Partido Republicano Liberal

Partido Republicano Liberal
Presidente Dr. Duarte de Abreu
Fundação 12 de dezembro de 1913

Política do Brasil
Partidos políticos
Eleições

O Partido Republicano Liberal, denominado depois de Partido Republicano Liberal de Minas Gerais, teve início em 12 de setembro de 1913 em Belo Horizonte por convocatória do Dr. Bernardino de Lima, advogado e lente da Escola de Minas e ex-senador ao Congresso Mineiro. O partido surgiu como um sucessor da Campanha Civilista, encampada contra a candidatura militar de Hermes-Wenceslau e favorável à candidatura de Rui Barbosa e Albuquerque Lins, à Presidência da República.

Para o ano seguinte o partido definitivamente criou suas bases em todo o estado.[1]

DecisõesEditar

A reunião deliberou e aprovou sobre os seguintes pontos:

  1. Notificar os correligionários dos municípios do estado de Minas, convocando-os a organizarem os diretórios locais do Partido recém criado;
  2. Convocação da Assembleia de 19 de outubro de 1913, para a eleição dos membros do diretório estadual do partido;
  3. Ratificação das decisões e proposições aprovadas pela convenção de 31 de agosto de 1913 no Parque Fluminense;
  4. No período antecedente à eleição da diretoria estadual do Partido Liberal, seria o Comitê civilista, quem continuaria a orientar a propaganda do partido;
  5. Convocação do eleitorado liberal da capital do estado e a fixação do dia 21 de setembro de 1913 para a organização do diretório municipal de Belo Horizonte;
  6. Fundação de um jornal, como órgão de imprensa oficial do partido;
  7. Definição do Diretório Estadual.

Diretório EstadualEditar

O Diretório Estadual do Partido Liberal ficou configurado conforme a seguinte predefinição.

DiretoriaEditar

A dirtoria ficou assim estabelecida:

SuplentesEditar

Outras decisõesEditar

  1. A Assembléia predefiniu ainda que o Dr. Fernando Lobo, Dr. Carlos Peixoto, Dr. Irineu Machado, Dr. Bernardino de Lima e Dr. João Avelar teriam seus nomes inclusos no Diretório Central do Partido Republicano Liberal, e que, por isso, não figurariam na formação do diretório estadual;
  2. Que o diretório municipal de Belo Horizonte teria como membros efetivos e suplentes os Srs.: Dr. Alcides Batista Ferreira, Dr. Viana Romanelli, Dr. Rufino da Motta, Dr. Augusto de Souza, Dr. Octavio Martins, Coronel Joaquim Severiano e Coronel José Benjamin;
  3. Que os diretórios de cada município seriam constituídos por três membros efetivos e três membros suplentes;
  4. Que em municípios onde o partido dispusesse da imprensa local, deveriam relatá-lo ao diretório estadual.
  5. E definiu-se ainda que, além dos diretórios estadual e municipal, seria organizado e constituído um Comitê Liberal, o qual seria composto das lideranças políticas mais influentes do partido. Estes componentes seriam em número de três por município, os quais serão consultados nas questões relevantes dentro do partido. Desse comitê deverão tomar parte, entre outros, os seguintes chefes políticos:

Referências

  1. Conforme atestam as cartas e telegramas de Belo Horizonte e Juiz de Fora, entre 25/01 e 12/12/1914, assinados por Duarte de Abreu e outros a Rui Barbosa, "comunicando o nome dos membros que compõe a comissão executiva do Partido Republicano Liberal de Minas Gerais, que acaba de ser organizada; felicitando pelo término do caso do estado do Rio de Janeiro e dando esclarecimentos a respeito do próximo pleito eleitoral de Minas Gerais, referindo-se a atuação de Irineu Machado no 3º distrito".

BibliografiaEditar

  • Jornal "O País", Rio de Janeiro - Domingo, 14 de setembro de 1913
  • Motta, Rodrigo Patto de. - Introdução à História dos Partidos Políticos Brasileiros - Editora: Emporio do Livro
  • Heródoto S. Barbeiro e Bruna Renata Cantele - O livro dos políticos. - Edições Ediouro, 2008 - 288 páginas
  • Segrillo, Angelo. Rússia e Brasil em Transformação; Editora: 7 Letras (ISBN 85-7577-175-2)
  • Barbosa de Oliveira, Rui (1849-1923) - Programa do Partido Republicano Liberal, 1914.