Abrir menu principal
Primos da Ilha
Fundação 21 de março de 1990 (29 anos)
Escola-madrinha Vitória-Régia
Cores
Azul Marinho
Azul Celeste
Branco
Símbolo Um Pandeiro e uma coroa
Bairro São Francisco
Presidente Werly Medeiros
Desfile de 2019
Enredo Não queremos aceitação, queremos respeito! Se quer falar de cura, cure seu preconceito!

O Grêmio Recreativo Carnavalesco Primos da Ilha (frequentemente referida como Primos da Ilha ou apenas ILHA) é uma escola de samba de Manaus, Amazonas. Sua quadra está localizada na Rua Gaudêncio Ramos, no bairro do São Francisco. Foi fundada dia 21 de Março de 1990 por Nelson de Medeiros, ex-presidente da Vitória-Régia da Praça 14. É a agremiação do Grupo de Acesso "A" que mais possui títulos, oito ao total, além de participar dos desfiles do Grupo Especial de 1993 à 1995, 2005 à 2006 e 2016, 2019 - atualmente, tendo como sua melhor colocação um sexto lugar em 1993 e 1994.

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

 
Werly de Medeiros (esquerda) e Nelson de Medeiros (direita) recebendo o troféu de Campeã do Grupo Especial B em 2005.

O Grêmio Recreativo Carnavalesco Primos da Ilha, foi fundado no dia 21 de março de 1990 às 21 horas na residência do seu presidente e fundador Nelson de Medeiros na rua General Carneiro, bairro de São Francisco. A denominação “Primos da Ilha” surge pelo fato de que na comunidade existiam vários acidentes geográficos que fazem alusão a uma ilha e também devido ao grande número de parentes que o então presidente tinha no bairro, ou seja, por ter vários primos, por isso “Primos da ilha”.

Para preencher uma lacuna que existia no carnaval de Manaus, a agremiação nasceu nas cores azul Marinho, azul celeste e branco (aceitando o temo "Azul e Branco" para fins de abreviação)[1]. Numa noite de euforia, com a participação de inúmeros amigos da comunidade do samba, surgiu então o G.R.C. Primos da Ilha, fundado no bairro de São Francisco. O bairro foi escolhido por possuir várias manifestações culturais como: cirandas, bois-bumbás e quadrilhas faltando à comunidade apenas uma agremiação carnavalesca. A escola atualmente desfila no centro de convenções “sambódromo”, através dos convênios firmados com os setores públicos, por intermédio das associações de escolas de samba representativas e órgãos públicos.

O G.R.C Primos da Ilha desenvolve atividades socioculturais na comunidade, com palestras de combates às drogas, cursos de aperfeiçoamento profissionais de corte e costura, utilização do espaço oferecido para o desporto como, capoeira e judô. parceria com grupos folclóricos da comunidade para ensaios e festivais folclóricos, afim de, promover a cultura regional e o divertimento da comunidade. Em planejamento a Primos da Ilha deslumbra a possibilidade da criação do curso de inicialização de música popular e cursos técnicos administrativo, além de uma área de laser para comunidades realizar suas festas de aniversário, casamento e outras.

Início no Carnaval de ManausEditar

 
Abre-Alas do desfile da Primos da Ilha em 1998, em homenagem ao jogador de futebol Nilo.

A escola iniciou-se no carnaval desfilando em 1992, apenas como convidada, homenageando o artista Armando Barbosa, no recém inaugurado Centro de Convenções de Manaus (Sambódromo) da então nascente AGEESMA. A agremiação é a única na história do Sambódromo que já começou desfilando no Grupo Especial. Já em 1993, homenageou um do ícones do Carnaval de Manaus, Eunice Medeiros, fundadora da primeira escola de samba de Manaus e mãe do então presidente Nelson de Medeiros. Em 1994 comemorou os cem anos da vinda do futebol para o Brasil. Em todos os anos no grupo Especial a agremiação ficou em último lugar e como não havia grupo de acesso, a escola permanecia no Grupo Especial, porém, em 1995, ano que homenageou Klinger Araújo, cantor de toadas de boi e radialista de Manaus, foi criado o Grupo 1 e a escola foi rebaixada junto com a Ipixuna. Em 1996, já no Grupo 1 fez uma homenagem ao Maestro Carlos Gomes na passarela do Samba, ficando em 4º Lugar. Em 1997 abordou o tema sobre ditados populares: "São nove horas tudo é folia/ Primos da Ilha veste a fantasia/Quem está fora vem para dentro/ Quem está dentro entra em harmonia". Em 1998 falou de Nilo, jogador de futsal. Mais uma vez, 4º lugar. Em 1999, desfilou mesmo sem recursos financeiros, junto com a co-irmã Presidente Vargas, sem julgamento.

