Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para o sacerdote do candomblé, veja Ogan.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Ogam[1][2] ou Ogham foi um alfabeto usado originalmente no irlandês arcaico, e posteriormente no irlandês antigo e picto em menor escala. O Ogham é por vezes denominado "alfabeto celta das árvores". A palavra pronuncia-se [ˈoɣam] (ógam) em irlandês antigo e [oːm] (óm) em irlandês moderno.

HistóriaEditar

O Ogham é aparentemente um fenómeno das ilhas Britânicas, visto que a esmagadora maioria das inscrições são originárias da Irlanda e Grã-Bretanha. A evidência arqueológica aponta para os povos indo-europeus a norte dos mares Negro e Cáspio, na Europa Oriental. No entanto, a evidência botânica, que estuda a distribuição das árvores do alfabeto Ogham, aponta para o vale do Reno e para região da cultura de La Tène, considerada o berço da cultura celta[3].

O uso do Ogham pelos gaels se divide em dois períodos: ortodoxo e escolástico. O Ogham ortodoxo representa uma tradição original, druídica, de memoriais em irlandês arcaico. O Ogham escolástico, por sua vez, é fruto de uma tradição tardia de restauração acadêmica do antigo sistema de escrita como parte do desenvolvimento de um estilo nativamente celta de arte católica, paralela à prevalência do alfabeto latino para a escrita do irlandês antigo.[4] O uso do Ogham escolástico se continuou residualmente na Irlanda até o início do século XIX, a última inscrição se encontrando no túmulo de Mary Dempsey em Ahenny, bilíngue em irlandês e inglês.[5] Seguindo a tradição escolástica, ainda há cerca de trinta inscrições em picto na atual Escócia, provavelmente inspirados pela tradição manuscrita.[6]

CaracterísticasEditar

O Ogham era escrito da esquerda para a direita em manuscritos, e de baixo para cima em pedras. A linha central representa um tronco de árvore, e os traços representam os ramos[7]. Encontra-se agrupado em séries de cinco letras cada, e continha originalmente as quatro primeiras séries. A quinta série, forfeda, continha primeiro cinco, e depois seis letras para sons importados de outras línguas e que não existiam originalmente no irlandês.

Era chamado beth-luis-nion, o nome das primeira, segunda e quinta letras[8], de alguma forma semelhante à palavra “alfabeto”.

O Ogham encontra-se actualmente incluído na norma Unicode desde a versão 3.0[9], tendo-lhe sido atribuída a gama U+1680 – U+169F. Está também normalizado na Irlanda, sob o Irish Standard 434:1999.

LetrasEditar

Apresentam-se aqui as formas manuscritas, isto é, que ocorrem da esquerda para a direita.

Série Letras
Aicme Beithe  
Beith
 
Luis
 
Fearn
 
Sail
 
Nion
Aicme hÚatha  
Úath
 
Dair
 
Tinne
 
Coll
 
Ceirt
Aicme Muine  
Muin
 
Gort
 
nGéadal
 
Straif
 
Ruis
Aicme Ailme  
Ailm
 
Onn
 
Úr
 
Eadhadh
 
Iodhadh
Forfeda  
Éabhadh
 
Ór
 
Uilleann
 
Ifín
 
Eamhancholl
Pontuação  
Peith
 
Eite
 
Spás
 
Eite thuathail
 
Livro de Ballymote, manuscrito em Ogham

BeithEditar

Formas:   (horizontal),   (vertical)
Unicode[10]: U+1681OGHAM LETTER BEITH
Valor: B
Simbologia[11]: Bétula. o Auraicept na n-Éces conta que o deus Lugh trouxe sete bétulas para a Irlanda, e que as primeiras inscrições Ogham foram feitas sobre casca de bétula; daí ser esta a primeira letra do alfabeto.
Kennings[12]: “pé mirrado e cabelo fino” (BMM[13] féochos foltchain); “a da pele mais cinzenta” (BMO[14] glaisem cnis); “beleza da sobrancelha” (BCC[15] maise malach)

LuisEditar

Formas:    
Unicode: U+1682OGHAM LETTER LUIS
Valor: L
Simbologia: Sorveira-brava
Kennings: “brilho do olhar” (BMM lí súla); “amiga do gado” (BMO carae cethrae); “sustento do gado” (BCC lúth cethrae)

FearnEditar

Formas:    
Unicode: U+1683OGHAM LETTER FEARN
Valor: F
Simbologia: Amieiro
Kennings: “vanguarda de guerreiros” (BMM airenach fían); “vasilha do leite” (BMO comét lachta); “protecção do coração” (BCC dín cridi)

SailEditar

Formas:    
Unicode: U+1684OGHAM LETTER SAIL
Valor: S
Simbologia: Salgueiro
Kennings: “palidez do morto” (BMM lí ambi); “sustento de abelhas” (BMO lúth bech); “princípio do mel” (BCC tosach mela)

NionEditar

Formas:    
Unicode: U+1685OGHAM LETTER NION
Valor: N
Simbologia: Freixo, forquilha/sótão[7]
Kennings: “fundação da paz” (BMM costud síde); “orgulho de mulheres” (BMO bág ban); “orgulho da beleza” (BCC bág maise)

