Abrir menu principal

PlayStation All-Stars Battle Royale

PlayStation All-Stars Battle Royale
Capa da versão europeia
Produtora(s) Bluepoint Games (PS Vita)
SuperBot Entertainment
SCE Santa Monica Studio
Editora(s) Sony Computer Entertainment
Plataforma(s) PlayStation 3
PlayStation Vita
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Combate, Ação
Modos de jogo Single-player, multijogador

PlayStation All-Stars Battle Royale é um jogo brawler de luta que foi desenvolvido pela SuperBot Entertainment em conjunto com a SCE Santa Monica Studio e publicado pela Sony Computer Entertainment para PlayStation 3 e PlayStation Vita. Foi revelado em 26 de abril de 2012 durante o programa de televisão GTTV.

Battle Royale apresenta os mais famosos personagens do universo de PlayStation. De Kratos para Sly Cooper, Sweet Tooth para PaRappa the Rapper, os personagens da Sony de todo o espectro de jogo são reunidos em uma aventura de combate.

A produção do jogo começou em 2009 com uma equipe criativa que inclui membros de vários estudios da Sony. Foi lançado em 20 de novembro de 2012 na América do Norte, 21 de novembro na Europa, 22 de novembro na Austrália e Nova Zelândia e a 23 de novembro no Reino Unido e na Irlanda.[3]

JogabilidadeEditar

A jogabilidade é conceitualmente similar a série Super Smash Bros. da Nintendo, em que até quatro jogadores podem lutar entre si usando diversos personagens das várias franquias exclusivas do PlayStation (Sony), tais como God of War, PaRappa the Rapper e Sly Cooper. Há, no entanto, diferenças na forma como os adversários são derrotados. Durante o jogo, os jogadores lutam com outros para causarem danos em seus adversários fazendo com que o medidor de energia (AP) na parte inferior da tela aumente. Há 3 níveis de energia que podem ser acumuladas, um nível para cada tipo de golpe especial, sendo as de nível 3 as mais poderosas. Os jogadores só conseguem ganhar pontos matando o adversário com um golpe especial. Qualquer outro golpe só fará com que o medidor de energia aumente. As arenas também usam temas de franquias já conhecidas, como uma fase que mistura os mundos de God of War com Patapon, mapas inspirados em LittleBigPlanet e muito mais, passando até por "testes" de Buzz!.

PersonagensEditar

Abaixo personagens jogáveis:

Personagem[4] Série
Big Daddy BioShock
Cole MacGrath Infamous
Colonel Radec Killzone
Dante Devil May Cry
Evil Cole Infamous
Fat Princess Fat Princess
Heihachi Mishima Tekken
Jak e Daxter Jak and Daxter
Kratos God of War
Nariko Heavenly Sword
Nathan Drake Uncharted
PaRappa PaRappa the Rapper
Raiden Metal Gear
Ratchet e Clank Ratchet & Clank
Sackboy LittleBigPlanet
Sir Daniel Fortesque MediEvil
Sly Cooper Sly Cooper
Spike Ape Escape
Sweet Tooth Twisted Metal
Toro Inoue Everyday Together
Personagens por DLCEditar

Cada personagem tem um custo de 4.99€

Personagem Série
Emmett Graves Starhawk
Isaac Clarke Dead Space
Kat Gravity Rush
Zeus God of War

EstágiosEditar

Alguns dos estágios presentes no jogo:

Estágio Combinação dos jogos (Série)
Dojo PaRappa the Rapper e Killzone
Paisagem Onírica LittleBigPlanet e Buzz!
Franzea LocoRoco e Metal Gear
Hades God of War e Patapon
Metropolis Ratchet & Clank e God of War
San Francisco Resistance e Ratchet & Clank
Sandover Village Jak & Daxter e Hot Shots Golf
Torre de Alden Infamous e Sly Cooper
Time Station Ape Escape e Resistance