Primeiros campeonatos e morte do presidenteEditar

No ano 2000 foi campeã junto outras 3 escolas: Ipixuna, Andanças de Ciganos e Presidente Vargas, não havendo julgamento. Em 2001 foi proclamada campeã pelo único jurado que foi posto para julgar pelo Grupo 1, Marinho Saúba, da Vitória Régia. O resultado não foi aceito pelas outras escolas (que se proclamaram também campeãs). Em 2002 com o enredo "Zé Pretinho" teve um dos Sambas de Enredo mais bonitos do carnaval daquele ano além de consequentemente levar o tricampeonato. Em 2005, venceu o recém criado Grupo Especial B (que era uma espécie de Grupo de Acesso, mas as duas escolas pertencentes a esse grupo desfilavam no mesmo dia que o Grupo Especial), neste ano a escola comemorou o 15º ano de criação do Grêmio e continuou no Grupo especial B para 2006.

O fundador Nelson de Medeiros faleceu no dia 13 de agosto de 2006 (no dia dos Pais) assumindo a direção da escola seus filhos: Werly (Nelsinho) e Nelma Medeiros. Em 2006, a escola homenageou Santos Dumont, porém, não conseguiu o bicampeonato e voltou para o Grupo de Acesso onde permaneceu até 2015. Em 2007, a escola homenageou seu fundador que morreu no ano anterior, ficando em 4º Lugar e tendo uma de suas alegorias com o título de "Melhor Alegoria do Grupo de Acesso". No ano seguinte, clamou por preservação em um dos mais bonitos desfiles da história da escola, que ficou em 3º lugar. Em 2009, teve a internet como tema de seu carnaval.[2] ficando na quinta colocação.

 
Abre-Alas do Desfile da Primos da Ilha em 2014, em homenagem a Manaus.

Em 2010 se auto-homenageou ficando na décimo primeiro lugar do Grupo de acesso da AERMA. Nos seus 21 anos, a escola decidiu homenagear o bairro que a acolheu, o São Francisco, ficando em 4º lugar, porém, recebeu críticas positivas sobre seu desfile. Em 2012, no dia do desfile ocorreu um tiroteio na comunidade da agremiação, onde a integrante Wellen Francisca foi baleada na cabeça, vindo a falecer.[3] Devido a isso, muitos dos brincantes do bairro não desfilaram na escola que ficou na quinta posição do carnaval naquele ano homenageando o cinema.[4] Em 2013 homenageou o projeto tocando em frente que completava 10 anos, ficando em 4º Lugar. Em 2014, foi uma das preferidas para ocupar a vaga no Grupo Especial, sendo comentada por todos os envolvidos no carnaval antes e depois de seu desfile onde homenageou a cidade de Manaus, todos aclamaram a escola campeã do grupo de acesso A, porém, na apuração ficou como vice-campeã, perdendo para a Império Da Kamélia por alguns pontos.

 
3ª Alegoria da Primos da Ilha no desfile de 2015, homenageando Jander Lemos.

Em 2015, nos seus 25 anos, a escola homenageou um dos maiores artistas amazonenses, o cenógrafo Jander Lemos, apelidado de "o Curumim", consequentemente levando o título e substituindo as escolas de samba Balaku Blaku e Império da Kamélia que foram rebaixadas no ano de 2016 no Grupo Especial. Novamente foi a escola mais comentada do grupo de Acesso pelo belíssimo desfile, trouxe três alegorias para a avenida sendo a ultima delas, a que continha o homenageado, uma representação de São Jorge e o Dragão, totalmente aclamada por todos que se encontravam no sambódromo.[5]

Retorno ao Grupo Especial e rebaixamentoEditar

 
Abre-Alas do desfile de 2016, em homenagem a Mulher.

