Zacarias (comediante)

ator brasileiro

Mauro Faccio Gonçalves (Sete Lagoas, 18 de janeiro de 1934Rio de Janeiro, 18 de março de 1990), mais conhecido por seu nome artístico Zacarias, foi um ator, humorista, dublador e locutor de rádio brasileiro.

Zacarias
Nome completo Mauro Faccio Gonçalves
Outros nomes Zaca, Mineiro Anão, Baixinho, Mineirinho, Bidu
Nascimento 18 de janeiro de 1934
Sete Lagoas, MG
Morte 18 de março de 1990 (56 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Estatura 1,60 m
Cônjuge Selma Lopes (1958-1973; divorciado)
Ocupação ator, dublador, humorista, cantor e locutor de rádio
Período de atividade 1955-1990
Principais trabalhos Zacarias em Os Trapalhões

Mauro obteve notoriedade pelo seu trabalho no grupo humorístico Os Trapalhões.

BiografiaEditar

Mauro nasceu em uma família humilde com onze irmãos em Sete Lagoas, cidade do interior de Minas Gerais. Antes de se tornar famoso, foi vendedor de sapatos e trabalhou em uma fábrica de café,[1] onde seu pai já trabalhava. Era filho de Mariano Gonçalves e Virgínia Faccio.

Mauro estudou no Colégio Diocesano Dom Silvério de Sete Lagoas. Começou a carreira no rádio em 1955, na Rádio Cultura de Sete Lagoas, em um programa humorístico chamado Em Babozal Era Assim. No ano seguinte, formou-se técnico em contabilidade pela Escola Técnica de Comércio de Sete Lagoas. Através do humor, logo tornou-se conhecido pela incrível habilidade de trocar de vozes, criando vários tipos completamente diferentes, e de imitar animais com rara perfeição.

Mudou-se para Belo Horizonte em 1957, onde tentou estudar Arquitetura, trabalhando ao mesmo tempo como bancário. Porém, dificuldades financeiras o impediram de iniciar o curso. Na capital mineira, Mauro trabalhou na Rádio Inconfidência, fazendo três programas, sendo que o que mais o marcou como comediante foi Arte Final. Logo veio o reconhecimento: foi considerado o melhor comediante do rádio de 1960 a 1963. Ainda em Belo Horizonte, fez sua estreia na televisão, na TV Itacolomi, no programa Tribunal de Calouros.

Em 1963, recebeu uma proposta para trabalhar na TV Excelsior do Rio de Janeiro, a convite de Wilton Franco. Apesar da timidez, que inicialmente o impedia de trabalhar na televisão, Mauro estreou em um programa de calouros, onde criou cinco personagens, incluindo o Garçom Moranguinho, fazendo grande sucesso inspirado num garçom da terra natal dele. Mais tarde, foi para a Rede Record, para fazer parte do elenco de A Praça da Alegria e Os Insociáveis.[2] Sua participação no programa fez com que Renato Aragão o convidasse para ser efetivado no grupo "Os Trapalhões". Mauro foi o último a integrar o grupo, do qual já faziam parte Didi, Dedé e Mussum, completando assim a formação do quarteto em 1976.

Além do personagem Zacarias, Mauro Gonçalves também era a voz que interagia com o personagem Aparício, interpretado por Renato Aragão, e fez um filme com Roberto Machado, intitulado Deu A Louca Nas Mulheres. Em 1970, foi premiado pela sua interpretação na peça "A Dama do Camarote". Permaneceu no grupo "Os Trapalhões" até 1990, ano em que faleceu. Seu último filme foi Uma Escola Atrapalhada.

Zacarias foi casado por 15 anos com a atriz e dubladora Selma Lopes e adotou Maria Laura, filha de um casamento anterior de Selma. Após a separação, os dois ainda continuaram amigos, tanto é que Selma participou de vários quadros d'os Trapalhões. O trapalhão também já namorou com a cantora Waleska, de 1979 a 1981.

MorteEditar

Em dezembro de 1989, Zacarias resolveu por conta própria iniciar um regime a base de remédios.[3] O humorista acabou perdendo vinte quilos, porém como consequência, seu organismo enfraqueceu chegando até a atingir os pulmões.[3] Zacarias acabou sendo internado por nove dias na Clínica São Vicente no Rio de Janeiro e faleceu em 18 de março de 1990, aos 56 anos, de insuficiência respiratória.[3][4][5] O humorista foi enterrado em sua cidade natal, em Sete Lagoas no Cemitério Parque Santa Helena.[6]

Durante muitos anos especulou-se que Zacarias havia falecido vítima da AIDS, mas seus familiares sempre negaram o boato.[7][8]

FilmografiaEditar

Carreira soloEditar

Ano Título
1971 Tô na Tua, Ô Bicho
1973 O Fraco do Sexo Forte
1977 Deu a Louca nas Mulheres

Com Os TrapalhõesEditar

PrêmiosEditar

Em 1970 ganhou o prêmio de ator revelação com a peça “A Dama do Camarote”.[9]

Referências

  1. A Turma do Didi - Trapalhadas renovadas Arquivado em 30 de junho de 2007, no Wayback Machine. Correio Braziliense, acessado em 19 de dezembro de 2008
  2. Personalidades - Zacarias Adoro Cinema Brasileiro, acessado em 19 de dezembro de 2008
  3. a b c Folha de S. Paulo - Edição de 19 de março de 1990. Folha de S.Paulo. Página visitada em 19 de dezembro de 2014
  4. Veja, edição 1123, de 28 de março de 1990
  5. Em desabafo, família de Zacarias acusa Renato Aragão de abandono UOL, acessado em 27 de março de 2014
  6. “Zacarias” é enterrado em Minas, acessado em 29 de julho de 2014
  7. TV, Notícias da (2 de abril de 2017). «Família de Zacarias revela abandono e desentendimento entre Trapalhões». Notícias da TV. Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  8. Assim, No Amazonas é. «Família do Trapalhão Zacarias revela causa da morte do comediante | No Amazonas é Assim». Consultado em 25 de dezembro de 2019 
  9. «Renato Aragão e Dedé Santana falam de Zacarias 25 anos após sua morte». Site EGO 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre humoristas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.