Abrir menu principal

Wikipédia β

Os Vagabundos Trapalhões

filme de 1982 dirigido por J. B. Tanko

Os Vagabundos Trapalhões é um filme brasileiro de 1982, do gênero comédia, dirigido por J.B. Tanko e estrelado pela trupe humorística Os Trapalhões.

Os Vagabundos Trapalhões
Os Vagabundos Trapalhões.jpg
 Brasil
1982 •  cor •  96 min 
Direção J.B. Tanko
Roteiro Gilvan Pereira
Elenco Renato Aragão
Fábio Villa Verde
Dedé Santana
Mussum
Zacarias
Louise Cardoso
Edson Celulari
Denise Dumont
Género comédia
Música Sivuca
Wando
Glória Gadelha
Lançamento Brasil 24 de junho de 1982
Idioma português
Cronologia
Os Saltimbancos Trapalhões (1981)
Os Trapalhões na Serra Pelada (1982)
Página no IMDb (em inglês)

Índice

SinopseEditar

O vagabundo Bonga e sua namorada Loló (Louise Cardoso) vivem em uma caverna, na floresta, próximo à uma periferia com outros três vagabundos. O grupo, liderado por Bonga, percorrem as ruas do Rio de Janeiro, recolhendo crianças órfãs ou abandonadas por carência material, e apesar da extrema pobreza, reina um clima de amor que encanta a todos os pequenos. Para ganharem algum dinheiro, Bonga e seu grupo cantam e dançam em frente as boates e discotecas à noite. Pedrinho (Fábio Villa Verde), é um garoto rico, porém infeliz, pois sofre com a falta de atenção e carinho do pai, Ricardo (Edson Celulari), um industrial que está sempre muito ocupado. Um dia, Pedrinho foge e nas ruas conhece Bonga, após uma conversa, o garoto mente dizendo que não tem família e o vagabundo sensibilizado, decide leva-ló para ir viver com ele e seu grupo, e Pedrinho pela primeira vez se sente amado por alguém, criando um grande afeto por Bonga. Juliana (Denise Dumont), psicóloga da escola de Pedrinho, se oferece para ajudar nas buscas pelo menino, e Ricardo preocupado com o filho, oferece uma grande recompensa para quem o encontar. Bandidos descobrem o paradeiro do garoto e interessados no dinheiro decidem seqüestra-ló.

ElencoEditar

Participação especialEditar

RecepçãoEditar

CríticaEditar

Robledo Milani em sua crítica para o Papo de Cinema disse que o filme tem "ritmo irregular, ainda que envolvente. Algumas de suas opções são controversas, principalmente vistas hoje em dia, em tempos em que o politicamente correto impera – as adoções, amplamente irregulares, tratam as crianças, em última instância, como frutas na feira."[1]

LançamentoEditar

O filme foi comercializado para Moçambique e Angola em 1984, e para o México em 1988.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Robledo Milani (26 de março de 2016). «Os Vagabundos Trapalhões». www.papodecinema.com.br. Consultado em 20 de outubro de 2016