Em 2016, retornando ao Grupo Especial, após 10 Anos desfilando no Grupo de Acesso, a escola decidiu então homenagear a mulher com o tema "Sou Berço da Vida, Fonte de Inspiração, Guerreira, Sou Ilha, Sou Mulher!". Desfilou no dia 06 de Fevereiro as 20 horas, sendo a escola a abrir os desfiles da noite. Com 2 mil componentes, 14 alas, duas alegorias e um tripé, a escola foi pelo terceiro ano seguido aclamada pela crítica do carnaval amazonense, porém, acabou ficando na oitava colocação, e mais uma vez sendo rebaixada, cedendo o lugar para a escola de samba Vila da Barra e voltando para o Grupo de Acesso A no ano seguinte.[6]. Em 2017, inesperadamente o título veio, porém, com um acordo firmado pelas escolas de samba de Manaus, ficou acertado que não haveria acesso e decesso naquele ano, a escola então permaneceu no Grupo de Acesso. Com o tema "A Força e Magia dos 4 Elementos, a escola conquistou seu 7º Titulo, se firmando como a escola com mais títulos do Grupo de Acesso, após um empate com outras duas escolas de samba, Beija-Flor do Norte e Unidos da Cidade Nova, porém, a definição veio após a leitura do quesito alegorias e adereços, que era o critério de desempate segundo o artigo 60 do regulamento do Grupo de Acesso A.[7]

Em 2018, brigando pelo 8º título e pela chance de retornar ao Grupo Especial, a escola de samba decidiu homenagear a Vitória Régia, sua Escola-Madrinha, localizada na Praça 14 de Janeiro, onde a família Medeiros fez história ao ser uma das fundadoras da primeira escola de samba de Manaus, a Escola Mista da Praça 14 de Janeiro. Nelson de Medeiros foi presidente da Vitória Regia e depois fundou a Primos da Ilha. Com o enredo "Vitória Régia: A Ilha Saúda o teu Pavilhão. Berço do Samba, Raiz e Tradição" a escola desfilou na madrugada do dia 9 de Fevereiro de 2018, com uma alegoria e um tripé, positivamente criticados pelo publico do carnaval. E com a diferença de mais de um ponto da segunda colocada, o grêmio levou o 8º Titulo, e com o rebaixamento da Sem Compromisso a escola volta a desfilar na elite do carnaval em 2019.[8]

SegmentosEditar

PresidentesEditar

 
Nelma de Medeiros (direita), Werly de Medeiros (centro) e sua esposa no desfile da Primos da Ilha em 2016.
Nome Mandato Ref.
Nelson Medeiros 1990 - 2006 [9]
Werly Medeiros 2007 - 2014 [10]
Nelma Medeiros 2015 - 2016 [11]
Werly Medeiros 2017-Presente [12]

A família Medeiros foi uma das fundadoras da primeira escola de samba de Manaus, a Escola Mista da Praça 14 de Janeiro em 1946 e da escola mais velha em atividade, a Vitória-Régia, então Nelson de Medeiros fundou o G.R.C. Primos da Ilha e durante seu mandato conquistou os primeiros cinco títulos da escola. Nelson presidiu a escola do ano de fundação até 2005, quando se afastou devido a problemas de saúde, a presidência então foi repassada a seu filho, Werly Medeiros, que já atuava na escola como responsável por colocar a escola na avenida, o mesmo também cuidou do desfile da escola no Grupo Especial em 2005 antes de assumir a presidência. O filho do fundador seguiu a frente da agremiação até 2014, quando passou a presidência para Nelma de Medeiros, sua irmã e que também já participava das atividades da escola como Porta-bandeira. A família Medeiros esteve a frente da escola desde a sua fundação. [13]