RecepçãoEditar

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
1UP.com C[5]
CVG 6.8/10[6]
EGM 7.5/10[7]
Eurogamer 7/10[8]
G4 4/5[9]
Game Informer 7,5/10[10]
Game Revolution      [11]
GameSpot 6.5/10[12]
Games Radar      [13]
GameTrailers 7.3/10[14]
IGN 8/10[15]
PlayStation Official Magazine - UK 6/10[16]
Pontuação global
Publicação Nota média
Metacritic PS3: 74/100[17]
PSVITA: 75/100[18]

PlayStation All-Stars Battle Royale recebeu críticas geralmente médias. Os críticos elogiaram a mecânica multijogador e de combate do jogo, mas criticaram sua falta de conteúdo, imagens estáticas no modo campanha e poucas cutscenes.[19] O uso de super movimentos como a única maneira de derrotar um jogador teve recepção mista. Enquanto alguns críticos achavam que faltava profundidade, outros acreditavam que encher o medidor para conseguir uma estratégia adicional nocauteada para uma experiência de luta decente. O jogo atualmente possui uma pontuação de 74 na versão PlayStation 3 e uma 75 pontos para a versão PlayStation Vita no Metacritic.[17][18]

Os dois apresentadores do talk show Good Game deram ao jogo uma nota 6 de 10. Enquanto a mecânica de combate do jogo era elogiada, críticas foram feitas ao mecanismo defeituoso dos "Super Moves", dizendo: "Na maioria dos jogos de luta, cada ataque que você faz é cortado a barra de saúde do seu oponente ou, no Smash Bros., isso aumenta o contador de danos e, quanto maior o dano, mais ataques os derrubam, mas neste jogo tudo o que você tem é o super medidor! Cada ataque aumenta ele. Mas se você errar o seu super, todo o ataque que você fez nos últimos minutos não servirá de nada. Essencialmente, todo o seu progresso é apagado ". A seleção de personagens jogáveis ​​também atraiu críticas, pois os anfitriões sentiram que muitos dos personagens foram adicionados devido ao seu apelo de marketing, e não à adequação de um jogo de luta.[20]

O designer de personagens de PaRappa, Rodney Greenblat, ficou feliz ao ver PaRappa retornar aos videogames, mas ele não ficou feliz em vê-lo em um jogo violento. "Estou muito feliz que PaRappa esteja voltando um pouco, mas não tão feliz por ele estar em um jogo de batalha cheio de armas. Na verdade, o jogo Battle Royale é divertido, e eu tenho que fazer o possível para recuperar Parappa de volta. na cena do jogo. Minha esperança é que a Sony realize o verdadeiro potencial de ouro de Parappa e me peça para criar alguns jogos novos. Aprendi muito e acho que Parappa pode ser ótimo novamente ", disse Greenblat.[21]

A IGN deu ao jogo um 8/10, declarando; "Ele combina personagens, ambientes e idéias em um pacote apertado que é digno de consideração para quem possui um PlayStation 3 e PlayStation Vita e se considera um fiel da marca ou simplesmente um fã de longa data ... Sei que será difícil para alguns céticos acreditarem, mas o PlayStation All-Stars é o seu próprio jogo, e até faz algumas coisas melhores do que o inspirava.[15] A GameSpot deu ao jogo uma pontuação de 6,5 / 10, comentando "Existem jogos melhores e mais fluidos por aí para os lutadores sérios, e existem jogos mais acessíveis para os interessados ​​em um pouco de tolice. Ao tentar misturar os dois, o PlayStation All-Stars Battle Royale acaba sendo competente em ambos e o mestre de nenhum.[22]

Em 21 de dezembro de 2012, o jogo foi indicado para o Melhor Jogo de Luta Geral da IGN e ganhou o IGN People's Choice Award.[23]

O jogo também recebeu o Jogo de Luta do Ano, no D.I.C.E Summit's Interactive Achievement Awards de 2013.[24]

