Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis e independentes (desde agosto de 2012). Fontes primárias, ou com conflitos de interesse, não são adequadas para verbetes enciclopédicos. Ajude a incluir referências.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A PricewaterhouseCoopers, também chamada PwC, é uma das maiores prestadoras de serviços profissionais do mundo nas áreas de auditoria, consultoria e outros serviços acessórios para todo tipo de empresas e no mundo inteiro.

Junto com KPMG, Ernst & Young e Deloitte, a PricewaterhouseCoopers é uma das principais envolvidas no escândalo financeiro internacional chamado Luxemburgo leaks, em que grandes empresas transnacionais evitaram o pagamento de impostos através de um artifício legal chamado elisão fiscal.[1]

Foi formada em 1998, na fusão entre Price Waterhouse e Coopers & Lybrand, ambas londrinas.

As firmas que compõem o network global estão presentes em 158 países e congregam mais de 154.000 colaboradores e sócios em todo o mundo, (só no Brasil são 17 escritórios) ela faz parte do seleto grupo apelidado de "Big Four" de empresas de consultoria e auditoria.

A "PwC" resultou da fusão, em 1998, entre as empresas Price Waterhouse e Coopers & Lybrand, que têm as suas origens nos negócios iniciados por Samuel Price e William Cooper, em Londres nos meados do século XIX, tendo passado as duas por processos de fusão sucessivos em que os nomes de outros sócios foram sendo incorporados.[carece de fontes?]

Ligações externasEditar

Referências

  1. Michael Hudson, Sasha Chavkin e Bart Mos (5 de novembro de 2014). «Big 4 Audit Firms Play Big Role in Offshore Murk». The International Consortium of Investigative Journalists. Consultado em 9 de novembro de 2014