Movimento para a Autodeterminação da Ilha de Bioco

O Movimento para a Autodeterminação da Ilha de Bioco (MAIB) é uma organização política equato-guineense clandestina que tem como finalidade o reconhecimiento da autonomia do povo bubi em seu território tradicional da ilha de Bioco.[1]

A bandeira separatista.

As autoridades da Guiné Equatorial proíbem qualquer atividade deste movimento.[1] Sua origem está na União Bubi, que nos tempos da colonização espanhola pretendia uma administração para a ilha de Bioco diferente da do Rio Muni, onde predominavam os fang.

Após a independência da Guiné Equatorial, debaixo da ditadura de Francisco Macías Nguema (1968-1979), quase todos os políticos e ativistas bubis foram assassinados ou exilados e qualquer aspiração de autonomia foi eliminada. Teodoro Obiang Nguema Mbasogo (1979-), um fang da mesma família que Macías, a quem derrubou do poder, mas sem estabelecer um regime democrático, continuou a repressão de movimentos considerados separatistas.[1]

O MAIB tem o apoio dos líderes tradicionais bubis e parte da população bubi de Bioco e do exílio, localizada sobretudo na Espanha.

Referências

Ligações externasEditar