Abrir menu principal

Parque Estadual Serra de Santa Bárbara

Parque Estadual Serra de Santa Bárbara
Categoria II da IUCN (Parque Nacional)
Localização
País  Brasil
Estados  Mato Grosso
Localidades mais próximas Pontes e Lacerda
Dados
Área &0000000000120092.000000120 092 hectares (1 200 9 km2)
Criação 4 de novembro de 1997 (21 anos)
Gestão Coordenadoria de Unidades de Conservação MT
Coordenadas 15° 55' 30" S 59° 21' 36" O
Parque Estadual Serra de Santa Bárbara está localizado em: Brasil
Parque Estadual Serra de Santa Bárbara

Parque Estadual Serra de Santa Bárbara é um parque estadual no estado de Mato Grosso, Brasil. Ele preserva um ambiente único onde a floresta amazônica, o pantanal e o cerrado se encontram e possui muitas espécies endêmicas ou ameaçadas de extinção.

HistóriaEditar

O Parque Estadual da Serra de Santa Bárbara foi criado pelo decreto 1.797, de 4 de novembro de 1997, com uma área de cerca de 120.092 hectares para proteger uma amostra representativa dos ecossistemas existentes e fornecer uma área com oportunidades de uso controlado pelo público. A lei 7.165, de 23 de agosto de 1999, confirmou o decreto. O plano de gestão foi aprovado em 11 de dezembro de 2008. O conselho consultivo foi criado em 15 de dezembro de 2014.[1]

GeografiaEditar

O Parque Estadual Serra de Santa Bárbara é dividido entre os municípios de Porto Esperidião (27,13%) e Pontes e Lacerda (72,87%) no estado do Mato Grosso. Tem uma área de 120.092 hectares[2] e está no Vale do Guaporé, entre os estados de Mato Grosso e Rondônia, ao norte da fronteira com a Bolívia. Abrange parte da Serra de Santa Bárbara, incluindo a Serra do Monte Cristo, o ponto mais alto do estado a 1.023 metros acima do nível do mar.[3]

O parque fica na Reserva da Biosfera do Pantanal, que também inclui os parques nacionais do Pantanal, Chapada dos Guimarães, Emas e Serra da Bodoquena, além dos parques estaduais das Nascentes do Rio Taquari e Pantanal do Rio Negro.[4] Os rios Gomalina, Alegre e Aguapeí crescem no parque. A rodovia MT-473 segue a oeste do parque, enquanto a rodovia MT-265 segue ao sul.[5] Existem vários sítios arqueológicos dos períodos pré-colonial e colonial.[6]

Meio ambienteEditar

A Serra de Santa Bárbara possui um dos mais diversos ecossistemas do estado, abrangendo uma área de transição entre a floresta amazônica, o cerrado e o pantanal. Os tipos de floresta incluem florestas estacionais semidecíduas, a transição destes para o cerrado, o cerrado propriamente dito e a transição para campos rochosos e formações pantaneiras. Nas regiões pantanosas existem grandes variações sazonais, com a maior parte da área inundada na estação chuvosa. No entanto, a maior parte da vegetação no parque é de cerrado.[7] As áreas da floresta amazônica fornecem ilhas e abrigos para animais durante as enchentes. A fauna é muito rica e inclui espécies endêmicas ou ameaçadas de extinção, como a preguiça (Choloepus didactylus), o tamanduá (Tamandua tetradactyla), a onça-pintada (Panthera onca), o boto-cor-de-rosa (Inia geoffrensis) e o tucuxi (Sotalia fluviatilis).[7]

Ameaças incluem incêndios, extração ilegal de madeira e o avanço da agricultura ao redor do parque.[6] Em 2005, cerca de 3,7% do parque havia sido desmatado, dos quais 19 quilômetros quadrados haviam sido desmatados antes da criação em 1997 e 25 quilômetros quadrados haviam sido desmatados desde então.[8] Em 2010, foi descoberto um esquema em que títulos fraudulentos de terras do parque emitidos pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) estavam sendo vendidos aos agricultores, que desde então reivindicavam indenização.[9]

Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar