Odyssey (plataforma de lançamento)

A LP Odyssey é uma plataforma de lançamento espacial móvel semissubmersível autopropulsada convertida de uma plataforma de perfuração móvel em 1997.

Odyssey em um dique seco em Esquimalt, Colúmbia Britânica.

A embarcação foi usada pela Sea Launch para realizar lançamento marítimo no Pacífico equatorial. Ela trabalhava em conjunto com o navio de controle Sea Launch Commander. Seu porto de origem é o Porto de Long Beach, nos Estados Unidos.

Em setembro de 2016, a plataforma, juntamente com outros ativos da Sea Launch, foi vendida para o S7 Group, empresa controladora da S7 Airlines.[1]

HistóriaEditar

A plataforma foi construída em 1982 pela empresa ODECO para a Sumitomo Heavy Industries. Como plataforma ela fez sua primeira exploração no sul de Yakutat para a ARCO Alaska, Inc.

A plataforma Odyssey passou alguns anos inutilizada nas docas em Dundee. Nesta situação, foi requerida pela empresa Boeing para fundar o consórcio Sea Launch, para o qual foi comprado pela empresa Kværner de Stavanger, na Noruega, e reconstruída a partir 1995 a 1997, estendendo-se o comprimento da plataforma, adicionando colunas de apoio e sistemas de propulsão adicionais e ajustes para localizar a plataforma de lançamento e o hangar do veículos de serviço.

Lançamento fracassado de 2007Editar

 
Odyssey no porto, com o Sea Launch Commander atrás

Em 30 de janeiro de 2007, um foguete Zenit que transporta o satélites NSS-8 falhou durante o lançamento e explodiu a bordo do Odyssey.[2] Não houve feridos e os danos para a própria plataforma foi superficial. Após o incidente ele retornou ao serviço em janeiro de 2008, com o lançamento bem sucedido do satélite Thuraya 3.[3]

Lançamento fracassado de 2013Editar

Em 1 de fevereiro de 2013, o foguete Zenit-3SL transportando o Intelsat 27 sofreu uma falha logo após o seu lançamento a partir da Odyssey, caindo a uma curta distância a partir da plataforma de lançamento. A primeira fase do motor pareceu ter encerrado cerca de 25 segundos após o lançamento e a telemetria do foguete se perdeu cerca de 15 segundos mais tarde. A telemetria indicou que um problema foi detectado 11 segundos após o lançamento. O sistema de orientação foi programado para desligar o motor, mas somente depois que o foguete esteja a uma distância segura da plataforma de lançamento. Acredita-se que uma falha de uma bomba hidráulica que fornece energia para o motor gimbaling RD-171, foi a causa do incidente.[4]

Referências

  1. «Sea Launch floating spaceport's new owner to resume launches». TASS. 12 de dezembro de 2017. Consultado em 13 de novembro de 2018 
  2. «Ocean Odyssey Blowout». Oil Rig Disasters. Consultado em 6 de janeiro de 2014. Arquivado do original em 5 de janeiro de 2010 
  3. «Sea Launch: the Twenty-Fifth Launch of Zenit-3SL» (Nota de imprensa). Yuzhnoye.com. 21 de janeiro de 2008 
  4. «Intelsat 27 launch updates» [ligação inativa]

Ligações externasEditar