Vitória Régia (escola de samba)

G.R.E.S Vitória Régia
Fundação 1 de dezembro de 1975 (44 anos)
Cores
Verde
Rosa
Símbolo vitória-régia e coroa
Bairro Praça 14 de Janeiro
Presidente Didi Redman
Presidente de honra Tapioca
Desfile de 2019
Enredo Tinta nas Veias, a Verdade nas Mãos: Na Crítica de Calderaro "70 Anos" A Voz de uma Nação

Grêmio Recreativo Escola de Samba Vitória Régia é uma escola de samba de Manaus, capital do Amazonas. Suas cores oficiais são o verde e o rosa, inspirados na Estação Primeira de Mangueira do Rio de Janeiro. Alcunhada de o "Berço do Samba"[1], é, ao lado da Andanças de Ciganos, a mais antiga escola de Manaus em atividade. Localizada na Praça 14 de Janeiro, foi fundada por membros que participaram da extinta Escola Mixta da Praça 14.[2]

HistóriaEditar

A Vitória Régia foi fundada em uma segunda-feira, 1º de dezembro de 1975, na casa de "Tia" Lindoca, na Rua Jonathas Pedrosa, Praça 14 de Janeiro.[3] Entre seus principais fundadores foram "seu" Fernando, Chiquito, Zé Ruidade, a própria Tia Lindoca, entre outros, descendentes de fundadores da tradicional Escola Mixta da Praça 14 de Janeiro.[3]

A escola realizava seus ensaios no pátio da casa da Tia Lindoca até 1988.[3] Por vezes ensaiava também na própria praça do bairro.[3] No ano de 1989 a agremiação obteve finalmente sua quadra coberta, ao lado da Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Rua Emílio Moreira.[3] Após seu primeiro desfile em 1976, a agremiação conquistou um tetracampeonato (1977, 1978, 1979 - junto à coirmã Em Cima da Hora - e 1980), além do campeonato de 1984 em que foi declarada campeã junto com Andanças de Ciganos, Barelândia e Mocidade de Aparecida. Em 1990, junto ao então emergente Reino Unido da Liberdade, a escola voltava a vencer uma disputa.

Por toda a década de 1990 a Verde e Rosa colecionou vice-campeonatos (1992, 1993, 1994, 1998). Em 1999, a Vitória-Régia homenageou os 50 anos da Rádio Difusora do Amazonas, e contratou o consagrado cantor pernambucano Belo Xis, que no mesmo ano, venceu a disputa de samba de quadra da escola, onde havia 22 obras inscritas.[4] Entretanto, naquele ano, a escola seria desclassificada do Carnaval.

O título seguinte só veio em 2001, junto a outras 3 escolas (A Grande Família, Balaku Blaku e Aparecida) e, finalmente, o título "puro sangue" em 2002, no enredo: "Parintins: fascínio e magia da Ilha Tupinambarana". Nesse ano, o presidente era Darlan Braga, filho de Dauro Braga, o presidente do título de 1990.

Com a subida à presidência de Mestre Didi, antigo diretor de bateria, em 2003, eis que vem mais um título (2004, dividido com a Mocidade de Aparecida), na homenagem à Praça 14, Tia Lurdinha (baiana da escola, falecida um ano antes, e a Nestor Nascimento, advogado, nascido no bairro da Praça 14, defensor das "causas negras", bem como relata o samba da escola).

Em 2005 a escola da Praça 14 homenageou o Amazonas Shopping. Em 2006, mais uma vez fez uma auto-homenagem: "30 anos de história", no samba de Nivaldo Santos, falecido meses depois. Em 2007 falou sobre a água e em 2008 sobre o famoso Mercado Adolpho Lisboa, que fora construído na época áurea da borracha. Em 2009 a Verde Rosa homenageou o político roraimense Ottomar de Souza Pinto.

