Públio Valério Publícola (cônsul em 352 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Públio Valério Publícola (desambiguação).
Públio Valério Publícola
Cônsul da República Romana

Públio Valério Publícola (em latim: Publius Valerius Poplicola) foi um político da gente Valéria da República Romana, eleito cônsul em 352 a.C. com Caio Márcio Rutilo. Foi nomeado ditador em 344 a.C..

Consulado (352 a.C.)Editar

Públio Valério foi eleito cônsul em 352 a.C. com Caio Márcio Rutilo.[1] Os dois cônsules promoveram uma auditoria da dívida sem provocar grandes reclamações dos interessados.

Ditadura (344 a.C.)Editar

Em 344 a.C., quando eram cônsules o próprio Caio Márcio Rutilo e Tito Mânlio Torquato,[2] foi dedicado o Templo de Juno Moneta, na Cidadela do Capitolino. Segundo Lívio, esta dedicação foi seguida por uma chuva de pedras e um escurecimento do céu, um prodígio que levou a nomeação de um ditador "feriarum constituendarum causa", Públio Valério Publícola, com poderes limitados.[2] O mestre da cavalaria foi um Quinto Fábio Ambusto, do qual não se sabe mais nada.

Mestre da cavalaria (332 a.C.)Editar

Finalmente, em 332 a.C., Públio Valério foi escolhido mestre da cavalaria (magister equitum) pelo ditador Marco Papírio Crasso.[3]

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Caio Sulpício Pético IV

com Marco Valério Publícola II

Caio Márcio Rutilo II
352 a.C.

com Públio Valério Publícola

Sucedido por:
'Caio Sulpício Pético V

com Tito Quíncio Peno Capitolino Crispino


Referências

  1. Lívio, Ab Urbe condita VII, 2, 21.
  2. a b Lívio, Ab Urbe condita VII, 2, 28.
  3. Lívio, Ab Urbe condita VIII, 17.

BibliografiaEditar

  • T. Robert S., Broughton (1951). «XV». The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas