Partido da Justiça Democrática

O Partido da Justiça Democrática (hangul: 민주정의당: hanja: 民主正義黨; RR: Minju Jeong-uidang; McCune-Reischauer: Minju Chŏng-ŭitang) foi um partido político que governou a Coreia do Sul de 1980 a 1987.

Partido da Justiça Democrática
민주정의당
Minju Jeonguidang
Líder Roh Tae-woo (1985-1990)
Fundador Chun Doo-hwan
Fundação 1 de setembro de 1980
Dissolução 22 de janeiro de 1990
Sede Seul,  Coreia do Sul
Ideologia Conservadorismo nacional[1]
Liberalismo econômico[1]
Anticomunismo[1]
Autoritarismo (até 1987)
Espetro político 1987-1990:
Direita[2]
1980-1987:
Extrema-direita
Sucessor Partido Democrático Liberal
Afiliação nacional Hanahoe
Cores      Azul
     Vermelho

HistóriaEditar

Em dezembro de 1979, Chun Doo-hwan tornou-se o líder da Coreia do Sul depois de liderar um golpe militar, sendo eleito presidente por direito próprio em agosto de 1980. Dois meses depois de assumir o cargo, ele aboliu todos os partidos políticos, incluindo o Partido Republicano Democrático de Park Chung-hee, que governava o país desde 1963, tendo poucas restrições viáveis ​​ao seu poder desde o autogolpe de Park em 1971. Uma nova Constituição, que inaugurou a Quinta República, foi promulgada no final de outubro.

Em janeiro do ano seguinte, Chun criou o Partido da Justiça Democrática, que conquistou o apoio da maioria dos legisladores e políticos do Partido Republicano Democrático (que para todos os efeitos, tinha adotado um novo nome). Ele foi eleito como o primeiro presidente da Quinta República em 1981. Apesar do Partido da Justiça Democrática ter obtido grande maioria nas eleições legislativas em 1981 e 1985 e o sistema ter sido manipulado a seu favor, ele tinha muito menos poder do que o Partido Republicano Democrático.

A Constituição de 1980 limitou o presidente a um mandato único de sete anos, sem possibilidade de reeleição. Chun anunciou sua aposentadoria em 1987, mas resistiu a todos os apelos para tornar regime mais aberto. A situação mudou em 1987, quando o candidato presidencial do Partido da Justiça Democrática, Roh Tae-woo, prometeu que a eleição presidencial daquele ano seria livre e democrática. Roh se tornou o primeiro presidente eleito direto sob eleições livres e justas em dezembro de 1987. Em 1990, o Partido da Justiça Democrática se fundiu com o Partido Democrático da Reunificação de Kim Young Sam e o Novo Partido Republicano Democrático de Kim Jong-pil para formar o Partido Democrático Liberal.

Resultados eleitoraisEditar

Eleições presidenciaisEditar

Ano Candidato Cl. Votos % Resultado
1981 Chun Doo-hwan   1.° 9,250,262
90,2 / 100
Eleito  
1987 Roh Tae-woo 1.° 8,282,738
36,6 / 100
Eleito  

Eleições legislativasEditar

Ano Assentos Votos % +/- Resultado Líder eleitoral
1981
151 / 276
5,776,624
35,6 / 100
  83 Maioria Chun Doo-hwan
1985
148 / 276
7,040,811
34,0 / 100
  03
1988
125 / 299
6,675,494
34,0 / 100
  23 Minoria Roh Tae-woo

Referências

  1. a b c Kim, Byung-kook (2008). Defeat in victory, victory in defeat: the Korean conservatives in democratic consolidation. Political Transitions in Dominant Party Systems: Learning to lose (em inglês). [S.l.]: Routledge 
  2. Kim, Youngmi (2011). The Politics of Coalition in Korea: Between institutions and culture. Political Transitions in Dominant Party Systems: Learning to lose (em inglês). [S.l.]: Routledge. p. 36 
  Este artigo sobre a Coreia do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.