falcão e Jorge Vercilo, ao lado de Daniel Jobim, Paulo Jobim, Joyce, Danilo Caymmi e Alessandra Maestrini. Participou do Som Brasil 2000, formato do programa Som Brasil que apontou os artistas expoentes da nova geração, sendo a única carioca do programa, cantando a música autoral “Calma aí “que é a canção da artista a ser mais executada no youtube. Ainda neste ano gravou homenagem a Vinícius de Moraes com Daniel Jobim para o Site do Fantástico e para a JB FM.

2014 foi o ano de início da produção do seu terceiro álbum, "Dentro de mim cabe o mundo", com o produtor musical de Berna Ceppas. Antes mesmo de ser lançado, a música "Volte para mim" já fez parte da trilha da novela "Geração Brasil", com destaque para o momento em que Lázaro Ramos canta a canção em cena. Enquanto estava no estúdio, Kessous também fez um pré lançamento do seu novo trabalho, integrando o circuito Sesc Rio e se apresentado pelas pricipais cidades do Brasil.

Em 2015 Gravou com Fagner a canção "Talismã", de Michael Sullivan para o álbum "Mais forte que o tempo"que contou com a participação de grandes nomes da música brasilaiera. A versão tocou nas rádios e está entre as mais tocadas do spotify de Fagner.

Em 2016, Monique Kessous lançou o álbum “Dentro de mim cabe o mundo”, produzido musicalmente por ela mesma em parceria com Berna Ceppas,(produção fonográfica de Mariama Lemos e Sergio Shcolnik). O álbum que fala sobre existencialismo, e propõe a desegmentação e a tolerância em relação ao outro, reforça outro aspecto aspecto fundamental do seu trabalho: sua capacidade de agregar diferentes sotaques e influências em um som orgânico e homogêneo. Neta de imigrantes e com a mistura que todo brasileiro traz no DNA, Kessous gosta de remixar o universo. Auto denominada cidadã do mundo, a artista trouxe para perto um pouco do muito que absorve: gravou música de compositores estrangeiros como o uruguaio Kevin Johansen e o português Pedro da Silva Martins, da Banda Deolinda, e contou com a participação do grande músico e compositor americano, Jesse Harris e do virtuose instrumentista africano, Mamadou Diabaté. O álbum tem mais 10 músicas de sua autoria, incluindo a balada hit “Eu sem você”, que está na novela das 19h da Tv Globo, Pega Pega(2017) e é executada nas principais rádios do Brasil. O disco também contou com a participação de Ney Matogrosso, em canção-parceria com Chico César, que rendeu um clipe ousado e gerou uma chuva de compartilhamentos espontâneos.  Além da parceria com Chico César, a cantora também gravou parcerias com João Cavalcanti e Denny Kessous, e contou com a presença de músicos como Alberto Continentono, Felipe Pinaud, Thiago Silva, Davi Moraes, Pedro Sá, Sacha Amback e o próprio Denny, seu maior parceiro musical.

Em meados de 2017, a cantora criou junto com Denny Kessous o show “S.Ó.S“, um show intimista, de dois violões e voz, com um repertório inédito autoral, versões e sucessos dos discos anteriores. O show é parte da trilogia existencial que começou com o disco Dentro de mim cabe o mundo(2016). Kessous mais uma vez reafirma a grandiosidade de sua obra e se coloca definitivamente como uma artista que reflete seu tempo e tem muito o que dizer sobre o que vê.

Com um das vozes mais expressivas da mpb e suas próprias canções que dedilha no violão, Monique é uma das mulheres da nova geração a conquistar seu espaço. Monique faz sentir, pensar, cantar junto e sua obra já é uma referência de qualidade dentro da música popular brasileira.

DiscografiaEditar

  • Com Essa Cor (2008) Som Livre
  • Monique Kessous (2010) Sony Music
  • Dentro de Mim Cabe O Mundo (2016) Monique Kessous

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.