ÚathEditar

Formas:    
Unicode: U+1686OGHAM LETTER UATH
Valor: H
Simbologia: Pilriteiro, medo(?)[7]
Kennings: “assembleia de matilhas” (BMM condál cúan); “empalidecer de faces” (BMO bánad gnúise); “mais difícil à noite” (BCC ansam aidche)

DairEditar

Formas:    
Unicode: U+1687OGHAM LETTER DAIR
Valor: D
Simbologia: Carvalho
Kennings: “árvore mais alta” (BMM ardam dosae); “obra das mãos do artesão” (BMO grés soír); “artesanato bem lavrado” (BCC slechtam soíre)

TinneEditar

Formas:    
Unicode: U+1688OGHAM LETTER TINNE
Valor: T
Simbologia: Azevinho, vara/metal[7]
Kennings: “um terço da roda” (BMM trian roith); “tutano de carvão” (BMO smiur gúaile); “um terço de uma arma” (BCC trian n-airm)

CollEditar

Formas:    
Unicode: U+1689OGHAM LETTER COLL
Valor: C
Simbologia: Aveleira
Kennings: “mais bela árvore” (BMM caíniu fedaib); “amiga das cascas de noz” (BMO carae blóesc); “mais doce árvore” (BCC milsem fedo)

CeirtEditar

Formas:    
Unicode: U+168AOGHAM LETTER CEIRT
Valor: Q
Simbologia: Macieira-silvestre
Kennings: “abrigo do [louco?]” (BMM clithar baiscill); “substância da pessoa sem valor” (BMO bríg anduini); “andrajos” (BCC dígu fethail)

MuinEditar

Formas:    
Unicode: U+168BOGHAM LETTER MUIN
Valor: M
Simbologia: Videira, pescoço[7]
Kennings: “mais forte no esforço” (BMM tressam fedmae); “próverbio de matança” (BMO árusc n-airlig); “caminho da voz” (BCC conar gotha)

GortEditar

Formas:    
Unicode: U+168COGHAM LETTER GORT
Valor: G
Simbologia: Hera, campo[7]
Kennings: “mais doce erva” (BMM milsiu féraib); “bom lugar para vacas” (BMO ined erc); “sustento de multidões” (BCC sásad ile)

nGéadalEditar

Formas:    
Unicode: U+168DOGHAM LETTER NGEADAL
Valor: NG
Simbologia: Caniço, ferida(?)[7]
Kennings: “sustento de sanguessuga” (BMM lúth lego); “roupagem de médicos” (BMO étiud midach); “início da matança” (BCC tosach n-échto)

StraifEditar

Formas:    
Unicode: U+168EOGHAM LETTER STRAIF
Valor: Z
Simbologia: Abrunheiro-bravo, enxofre[7]
Kennings: “vermelhão mais forte” (BMM tressam rúamnai); “aumento de segredos” (BMO mórad rún); “busca de nuvens” (BCC saigid nél)

RuisEditar

Formas:    
Unicode: U+168FOGHAM LETTER RUIS
Valor: R
Simbologia: Sabugueiro, vermelho/corar[7]
Kennings: “corar mais intenso” (BMM tindem rucci); “envermelhecer de faces” (BMO rúamnae drech); “brilho de raiva” (BCC bruth fergae)

AilmEditar

Formas:    ; formas redondas:    
Unicode: U+1690OGHAM LETTER AILM
Valor: A
Simbologia: Abeto-branco
Kennings: “maior gemido” (BMM ardam íachta); “início de resposta” (BMO tosach frecrai); “início de chamada” (BCC tosach garmae)

OnnEditar

Formas:    ; formas redondas:    
Unicode: U+1691OGHAM LETTER ONN
Valor: O
Simbologia: Tojo, Freixo[7]
Kennings: “feridor de cavalos” (BMM congnaid ech); “mais suave obra do artesão” (BMO féthem soíre); “[ferramenta] dos bandos guerreiros” (BCC lúth fían)

ÚrEditar

Formas:    ; formas redondas:    
Unicode: U+1692OGHAM LETTER UR
Valor: U
Simbologia: Urze, solo[7]
Kennings: “em moradas frias” (BMM úaraib adbaib); “propagação de plantas” (BMO sílad cland); “mortalha do não-vivo” (BCC forbbaid ambí)

EadhadhEditar

Formas:    ; formas redondas:    
Unicode: U+1693OGHAM LETTER EADHADH
Valor: E
Simbologia: Choupo
Kennings: “árvore que discerne” (BMM érgnaid fid); “troca de amigos” (BMO commaín carat); “irmão da bétula” (?) (BCC bráthair bethi [?])

IodhadhEditar

Formas:    ; formas redondas:    
Unicode: U+1694OGHAM LETTER IODHADH
Valor: I
Simbologia: Teixo
Kennings: “mais velha árvore” (BMM sinem fedo); “mais bela das anciãs” (BMO caínem sen); “energia do doente” (?) (BCC lúth lobair[?])

