Abrir menu principal
Paróquia Santa Luzia
Catedral de Santa Luzia, sede da paróquia e sé episcopal da diocese de Mossoró.
Dados
Estado  Rio Grande do Norte
Município  Mossoró
Diocese Mossoró
Comunidades 6
Criação 27 de outubro de 1842 (176 anos)
Igreja sede Catedral de Santa Luzia
Contatos
Endereço Praça Vigário Antônio Joaquim, s/n, Centro
Paróquia do Brasil Brasil

A Paróquia Santa Luzia é uma circunscrição eclesiástica da Igreja Católica no Brasil, com sede no município de Mossoró, no interior do estado do Rio Grande do Norte. Faz parte da Diocese de Mossoró, sendo a paróquia mais importante desta, pois sua sede, a Catedral de Santa Luzia, é a sé episcopal da diocese. Situa-se no Zonal Mossoró I.

HistóriaEditar

A capela dedicada à mártir siciliana Santa Luzia, subordinada à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição e São João Batista, em Apodi, começou a ser construída no dia 5 de agosto de 1772, após uma solicitação do sargento-mor Antônio de Souza Machado ter sido enviada e atendida pelo padre Inácio de Araújo Gondim, vigário da paróquia de Santo Amaro, em Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco. Em 1779 chega uma imagem da santa à capela, e a primeira festa em honra à Santa Luzia é celebrada pela comunidade.[1]

Em 27 de outubro de 1842, foi sancionada a Resolução 87, por Manuel de Assis Mascarenhas, que criava a freguesia de Santa Luzia, elevando a capela foi elevada à condição de matriz, desmembrada da freguesia de Apodi. O padre José Antônio Lopes da Silveira tornou-se o primeiro pároco assumir a paróquia, interinamente, mediante concurso, até que um padre fosse nomeado pelo bispo diocesano de Olinda e Recife, diocese à qual a paróquia pertencia na época. A nomeação ocorreu em 1844 e o padre Antônio Joaquim Rodrigues tornou-se vigário da paróquia.[1]

Em 1926, o bispo da Diocese de Natal (hoje arquidiocese), Dom José Pereira Alves, desmembrou uma parte do território da paróquia para a criação de uma nova paróquia dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Em 28 de julho de 1934, a Igreja Matriz de Santa Luzia torna-se catedral com a criação da Diocese de Mossoró pelo Papa Pio XI,[1] contudo a notícia de criação da nova diocese só chegaria a Mossoró através de telegrama enviado por dom Marcolino Esmeraldo de Souza Dantas, então bispo diocesano de Natal, em 14 de setembro daquele ano, e recebido pelo padre Luiz Ferreira da Cunha Motta, vigário paroquial. Pouco de dois meses depois, em 18 de novembro, a diocese fora oficialmente instalada.[2]

Através de decreto de Dom Gentil Diniz Barreto, bispo da diocese de Mossoró de 1960 a 1984, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus reincorporada à paróquia de Santa Luzia, com a transferência da sede da paróquia para a capela de São Manoel, em 29 de março de 1964. Em 1966, durante o encerramento dos festejos da comunidade São José, uma nova paróquia foi desmembrada da paróquia de Santa Luzia, fato que se repetiu em 1968 com a criação da paróquia de São João Batista. Com a posse de Dom José Freire de Oliveira Neto como quinto bispo diocesano, Santa Luzia foi declarada padroeira de toda a diocese.[1]

Todos os anos, em dezembro, a paróquia realiza os festejos de Santa Luzia, principal festa religiosa da diocese, que começa no dia 3 de e se encerra no dia 13, dia dedicado à santa, com uma grande procissão percorrendo algumas ruas de Mossoró, atraindo milhares de fiéis vindos de diversos lugares. Na preparação para a festa, ocorre a peregrinação da imagem da santa por todas as paróquias da diocese.[1]

PárocosEditar

O atual vigário paroquial é o padre Flávio Augusto Forte Melo, tendo assumido a função em janeiro de 2016, em substituição a padre Walter Collini, que exercia o cargo desde 2010 (tendo sido transferido da paróquia de Martins, onde atuou por 36 anos). Padre Flávio é natural de Severiano Melo (RN) e ocupa também a função de Vigário-Geral da Diocese de Mossoró. Também ocupam o vicariato de Mossoró os padres Antônio Freire de Carvalho, Charles Lamartine, Flávio Jerônimo do Nascimento, Herôncio de Melo, João Batista do Nascimento, Júnior Denes da Silveira, Manoel Galvão, Raimundo Gurgel do Amaro, Raimundo Leão de Moura e Ricardo Rubens Fernandes de Carvalho.[1]

Desde a criação da paróquia os seguintes padres já ocuparam o vicariato:[1]

  • José Antônio Lopes da Silveira (1842);
  • Antônio Joaquim Rodrigues (1844);
  • Moisés Ferreira do Nascimento (1904);
  • Francisco Hermenegildo de Lucena Sampaio (1906);
  • Pedro Paulino Duarte da Silva (1907);
  • Manoel de Almeida Barreto (1914);
  • Ulisses Maranhão (1918);
  • Manoel da Costa Pereira (1920);
  • Manoel Maria de Vasconcelos Gadelha (1921);
  • Monsenhor Manuel de Almeida Barreto (1924);
  • Paulo Herôncio de Melo (1924);
  • Luiz Ferreira Cunha da Mota (1924);
  • Huberto Bruening (1947, 1955 e 1976);
  • Luiz Soares de Lima (1950);
  • Monsenhor Hamílcar Mota da Silveira (1976);
  • Monsenhor Américo Vespúcio Simonetti (1980);
  • Walter Collini (2010).
  • Flávio Augusto Forte Melo (2016)

ComunidadesEditar

A paróquia Santa Luzia possui seis comunidades, todas localizadas na área urbana de Mossoró. São elas:[3]

  • Nossa Senhora Perpétuo Socorro;
  • Sagrado Coração de Jesus (Santuário);
  • Santa Luzia (Catedral);
  • Santa Terezinha;
  • São Vicente;
  • Nossa Senhora das Graças
  • Santa Luzia (Ilha de Santa Luzia)

Referências

  1. a b c d e f g BULCÃO, Valéria; et al. (2014). «80 anos da diocese de Santa Luzia». Fé e Evangelização: 110 p 
  2. «Padre Motta, mestre de Mossoró (II)». Tribuna do Norte. 18 de janeiro de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2015 
  3. «Zonal Mossoró I». Diocese de Mossoró. Consultado em 25 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de janeiro de 2015