Abrir menu principal

Organização Todt (em alemão, Organisation Todt, OT) foi um grupo paramilitar de construção e engenharia criado na Alemanha, durante os anos do Terceiro Reich, por Fritz Todt, Ministro do Armamento e Munições do Reich (em alemão, Reichminister für Bewaffnung und Munition, RMfBM). Foi anexado ao exército e esteve ativo durante a Segunda Guerra Mundial.

A principal atividade da OT era a construção das infraestruturas de comunicações e de defesa alemãs. Quase todas as infraestruturas militares da Alemanha, durante a Segunda Guerra, foram construídas pela organização, incluindo fábricas de armamento, pontes, estradas, túneis, bunkers, abrigos antiaéreos para a população civil, torres antiaéreas, bases militares e campos de concentração. Além disso, a OT realizou também as obras necessárias ao reassentamento subterrâneo de plantas industriais. Foi, ainda, responsável pelas edificações da Muralha do Atlântico, das docas de submarinos e das estruturas de defesa alemãs na Itália, destacando-se a linha Gustav.

A Organização Todt empregava um pequeno número de conselheiros técnicos e engenheiros mas também um enorme número de trabalhadores estrangeiros. Desde o início da guerra, muitos trabalhadores forçados, prisioneiros de guerra e prisioneiros de campos de concentração foram empregados nas construções a cargo da OT. Entre 1943 e 1945, última fase do Reich, a organização também administrava a construção de campos de concentração que deveriam suprir, com trabalhadores forçados (1,5 milhão de pessoas, em 1944), as necessidades de mão de obra da indústria.

HistóriaEditar

A história da OT pode ser dividida em três fases. A primeira (1933 - 1938) é anterior à criação da organização propriamente dita. Fritz Todt era Inspetor Geral das Estradas Alemãs (Generalinspektor für das deutsche Straßenwesen) e sua responsabilidade principal era a construção da rede de Autobahn. Para isso, ele podia recorrer à mão de obra proveniente da própria Alemanha, "recrutada" (de facto, forçada) pelo Serviço de Trabalho do Reich (Reichsarbeitsdienst, RAD).

A segunda fase começa em 1938, quando a Organização Todt é efetivamente criada, estendendo-se até fevereiro de 1942, quando Todt morre num acidente de avião. Em 1940, pouco depois da invasão da Polônia (1939), Todt seria nomeado Ministro de Armamento e Munições, e os projetos da OT tornaram-se quase que exclusivamente militares. O enorme aumento da demanda por mão de obra, suscitado pelos vários projetos militares e paramilitares, foi resolvido com uma série de ampliações da legislação relativa ao serviço obrigatório, o que afinal acabou por levar todos os alemães a trabalhar compulsoriamente para o Estado.[1] De 1938 a 1940, mais de 1,75 milhão de alemães foram recrutados pelo Serviço de Trabalho. De 1940 a 1942, a Organização Todt começou a depender de Gastarbeitnehmer ('trabalhadores convidados'), Militärinternierte ('internados militares'), Zivilarbeiter ('trabalhadores civis'), Ostarbeiter ('trabalhadores orientais') e Hilfswillige ('trabalhadores voluntários').

A terceira fase se estende de 1942 até o fim da guerra, em 1945, quando Albert Speer sucede a Todt, e a OT é absorvida pelo renomeado e expandido Ministério do Armamento e da Produção Bélica do Reich (Reichsminister für Rüstung- und Kriegsproduktion). Aproximadamente 1,4 milhão de trabalhadores estavam a serviço da OT, sendo que 1% desses trabalhadores eram alemães inaptos para o serviço militar e 1,5% eram prisioneiros de campos de concentração; todo o restante do contingente era formado por prisioneiros de guerra e trabalhadores forçados de países ocupados. Todos eram efetivamente tratados como escravos, a serviço do Estado. Muitos não sobreviveram às duras condições de trabalho ou às circunstâncias da própria guerra.[2]

Referências

  1. Verordnung zur Sicherstellung des Kräftebedarfs für Aufgaben von besonderer staatspolitischer Bedeutung de 15 de outubro de 1938 (Notdienstverordnung), RGBl. 1938 I, Nr. 170, S. 1441–43; Verordnung zur Sicherstellung des Kräftebedarfs für Aufgaben von besonderer staatspolitischer Bedeutung de 13 de fevereiro de 1939, RGBl. 1939 I, Nr. 25, S. 206f.; Gesetz über Sachleistungen für Reichsaufgaben (Reichsleistungsgesetz) de 1º de setembro de 1939, RGBl. 1939 I, Nr. 166, S. 1645–54. [ RGBl = Reichsgesetzblatt, o diário oficial do Reich.] Para mais informações, ver Die Ausweitung von Dienstpflichten im Nationalsozialismus Arquivado em 2005-11-27 no Wayback Machine. Documento de trabalho do Forschungsprojekt Gemeinschaften, Universidade Humboldt, Berlim, 1996–99 (em alemão).
  2. HBC (25 de setembro de 2009). «Organization Todt». World War II: German Military Organizations. HBC Historical Clothing. Sources: 1. Gruner, Wolf. Jewish Forced Labor Under the Nazis. Economic Needs and Racial Aims, 1938–1944 (New York: Cambridge University Press, 2006), publicado em associação com o United States Holocaust Memorial Museum. 2. U.S. War Department, "The Todt Organization and Affiliated Services" Tactical and Technical Trends No. 30 (29 de julho de 1943). 
  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.