ÉabhadhEditar

Formas:    
Unicode: U+1695OGHAM LETTER EABHADH
Valor: EA
Simbologia: desconhecida
Kennings: “letra boa nadadora” (BMM snámchaín feda); “[repreensão?] do doente” (BMO cosc lobair); “mais belo peixe” (BCC caínem éco)

ÓrEditar

Formas:    
Unicode: U+1696OGHAM LETTER OR
Valor: OI
Simbologia: ouro[7]
Kennings: “substância mais venerável” (BMM sruithem aicde); “esplendor de forma” (BMO lí crotha)

UilleannEditar

Formas:    
Unicode: U+1697OGHAM LETTER UILLEANN
Valor: UI
Simbologia: cotovelo[7]
Kennings: “árvore fragrante” (BMM túthmar fid); “grande cotovelo/antebraço” (BMO cubat oll)

IfínEditar

Formas:    
Unicode: U+1698OGHAM LETTER IFIN
Valor: IA
Simbologia: Pinheiro
Kennings: “mais doce árvore” (BMM milsem fedo); “sabor mais maravilhoso” (BMO amram mlais)

EamhanchollEditar

Formas:    
Unicode: U+1699OGHAM LETTER EAMHANCHOLL
Valor: AE (disputado; os kennings associam-na com o som ch /x/)
Simbologia: O nome significa “C gémeo”
Kennings: “gemido do doente” (BMM lúad sáethaig, BMO mol galraig)

PeithEditar

Formas:    
Unicode: U+169AOGHAM LETTER PEITH
Valor: P
Simbologia: a letra é chamada beithe bog (“beith suave”), sendo que o som /p/ não existia originalmente na língua irlandesa e foi introduzido por via do cristianismo (por exemplo, por São Patrício)
Kennings: nenhum

PontuaçãoEditar

Os textos eram iniciados pelo símbolo eite (“pena”) e terminados pelo eite thuathail (“pena invertida”). As palavras eram separadas pelo símbolo spás (“espaço”).

Formas:     (eite);     (eite thuathail);     (spás)
Unicode: Unicode: U+1680OGHAM SPACE MARK
Unicode: U+169BOGHAM FEATHER MARK
Unicode: U+169COGHAM REVERSED FEATHER MARK

Ver tambémEditar

Referências

  1. Barbosa, Rilza de Moura. «O ALFABETO OGAM». RESUMOS. www.filologia.org.br. Consultado em 31 de agosto de 2016 
  2. Marques, Regina de Fátima Mota (28 de setembro de 2004). «O E-MAIL: UM ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE A ORALIDADE E A ESCRITA EM TEXTOS DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO» (PDF). Florianópolis. Consultado em 31 de agosto de 2016 
  3. Curtis Clark, Exploring the Origins of the Celtic Ogham Arquivado em 19 de outubro de 2006, no Wayback Machine.. Acedido em 9 Out 2006.
  4. McManus, Damian (1991). A Guide to Ogam. Col: Maynooth Monographs, 4. Maynooth: An Sagart. pp. 44, 128. ISBN 1870684176 
  5. Ziegler, Sabine (1994) [1991]. Die Sprache der altirischen Ogam-Inschriften. Göttingen: Vandenhoeck & Ruprecht. pp. 93–96. ISBN 3525262256 
  6. Donald Fisk. «Pictish Ogham Inscriptions». Consultado em 20 de fevereiro de 2018 
  7. a b c d e f g h i j k l m Simon Ager (omniglot.com), Ogham. Acedido em 7 Out 2006.
  8. Curtis Clark, Celtic Ogham Arquivado em 21 de outubro de 2006, no Wayback Machine..
  9. The Unicode Consortium. Unicode Character Database: Derived Property Data: Age. Acedido em 9 Out 2006.
  10. The Unicode Consortium, The Unicode Standard, Version 5.0. Ogham. Acedido em 9 Out 2006.
  11. Salvo indicação suplementar em contrário, a simbologia segue Curtis Clark, Natural History of the Trees of the Celtic Ogham Arquivado em 7 de setembro de 2006, no Wayback Machine.. Circle Network News 17(2):12-13 (Número 56, Verão 1995). Versão revista do artigo no site do autor, acedida em 7 Out 2006.
  12. Traduzido do irlandês para o inglês por Damian McManus, publicado no artigo Irish letter-names and their kennings, Ériu 39 (1988), 127-168. Citado em en:Bríatharogam.
  13. BMM refere o Bríatharogam Morainn mac Moín, contido no In Lebor Ogaim, cujo manuscrito mais antigo data de 1390. Este Bríatharogham é ainda interpretado no Auraicept na n-Éces.
  14. BMO refere o Bríatharogam Maic ind Óc, contido no In Lebor Ogaim, cujo manuscrito mais antigo data de 1390.
  15. BCC refere o Bríatharogam Con Culainn, presente na Cúchulainn ('Cão de Culann'), uma lenda do folclore irlandês.

Ligações externasEditar

Para além das páginas citadas nas referências: