Abrir menu principal
Públio Dasúmio Rústico
Cônsul do Império Romano
Consulado 119 d.C.

Públio Dasúmio Rústico (em latim: Publius Dasumius Rusticus) foi um senador romano eleito cônsul em 119 com o imperador Adriano[1][2]. Um mistério para os historiadores do período, Rústico é conhecido unicamente por seu consulado. Não se sabe por que motivo ele recebeu a grande honra de servir junto com o imperador e alguns historiadores especulam que ele pode ter sido um amigo de infância de Adriano. Contudo, Ronald Syme lembra que na Hispânia Bética, a província natal do imperador, apenas seis pessoas com o nome "Dasúmio" são conhecidas (nenhuma nas demais províncias da Hispânia)[3].

Outras pistasEditar

Por algum tempo acreditou-se que Rústico seria o testamentado do Testamentum Dasumii, uma tese inicialmente proposta por Bartolomeo Borghesi. Segundo ela, uma herdeira nomeada no testamento chamada "Dasúmia" seria filha do testamentado, o que implicaria que ela era da gente "Dasúmia". Este argumento era amplamente aceito, o que forçou os especialistas a assumirem que o testamento era, numa primeira hipótese, Lúcio Dasúmio Adriano, procônsul da Ásia entre 106 e 107, e, mais tarde, o próprio Rústico. Porém, um novo fragmento da inscrição foi identificado e invalidou a tese de Borghesi[4]. A identidade do testamentado continua incerta.

Também ligada a esta suposta associação com o Testamentum Dasumii, acreditava-se que Rústico seria o pai adotivo de Lúcio Dasúmio Túlio Tusco, cônsul em 152, mas, quando se descobriu que o nome do testamentador não era Dasúmio, deixou de existir qualquer evidência ligado os dois. Apesar disto, o historiador Olli Salomies nota que "o pai adotivo — desconhecido fora deste contexto — era certamente parente de Rústico"[5].

Ver tambémEditar

Referências

  1. Werner Eck and Andreas Pangerl, "Neue Diplome mit den Namen von Konsuln und Statthaltern," Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik, 187 (2013), p. 282
  2. AE 1930, 84
  3. Syme, "The Testamentum Dasumii: Some Novelties", Chiron, 15 (1985), p. 44
  4. Werner Eck, "Zum Neuen Fragment des sogenannten testamentum Dasumii", Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik, 30 (1978), pp. 277-295
  5. Salomies, Adoptive and polyonymous nomenclature in the Roman Empire, (Helsinski: Societas Scientiarum Fenica, 1992), p. 99