Paul Biya

político camaronense, Presidente de Camarões
Paul Biya
2.º Presidente dos Camarões
Período 9 de novembro de 1982
a atualidade
Antecessor Ahmadou Ahidjo
Primeiro-ministro dos Camarões
Período 30 de Junho de 1975
a 6 de Novembro de 1982
Antecessor Ahmadou Ahidjo
Sucessor Bello Bouba Maigari
Dados pessoais
Nascimento 13 de fevereiro de 1933 (87 anos)
Mvomeka'a, Camarões
Partido União Democrática do Povo Camaronês
Profissão Político

Paul Biya, nascido Paul Barthélemy Biya'a Bi Mvondo (Mvomeka'a, 13 de Fevereiro de 1933) é um político camaronês, atual presidente da República dos Camarões desde 1982.

Biya nasceu na aldeia de Mvomeka'a, perto de Sangmelima, na província do Sul. Após os estudos secundários no Liceu Général Leclerc em Yaoundé, transfere-se para Paris, onde passa sucessivamente pelo Liceu Louis-le-Grand, pela Universidade da Sorbonne pelo Institut d'Etudes Politiques de Paris, onde conclui a licenciatura em Direito Público em 1961, e pelo Institut des hautes études d'outre-mer, que formava quadros para a administração colonial francesa. Paul Biya trabalhou para o presidente Ahmadou Ahidjo e se tornou primeiro-ministro do seu país em 1975. Ahidjo renunciou em 6 de Novembro de 1982 e nomeou Biya como presidente. Após este acontecimento, Ahidjo entrou em conflito com Biya, foi exilado em 1983 e morreu em 1989.

Biya é considerado por muitos como um ditador e é muitas vezes considerado distante da população. A população da região anglófona do país (formada sob as regras coloniais britânicas) queixa-se de marginalização e opressão por parte do governo. Essa região é o maior reduto da oposição. O presidente obteve mais um mandato de sete anos nas eleições presidenciais de 11 de Outubro de 2004, obtendo oficialmente 75% dos votos, mas a oposição alega que houve fraude nas eleições. Nas eleições presidenciais de outubro de 2011 Biya garantiu um sexto mandato ao vencer com 77,9% dos votos. John Fru Ndi foi o seu adversário mais próximo, e teve 10% dos votos.[1] A oposição a Biya alegou fraude eleitoral e houve irregularidades processuais anotadas por observadores estrangeiros.[2][3] Em 3 de novembro tomou posse para o sexto mandato.[4]

BiografiaEditar

Da etnia "Fang-Beti-Boulou", Paul Barthélemy Biya'a Bi Mvondo nasceu numa aldeia do Sul, em plena floresta equatorial, uma zona sob controle francês, sendo os Camarões um "território sob mandato da Sociedade das Nações".[5] É filho de Anastasia Eyenga Ellé e de Étienne Mvondo Assam, um catequista que via nele um futuro sacerdote e orientador da Escola Católica de Nden.

Em 1961, ele casou-se com Jeanne-Irene Biya, morta em 1992. Franck Emmanuel Biya é o único filho do casal.[6] Paul Biya casa novamente, dessa vez com Chantal Pulcherie Vigouroux, adotando os dois filhos dela, provenientes de uma relação anterior. Deste casamento nasceram Paul Junior Biya e Anasthasia Brenda Eyenga (Brenda).[7] Ele é católico praticante.[8]

Após os estudos secundários no liceu General-Leclerc em Yaoundé, vai para Paris e passa pelo liceu Louis-le-Grand, pela Universidade de Sorbonne, pelo Instituto de Estudos Políticos, onde obteve uma licenciatura em direito público em 1961, e pelo Instituto dos Altos Estudos Ultramarinos.[9] Não participou de nenhuma forma de ativismo político nos seus anos de estudo.[10]


Ligações externasEditar

Referências

  1. «Cameroonian president wins vote, extending 29-year-rule». CNN. 22 de outubro de 2010. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  2. «Court declares Cameroon's Biya landslide poll winner, despite accusations of fraud». Washington Post. 21 de outubro de 2011. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  3. «Cameroon's Biya promises youth jobs after poll win». Reuters. 25 de outubro de 2011. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  4. «Cameroon: Biya sworn in for sixth presidential term». BBC News. 3 de novembro de 2011. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  5. Georges Dougueli, "Mathias Eric Owona Nguini vs Patrice Nganang", Jeune Afrique,‎ 23 juin 2019, p. 18.
  6. «Le jour où Paul Biya a renoncé à devenir prêtre – Jeune Afrique». JeuneAfrique.com (em francês). 21 de junho de 2017. Consultado em 18 de junho de 2020 
  7. «Chantal Biya , First Lady». mobile.camerounweb.com. Consultado em 18 de junho de 2020 
  8. «At the grave of Churchill Che, the common - law- husband of Chantal Pulchérie Vigouroux». www.camerounweb.com (em francês). 29 de julho de 2015. Consultado em 18 de junho de 2020 
  9. Berthemet, Tanguy (5 de outubro de 2018). «Cameroun : Paul Biya, le président aux 35 années de «gouvernance par l'absence»». Le Figaro.fr (em francês). Consultado em 18 de junho de 2020 
  10. Diop, Momar-Coumba.; Diouf, Mamadou. (1999). Les figures du politique en Afrique : des pouvoirs hérités aux pouvoirs élus. Paris: Karthala. OCLC 465853509