Palácio Antônio Lemos

palácio em Belém, Pará


O Palácio Antônio Lemos (inicialmente chamado "Palacete Azul" e "Casa no Largo do Palácio"), também chamado Museu da Arte de Belém, é uma edificação pública, palácio, museu e, a prefeitura municipal, construído em 1860 por José da Gama Abreu,[1][2] no âmbito do ciclo da borracha,[3] situado no bairro da Cidade Velha, na cidade brasileira de Belém (estado do Pará). Tendo modificações em 1883 de autoria de Antonio Landi.[1]

Palácio Antônio Lemos
Características
Classificação museu
palácio
patrimônio histórico
edifício do governo
(prefeitura
museu de arte)
Data/Ano 1860
Origem do nome Antônio Lemos
Criador/Fabricante José Coelho da Gama e Abreu Edit this on Wikidata
Parte de poder executivo Edit this on Wikidata
página oficial
Patrimônio bem tombado pelo IPHAN, Património de Influência Portuguesa (base de dados)
Localização
Mapa
GPS 1°27'20.783"S, 48°30'8.327"W Edit this on Wikidata
[ Editar Wikidata ] [ Mídias no Commons ]
[ Editar infocaixa ]

Desde 1994, este é sede oficial do Poder Municipal e Museu da Arte de Belém (MABE).[1][4]

Histórico editar

Inicialmente era chamado de Palacete Azul, devido à cor da fachada, sendo renomeado na década de 50 em homenagem a Antônio Lemos, intendente da capital no período 1897-1911, responsável pelo processo de urbanização e modernização da cidade.[3]

Em 1860, foi projetado por José da Gama Abreu, em estilo estilo neoclássico tardio. Em 1883 recebendo um aumento e modificações por Antonio Landi.[1] Novamente em 1911 pelo intendente Antonio Lemos acrescentando revestimentos, móveis e objetos conforme a moda européia, assinados por mestres como Capranesi, De Angelis e Teodoro Braga, rivalizando com Rio de Janeiro e São Paulo.[1]

Outra importante reforma foi a de 1927.[1] Em 1992, o restauro recupera as linhas originais do projeto de 1860 eliminando as modificações de 1883.[1]

Complexo Turístico Feliz Lusitânia editar

O Palácio Antônio Lemos faz parte do Complexo Turístico Feliz Lusitânia, que é composto por:[5][6]

Patrimônio histórico editar

 
Imagem do Palácio Antônio Lemos, sede municipal de Belém.

O Palácio é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), localizada no logradouro Avenida Portugal, junto às sedes do Poder Judiciário e do Legislativo do estado,[3] onde também estão outras edificações tombadas como patrimônio: a Doca do Ver-o-Peso, a Praça do Relógio, a Praça Dom Pedro II,[8] o Palácio Lauro Sodré (Palácio do Governo) e, o Solar do Barão de Guajará.[2]

Referências

  1. a b c d e f g «Belém, Palacete Azul». iPatrimônio. Consultado em 17 de janeiro de 2022 
  2. a b «Monumentos e Espaços Públicos Tombados - Belém (PA)». Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN ). Consultado em 26 de janeiro de 2022 
  3. a b c «Belém celebra Dia do Patrimônio Histórico anunciando a reforma do Palácio Antônio Lemos». CODEM - Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém. Consultado em 17 de janeiro de 2022 
  4. «Palacete Azul (Belém, PA)». portal.iphan.gov.br. Consultado em 20 de janeiro de 2022 
  5. «Folha Online - Turismo - Pará: Núcleo Feliz Lusitânia mantém arquitetura do além-mar - 10/02/2005». Jornal Folha de S.Paulo. Consultado em 13 de outubro de 2020 
  6. CARVALHO, Luciana; CAMPOS, Marcelo; OLIVEIRA, Thiago da Costa (Cur.). Patrimônios do Norte: Homenagem aos 81 anos do IPHAN. Rio de Janeiro: Paço Imperial, 2018.
  7. Cybelle Salvador Miranda. «Cidade Velha e Feliz Luzitânia: Cenários do Patrimônio Cultural em Belém» (PDF). Consultado em 1 de março de 2013 
  8. «Ver-o-Peso (PA)». Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Consultado em 26 de janeiro de 2022 

Ver também editar