 
Fernando Medeiros, fundador da primeira Escola de Samba de Manaus, a Escola Mista da Praça-14 e Presidente de Honra do G.R.C. Primos da Ilha

Presidentes de HonraEditar

Ano de recebimento Nome Ref.
1990 Fernando Medeiros
2007 Graça Medeiros
2010 Nelma Medeiros

Ao longo dos anos, apenas 3 pessoas receberam o título de Presidente de Honra da escola, o primeiro, Fernando Medeiros, fundador da primeira escola da samba de Manaus, a Escola Mista da Praça 14 de Janeiro, pai do fundador da agremiação Nelson de Medeiros. Fernando Medeiros não participou ativamente das atividades da escola, mas aceitou o título, que carregou até sua morte em meados dos anos 90. A segunda pessoa a receber o título honroso foi Graça de Medeiros, esposa de Nelson de Medeiros e uma das fundadoras, que por muitos anos ajudou a escola, atualmente a mesma não exerce nenhuma função na agremiação. A terceira pessoa a receber o título foi Nelma Medeiros, filha de Nelson de Medeiros, em 2015 se tornou Presidente da Escola, mas no ano seguinte decidiu entregar o cargo e encerrar suas atividades na escola.

IntérpretesEditar

Nome Mandato Ref.
Edmundo Soldado 1990 - 1999
Jairo Santos 2000 - 2017
Tom Maia 2018-Presente

Edmundo Soldado foi o primeiro Intérprete da escola, ficou nos anos de 1990 à 1999, quando Jairo Santos, recém descoberto pelo presidente Nelson de Medeiros, assumiu o posto, defendendo-o até final de 2017, totalizando quase 18 anos sendo intérprete oficial da escola. Atualmente o posto é defendido por Tom Maia, que já atuava na escola como apoio.

DiretoresEditar

Ano Diretor de Carnaval Diretor de harmonia Mestre de bateria Coreógrafo Ref.
2011 Nelma Medeiros Nelma Medeiros Félix Klinger Lameque
2012 Sergio Magno
2013 Sérgio Magno
2014
2015 Werly Medeiros Fernanda Medeiros, Val Castelo Branco e Thiago Souza
2016 Leonardo dos Anjos
2017 Yago Duarte SanKlever Castelo Branco
2018 Handara Ferreira
2019 Thiago Souza e Fernanda Medeiros Marinho Saúba

A bateria da Primos da Ilha é conhecida por ter sido a única do grupo de Acesso por muitos anos que fazia ensaios todas as semanas, chegando a fechar a rua Galdêncio Ramos para ensaios fora da quadra com o prestígio da comunidade. É também conhecida pela chamada: "Primos da Ilha vem chegando, aguenta coração! Sou azul e branco, sou paixão!", porém a mesma não é usada desde 2013. Seu primeiro Mestre de Bateria foi o renomado Mestre Didi Redman, atual presidente da Madrinha Vitória Régia. Segundo a Diretoria da Escola, o mestre ficou a frente da bateria nos anos de 1992 à 1999, portanto 8 anos.[14]

A segunda pessoa a assumir o posto de Mestre de Bateria, foi Mestre Moisés Douglas, que já atuava na Diretoria de Bateria, ficando inicialmente quatro anos, de 1999 até 2003, quando retornou em 2007 em homenagem ao então falecido Presidente Nelson de Medeiros, permanecendo no cargo apenas naquele ano. Durante o período de 2004 a 2006, a bateria esteve sob comando do Mestre Denis Carvalho, também morador da comunidade.

 
Logo da Bateria "Moleque Atrevido".

Visando dar mais uma vez a oportunidade de alguém da comunidade para atuar no comando da bateria, a Diretoria escolheu entre os diretores da própria bateria, então Felix Klinger assumiu o posto de Mestre de Bateria. Com total sucesso na escolha, o mestre ficou do ano de 2008 até 2015, quando neste último ano dividiu a liderança com o Mestre Leonardo dos Anjos que no ano seguinte assumiria o posto de Mestre de Bateria, também somente naquele ano.

