Abrir menu principal

Prêmio Angelo Agostini - Lançamento independente

Prêmio Angelo Agostini - Lançamento independente
Local São Paulo
País  Brasil
Primeira cerimónia 1993
Detentor AQC-ESP
Sítio oficial

Lançamento independente é uma das categorias do Prêmio Angelo Agostini, premiação brasileira dedicada aos quadrinhos que é realizada desde 1985.

HistóriaEditar

A categoria "Lançamento independente" faz parte do Prêmio Angelo Agostini desde sua vigésima sétima edição, em 2011. É destinada a premiar histórias em quadrinhos inéditas que tenham sido publicadas de forma independente. São elegíveis tanto graphic novels de edição única, quanto minisséries ou primeiras edições de séries regulares. Os vencedores são escolhidos por votação aberta organizada pela Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP) com base na produção brasileira de quadrinhos no ano anterior ao da cerimônia de premiação. Até 2010, as publicações independentes participavam da categoria "Lançamento" ou "Fanzine".[1]

Até 2018, a cédula de votação do Prêmio Angelo Agostini não trazia indicação de nomes, cabendo a cada votante escrever o nome de seu escolhido, desde que se cumprissem as regras de elegibilidade. A partir de 2019, passou ser divulgada uma relação de até dez indicados em cada categoria, escolhida por uma comissão julgadora. Contudo, mesmo tendo uma lista de indicados, o votante ainda pode escolher um artista ou obra que não esteja indicado.[2]

VencedoresEditar

Ano Obra Autor(es) Outros indicados Notas
2011 Lucas da Vila de Sant'anna da Feira Marcos Franco, Marcelo Lima e Hélcio Rogério [1]
2012 Love Hurts Murilo Martins [3]
2013 Last RPG Fantasy Yoshi Itice, Marcel Keiiche e Kendy Saito [4]
2014 Plataforma HQ vários autores [5]
2015 Nenhum dia sem um traço Ernani Cousandier [6]
2016 Nos bastidores da Bíblia - Êxodo Carlos Ruas e Leonardo Maciel [7]
2017 Protocolo: A Ordem Thiago da Silva Mota e Ton Marx [8]
2018 Bilhetes vários autores [9]
2019 Saudade Melissa Garabeli e Phellip Willian
  • Agente Sommos (Flávio Luiz Nogueira)
  • Artemisia 1 - O Muiraquitã Original (Ton Lima, Francélia Pereira e Wesllei Manoel)
  • Maré Alta (Flávia Borges)
  • Martírio de Joana Dark Side (Wagner Willian)
  • O Bar do Pântano (e Outras Desgraças) (Felipe Tazzo e Daniel Sousa)
  • QuackRanger (Alexandre Dal Gallo)
  • Quadrinhos Fantásticos de Silvio Ribeiro (Silvio Ribeiro)
  • Sinistra #1 (coletivo organizado por Hector Lima)
  • Tinta Fresca (Digo Freitas e Vinicius Gressana)

[10][11]

Referências