Abrir menu principal
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido (desde fevereiro de 2014). Ajude e colabore com a tradução.
R-5
Bombardeiro
Um Polikarpov R-5 em Voo.
Descrição
Tipo / Missão Bombardeiro leve e reconhecimento aéreo militar
Transporte civil
País de origem  União Soviética
Fabricante Polikarpov
Período de produção 1930-?
Quantidade produzida ~7000
Primeiro voo em 1928 (91 anos)
Introduzido em 1930
Aposentado em 1944
Variantes
Tripulação 2
Passageiros 16 (P-5)
Carga útil 400 kg (882 lb)
Especificações (Modelo: Produção de 1930)
Dimensões
Comprimento 10,56 m (34,6 ft)
Envergadura 15,5 m (50,9 ft)
Altura 3,25 m (10,7 ft)
Área das asas 50,2  (540 ft²)
Alongamento 4.8
Peso(s)
Peso vazio 1 969 kg (4 340 lb)
Peso carregado 3 247 kg (7 160 lb)
Propulsão
Motor(es) 1 x motor a pistão V12 refrigerado a água Mikulin M-17B
Potência (por motor) 507 hp (378 kW)
Performance
Velocidade máxima 228 km/h (123 kn)
Alcance (MTOW) 800 km (497 mi)
Teto máximo 6 400 m (21 000 ft)
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 1 x metralhadora PV-1 de 7,62 mm (0,300 in) de tiro frontal
1 x metralhadora DA de 7,62 mm (0,300 in) no cockpit traseiro
Bombas 250 kg (551 lb) em racks
Notas
Dados de: The Osprey Encyclopedia of Russian Aircraft from 1875 - 1995[1]

Polikarpov R-5 foi um avião bombardeiro de reconhecimento leve utilizado pela Força Aérea Soviética durante toda a década de 1930 até meados da década de 40. Ele também foi muito utilizado como um transporte civil leve. Foram construídas mais de 7000 aeronaves desse modelo.

Índice

DesenvolvimentoEditar

O R-5 foi desenvolvido por um birô de projetos liderado por Nikolai Nikolaevich Polikarpov como um substituto para o R-1, tendo servido como avião de reconhecimento padrão e bombardeiro leve, na Força Aérea Soviética.

O protótipo voou pela primeira vez no outono de 1928,[2] impulsionado por um motor BMW VI (V-12) importado da Alemanha. Ele era um biplano monoplace, construído quase que totalmente em madeira.

Após um extensivo processo de avaliação, o R-5 entrou em produção em 1930, sendo impulsionado por um motor Mikulin M-17 (cópia construído sob licença do BMW-VI), primariamente como um bombardeiro de reconhecimento.[3] Além disso, versões modificadas foram produzidas para servir como hidroavião, avião de ataque ao solo e transporte civil.

O modelo R-5SSS, uma versão melhorada de bombardeiro de reconhecimento com um processo de produção mais simples, serviu de base para o Polikarpov R-Z, que sucedeu ao R-5 na linha de produção.

História OperacionalEditar

O avião foi projetado por Nikolai Polikarpov em 1928. 1.000 aeronaves foram fabricadas para a Aeroflot sob a designação P-5. A aeronave também foi utilizada pela Força Aérea Soviética, a partir de 1931. Eles operaram 5.000 aeronaves sob a designação R-5.

O R-5 tornou-se o avião de reconhecimento e ataque padrão da força aérea da URSS, sendo usado em grande número, com mais de 100 regimentos equipados com o R-5.[3] O R-5 serviu também na Força Aérea do Povo Mongol durante a Batalha de Khalkhin Gol contra o Japão, e teve participação ativa na invasão soviética da Polônia, e na Guerra de Inverno de 1939-40 contra a Finlândia, onde eram conhecidos como o hermosaha ("serra nervos"). Os finlandeses abateram e capturaram vários R-5, mas não conseguiram colocar nenhum deles em serviço operacional. Eles permaneceram em serviço durante a guerra contra a Alemanha (1941-45), na qual foram usados ​​principalmente como bombardeiros noturnos e aeronaves de ligação, servindo até 1944.[4]

Os R-5 também foram utilizados pela Força Aérea da República Espanhola na guerra civil daquele país, 31 unidades foram vendidos para a Espanha. Estas chegaram em novembro de 1936, e foram rapidamente inseridos em operações de combate, mas eram lentos e foram relegados à função de bombardeiro noturno. Sete R-5 permaneciam em boas condições março 1939. A aeronave era conhecido como o "Rasante" na Força Aérea Republicana.[5]

Versões civis do R-5 foram muito utilizadas, principalmente pela Aeroflot. Eles foram usados ​​para transportar até 400 kg de carga, sendo muitos equipados com uma cabina traseira mais larga de modo a transportar dois passageiros. Outras aeronaves foram equipados com cabines fechadas para os passageiros. Os P-5 também eram adaptados para levar contêineres (ou kasseta) sob as asas para transporte de mercadorias ou passageiros um P-5 adaptado dessa forma, transportava 16 adultos, incluindo sete em cada "kasseta". Um P-5, equipado com esquis e contêineres teve papel chave no resgate da tripulação do navio a vapor Chelyuskin que ficou preso no gelo em 1934. Modelos do R-5 para uso civil, permaneceram em serviço até depois do fim da Segunda Guerra Mundial.[6]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Gunston, Bill (1995). The Osprey Encyclopedia of Russian Aircraft, 1875-1995. Osprey Publishing Company. ISBN 978-1-85532-405-3.
  2. Donald, David (1997). The Complete Encyclopedia of World Aircraft. [S.l.]: Aerospace Publishing. ISBN 1-85605-375-X 
  3. a b Gunston, Bill (1995). The Osprey Encyclopedia of Russian Aircraft. 1875 - 1995. [S.l.]: Osprey Publishing, Limited. ISBN 1-85532-405-9. Consultado em 16 de fevereiro de 2014 
  4. Higham, Robin; John T. Greenwood, Von Hardesty (1998). Russian Aviation and Air Power in the Twentieth Century. [S.l.]: Taylor & Francis. ISBN 0-7146-4380-7. Consultado em 16 de fevereiro de 2014 
  5. «Aviones de la Fuerza Aérea de la República Española». Sociedad Benéfica de Historiadores Aficionados y Creadores. Consultado em 16 de fevereiro de 2014 
  6. Savine, Alexandre (25 de janeiro de 1996). «R-5-pods». Russian Aviation Museum. Consultado em 16 de fevereiro de 2014 

Ligações externasEditar