Desde 2014, a Bateria é apelidada carinhosamente de "Moleque Atrevido", uma referência ao samba interpretado por Jorge Aragão. Além de ser cantada pelo intérprete oficial em todos os esquentas, minutos antes do início de cada desfile. Ganhando, também, um logo oficial com um menino de cabelo azul vestindo a camisa da escola. No ano de 2018, SanKlever Castelo Branco, pelo segundo ano consecutivo comandou a bateria em que esteve desde sua infância, e antes de assumir o cargo, passou de ritimista à diretoria de Bateria, até ser promovido a Mestre.[15] Para o carnaval de 2019, com a saída de Sanklever, assume a bateria o renomeado Mestre Saúba, um dos fundadores do grêmio, depois de anos comandando a bateria da co-irmã Unidos do Alvorada.

Casais de Mestre-sala e Porta-bandeiraEditar

 
1º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Samuel Amaral e Luana Medeiros no desfile de 2015.
 
1º Casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Francisco Souza e Leandra Gomes no desfile de 2018.
Ano 1ª Porta-Bandeira 1º Mestre-Sala 2ª Porta-Bandeira 2º Mestre-Sala 3ª Porta-Bandeira 3º Mestre-Sala Mestre-Sala Mirim Porta-Bandeira-Mirim Ref.
2011 Ana Souza Samuel Amaral . . .
2012 Luana Medeiros . . .
2013 Raquel Francisco Souza . .
2014 Gleyd Prado Marcos Prado . .
2015 Leandra Gomes William Oliveira . .
2016 Leandra Gomes Stephany Silva Erom de Sá . Cecília Medeiros João Vitor
2017 Francisco Souza Luan Ribeiro .
2018 Cecília Medeiros Rodrigo Fernandes . .
2019 Dyandra Paula Werly Jr. Paula Carvalho Brando Willis .

O primeiro casal a desfilar pela escola foi Solange Medeiros, sobrinha do então Presidente Nelson de Medeiros e Zé Maria, renomado Mestre-sala da época, o casal permaneceu no cargo até 1999, somando os dois 8 anos no posto de 1º Casal. No ano 2000, Ana Souza e Carlos Andrade assumiram o posto de Primeiro Casal, Ana foi a Porta-bandeira que permaneceu por mais tempo no posto de 1º Porta-bandeira, somando 12 anos, em um total de 15 anos desfilando pela agremiação. Em 2005, Samuel Souza substituiu Carlos Andrade no posto de 1º Mestre Sala, este também ocupa o posto de Mestre-sala que mais tempo ficou no cargo, totalizando 12 anos, saindo em 2016. Passaram pela escola grandes Portas-Bandeira, entre elas, Nelma Medeiros, filha do fundador e presidente entre os anos de 2015 a 2016 e Fernanda Medeiros, atual vice-presidente da escola. Já entre os Mestres-Sala, Nedson Medeiros, irmão do fundador Nelson Medeiros. No ano de 2019, o primeiro pavilhão é defendido por Dyandra Paula e pela terceira vez, Francisco Souza, o "Khaju", que iniciou na escola ainda como Mestre-Sala mirim, chegando ao segundo pavilhão com sua prima Luana Medeiros, nos anos de 2002 à 2005, quando se tornou primeiro na Vitória Régia, retornando à escola em 2013 como segundo Mestre-Sala e em 2017 como primeiro Mestre-Sala, onde permanece.

Corte de bateriaEditar

 
Tina Moreira, atual Madrinha de Bateria, no desfile de 2016
Ano Rainha Madrinha Musa da Bateria Passista de Ouro Convidada da Realeza Ref.
2010 Marjory Menezes Tina Moreira
2011
2012
2013
2014 Marilsangela Nascimento Kell Vasques
2015
2016 Keise Rosas
2017
2018 Ytalo Carvalho Yanah Oliveira
2019 Ingrid Sanzi Nunes

A atual formação da Corte da Bateria é formada pela Rainha de Bateria Keise Rosa que defende o título pelo 4º ano seguido, pela Musa da Bateria Marisângela Nascimento, no cargo pelo 6º ano seguido, pelo Passista de Ouro Ytalo Carvalho, no cargo pelo 2º ano e pela Madrinha de Bateria Tina Moreira que está na corte da escola há 19 anos, quando defendeu o cargo de Rainha de Bateria nos ano de 2000 até 2007, quando entregou o cargo para Marjory Menezes, irmã do então Mestre de Bateria Kelix Klinger, na época, esta ficando no posto até 2015, quando entregou e por dois anos desfilou como musa da escola.