Vendas e futuroEditar

Shuhei Yoshida confirmou que mais de um milhão de cópias do jogo haviam sido vendidas até 12 de junho de 2013, embora ele admitisse que, na época, isso não era suficiente para justificar uma sequência ou o desenvolvimento de um DLC adicional para o jogo.[25] Ele afirmou que, embora estivesse pessoalmente satisfeito com a implementação crossover dos personagens e dos mundos, ele via mais potencial para isso dar certo usando diferentes mecânicas de jogo.[25] Em agosto de 2013, uma coleção de minijogos grátis para jogar, PlayStation All-Stars Island, foi lançada para dispositivos iOS como uma promoção cruzada com a Coca-Cola Zero.[26] O jogo foi posteriormente disponibilizado para plataformas Android também, mas ambas as plataformas só tiveram um lançamento limitado em territórios europeus específicos.[26]

Ver tambémEditar

Referências

  1. http://www.ign.com/articles/2012/08/13/rumor-playstation-all-stars-battle-royale-delayed
  2. Joystiq - PS Blog: PlayStation All-Stars delayed a month
  3. a b Twitter - Superbot Entertainment
  4. Página oficial
  5. Marty Sliva. «PlayStation All-Stars Review: Insincere Flattery». 1UP.com. Consultado em 5 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2012 
  6. Tamoor Hussain (20 de novembro de 2012). «DEEP, STRATEGIC, BUT NOT VERY EXCITING». CVG. Consultado em 5 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 21 de julho de 2013 
  7. Josh Harmon (20 de novembro de 2012). «Royale with cheese». EGM. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  8. Simon Parkin (21 de novembro de 2012). «PaRappa the slapper.». Eurogamer. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  9. Alex Rubens (21 de novembro de 2012). «Legendary PlayStation characters unite to bash and brawl in this party game-style beat-em-up.». G4. Consultado em 5 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 24 de setembro de 2016 
  10. Dan Ryckert (20 de novembro de 2012). «Sony's Heavy Hitters Face Off». Game Informer. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  11. Anthony Severino (20 de novembro de 2012). «PlayStation Smash Bros. That's what this game is, right?». Game Revolution. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  12. Mark Walton (20 de novembro de 2012). «PlayStation All-Stars' mix of playful franchise mash-ups and four-player battles fail to mesh with its complex fighting mechanics.». GameSpot. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  13. Lucas Sullivan (20 de novembro de 2012). «Hey now, you're an All-Star». Games Radar. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  14. «PlayStation All-Stars Battle Royale GT». GameTrailers. 20 de novembro de 2012. Consultado em 5 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 25 de janeiro de 2013 
  15. a b Colin Moriarty (20 de novembro de 2012). «Kick, punch, you all remember.». IGN. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  16. Phil Iwaniuk (20 de novembro de 2012). «PlayStation All-Stars Battle Royale review & gameplay video – Fighty fan-fest has the chops, but not the ambition». PlayStation Official Magazine - UK. Consultado em 5 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 21 de abril de 2013 
  17. a b «PLAYSTATION ALL-STARS BATTLE ROYALE PlayStation 3». Metacritic. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  18. a b «PLAYSTATION ALL-STARS BATTLE ROYALE PSVITA CRITIC». Metacritic. Consultado em 23 de setembro de 2013 
  19. Riley Little (20 de novembro de 2012). «PSASBR Review». GameRant. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  20. «4 December 2012 PlayStation All-Stars: Battle Royale». GoodGame. 4 de dezembro de 2012. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  21. Emily Rogers (10 de setembro de 2012). «UmJammer Lammy, PlayStation All-Stars, and Nintendo». Dromble. Arquivado do original em 28 de abril de 2012 
  22. «PlayStation All-Stars Battle Royale Reviews». GameSpot 
  23. «Best Overall Fighting Game». IGN Canada. 21 de dezembro de 2012. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  24. «PLAYSTATION ALL-STARS BATTLE ROYALE DICE». D.I.C.E. Consultado em 5 de outubro de 2019 
  25. a b Jason Dunning (12 de junho de 2013). «Shuhei Yoshida: Never Say Never to a PlayStation All-Stars Sequel». PlayStation LifeStyle. Consultado em 23 de setembro de 2019 
  26. a b Mike Fahey (8 de agosto de 2013). «PlayStation All Stars Lives On As Coke Sponsored Mobile Mini-Games». Kotaku. Consultado em 23 de setembro de 2019 

Ligações ExternasEditar