CarnavaisEditar

Primos da Ilha
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref
1992 Convidada Especial "Armando Barbosa: A bandeira do Samba" Nelson Medeiros
1993 6º Lugar Especial "Cinco décadas de amor ao Carnaval" Nelson Medeiros
1994 6º Lugar Especial "Brasil: Cem anos de Futebol" Nelson Medeiros
1995 8º Lugar Especial Klinger Araújo em prosa e Versos" Nelson Medeiros
1996 4º Lugar Grupo 1 "Carlos Gomes: Poeta e Compositor" Nelson Medeiros
1997 4º Lugar Grupo 1 "Fica o dito pelo não dito" Nelson Medeiros
1998 4º Lugar Grupo 1 "Nilo: A estrela do Futsal" Nelson Medeiros
1999 Não Houve disputa Grupo 1 "Cidadania" Nelson Medeiros
2000 Campeã Grupo 1 "Dez anos de amor ao Carnaval" Nelson Medeiros
2001 Campeã Grupo 1 "Brasil: Terra de bambas" Nelson Medeiros
2002 Campeã Grupo 1 "Zé Pretinho" Nelson Medeiros
2003 4º Lugar Grupo 1 "Exaltações às Flores" Nelson Medeiros
2004 Campeã Grupo 1 "Tudo a Ver" Nelson Medeiros
2005 Campeã Especial B "Primos da Ilha comemora 15 Anos de Carnaval" Nelson Medeiros
2006 Vice-Campeã Especial B "Primos da Ilha exalta Santos Dumont" Nelson Medeiros
2007 3º Lugar Acesso "Nelson Medeiros: Grande Baluarte do Samba" Denis Carvalho
2008 3º Lugar Acesso "Primos da Ilha Canta e Clama por Preservação" Denis Carvalho [16]
2009 11º Lugar Acesso "Primos da Ilha.com" Denis Carvalho [17]
2010 10º Lugar Acesso "Fatos, Histórias e Memórias em 20 Anos de Primos da Ilha" Ronaldo Coimbra
2011 4º lugar Acesso "São Francisco: Bairro de Fé, Cultura e Tradição..." Ronaldo Coimbra [18]
2012 5º lugar Acesso A Primos da ilha, Luz, Câmera e Ação!..." Ronaldo Coimbra [19]
2013 4º lugar Acesso A "Tocando em frente, eu vou!" Ronaldo Coimbra
2014 Vice-campeã Acesso A "Manaus: Mãe dos Deuses, cidade do povo Manaós" Dorival Ramos [20]
2015 Campeã Acesso A "Jander Lemos: A mente cria, o desejo atrai e fé realiza" Lúcio Junior [21]
2016 8º Lugar Especial "Sou Berço da Vida, Fonte de Inspiração, Guerreira, Sou Ilha, Sou Mulher!" Dorival Ramos [22]
2017 Campeã Acesso A "A Força e a Magia dos 4 Elementos" Yago Duarte [23]
2018 Campeã Acesso A "Vitória Régia: A Ilha saúda o teu Pavilhão. Berço do Samba, Raiz e Tradição" Yago Duarte [24]
2019 7º Lugar Especial "Não queremos aceitação, queremos respeito! Se quer falar de cura, cure seu preconceito!

Compositores : Allan Bayma / Carliomar Brandão / Naian Nascimento / Oscar Bessa / Rodrigo Froes / Roney Cruz / Rubinho DuRibeiro / Sandro Romero / Serginho Do Cavaco

Yago Duarte [25]

TítulosEditar

Títulos
Competição Títulos Temporadas
  Grupo de Acesso 8 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2015,2017, 2018

BibliografiaEditar

  • Daniel Sales, SALLES GATTO PRODUÇÔES e LIVRO É Tempo de Sambar, a História do Carnaval de Manaus - Daniel Sales (2008/2009)

Referências

  1. A Diretoria. «BandeiraIlha». Consultado em 23 de setembro de 2018 
  2. «Enredos 2009». Consultado em 6 de novembro de 2010 [ligação inativa]
  3. A Crítica (21 de fevereiro de 2012). «Menina baleada foi vítima do tráfico de Manaus, diz polícia». Consultado em 19 de julho de 2012 
  4. «Presidente Vargas consegue acesso no Carnaval de Manaus». Consultado em 16 de julho de 2012 
  5. Isabelle Marques. «Aparecida é a escola de samba vencedora do Grupo Especial de Manaus». Consultado em 16 de fevereiro de 2015 
  6. PAULO ANDRÉ NUNES. «Escola de samba Primos da Ilha retrata o universo da mulher». Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  7. Paulo André Nunes. «Primos da Ilha leva título do Grupo de Acesso A do Carnaval de Manaus». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  8. Stephane Simões (12 de fevereiro de 2018). «Primos da Ilha é campeã do Grupo de Acesso A, em Manaus». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  9. Marcos Aurélio Ruy (4 de fevereiro de 2016). «Enredo da escola de samba Primos da Ilha, de Manaus, é uma homenagem às mulheres». Consultado em 21 de outubro de 2018 
  10. Clauter Carvalho (19 de agosto de 2014). «Grêmio Recreativo Carnavalesco Primos da Ilha». Consultado em 21 de outubro de 2018 
  11. Paulo André Nunes (5 de fevereiro de 2016). «Escola de samba Primos da Ilha retrata o universo da mulher». Consultado em 21 de outubro de 2018 
  12. Gabriel Oliveira e Steffanie Schmidt (12 de fevereiro de 2018). «Primos da Ilha, Coroado e Tradição Leste vencem Grupos de Acesso». Consultado em 21 de outubro de 2018 
  13. Paulo André Nunes. «Escola de samba Primos da Ilha retrata o universo da mulher». Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  14. Marcos Santos (2 de fevereiro de 2014). «Escolas de Samba de Manaus no Grupo Especial de 2014». Consultado em 25 de setembro de 2018 
  15. PAULO Janner Alves. «Ensaio Técnico 2016 - Primos da Ilha - Bateria Moleque Atrevido». Consultado em 14 de fevereiro de 2018 
  16. Adeilson Passos. «Carnaval 2008: Grupo de Acesso - G.R.E.S Primos da Ilha». Consultado em 17 de fevereiro de 2009 
  17. Rota do Samba. «Carnaval de Manaus 2009». Consultado em 17 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 16 de abril de 2010 
  18. Daniel Salles. «Manaus: As últimas informações dos Grupos Especial, Acesso A e B antes dos desfiles, confir». Consultado em 24 de Setembro de 2018 
  19. Daniel Salles. «Manaus: Ordem dos desfiles de todos Grupos e o raio-x do Acessos.». Consultado em 24 de Setembro de 2018 
  20. Daniel Salles. «Carnaval Manauara: "Os grupos de acesso do carnaval de Manaus"». Consultado em 24 de Setembro de 2018 
  21. Ricardo Delezcluze. «Primos da Ilha: uma história de herança e paixão». Consultado em 17 de janeiro de 2015 
  22. G1 AM. «Escolas de samba do Grupo Especial desfilam no Sambódromo de Manaus». Consultado em 24 de Setembro de 2018 
  23. Paulo André Nunes. «Primos da Ilha leva título do Grupo de Acesso A do Carnaval de Manaus». Consultado em 24 de Setembro de 2018 
  24. Henderson Martins. «Com Homenagem a Vitória Régia, Primos da Ilha ganha no Grupo A de Manaus». Consultado em 24 de Setembro de 2018 
  25. Paulo André Nunes. «Escolas de samba do Grupo Especial de Manaus anunciam enredo do Carnaval 2019». Consultado em 24 de Setembro de 2018 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Primos da Ilha