No ano de 2010, a Verde e Rosa ganhou mais um título, homenageando a Academia Amazonense de Letras. Em 2012, levou para seu desfile um enredo sobre o próprio Sambódromo de Manaus, o maior do Brasil, em capacidade de público: 100 mil pessoas.[5] Com esse desfile, obteve a sexta colocação.[6]

Em 2014, por decisão conjunta das escolas de samba que desfilaram sob forte chuva, todas as agremiações foram declaradas campeãs, com o "Berço do Samba" conquistando seu 11° título com o enredo "Da África ao Amazonas, da escravidão à liberdade – 130 anos da Abolição da Escravatura".[7]

SegmentosEditar

PresidentesEditar

Nome Mandato Ref.
Dauro Braga ? - ?
Darlan Braga ? - ?
Mestre Didi ? - ?
Alexandre Marques "Lelé" ? - 2013 [8]
Ivan Martins 2014 - atualidade [9]

DiretoresEditar

Ano Diretor de Carnaval Diretor de harmonia Mestre de bateria Ref.
1991
1992
1993
1994 Diretor de Bateria:

Mestre Tapioca e Mestre Didi Redman

Mestre de Bateria: Mestre Saúba

1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006 Rodrigo Padilha / Mestre Gil
2007
2008
2009
2010 Comissão
2011 Luiz Coelho e Marlene Silva
2012 Luiz Coelho e Marlene Silva
2013 Antonino Araújo Comissão Didi Redman e Pajé [8]
2014 Elciano Eduardo Comissão de Bateria
2015 Elciano Eduardo Luiz Carlos [10]
2016 Elciano Eduardo
2017 Cosme Lima, Aldenor Lima e Raul Lucena
2018 Darlan Braga Comissao de Harmonia MESTRE DIDI
2019 Rivaldo Pereira Comissao de Harmonia MESTRE CHOCOLATE E COMISSAO
2020 Fabricio Nascimento Felipe França MESTRE CHOCOLATE E COMISSAO

CoreógrafoEditar

Ano Nome Ref.
2014 Luizinho Andrade
2015

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeiraEditar

Ano Nome Ref.
2013 Rogério e Nahuna Sahdo [8]
2016 Gillydson Lessa e Anik Sena [11]
2017

Corte de bateriaEditar

Ano Rainha Madrinha Musa Ref
2011 Mayla Jéssika
2012 Priscila Carla
2013 Fabiana Santos da Silva Rayana Nayra [8]
2014 Bianca Almeida Yara Oliver Rayana Nayra [12]
2015 Bianca Almeida Marcela Santos Alayane Nunes
2016 Marcela Santos Alayane Nunes Mirella Andrade [13]

CarnavaisEditar

Vitória-Régia
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref
1976 Vice-Campeã Especial Lenda Mistica da Vitória Régia Torrado
1977 Campeã Especial Torrado
1978 Campeã Especial
1979 Campeã Especial Ano Internacional da Criança Torrado
1980 Campeã Especial Candomblé Torrado
1981 Vice-Campeã Especial No mundo encantado da primavera Torrado
1982 Vice-Campeã Especial O Circo fantástico da Praça 14 Antonio Luiz Edivaldo Matos Antônio Luís Garcia de Matos
1983 Vice-Campeã Especial Lindo, lindo, lindo, o carnaval num jardim encantado Torrado
1984 Campeã Especial Segura Iô, Segura Yayá, vem para Avenida a Verde e Rosa vai passar... Carlinhos Gordo
1985 3º lugar Especial A força e a raça dos seus imortais (Neném) Torrado
1986 Vice-Campeã Especial Do Divino à Verde e Rosa Torrado
1987 5º lugar Especial Assim nasceu a liberdade
1988 5º lugar Especial Vitória Régia, celeiro de maestrias
1989 Vice-Campeã Especial Vitória Régia nos Reino dos Orixás Torrado
1990 Campeã Especial Nem verde, nem rosa... Torrado
Não houve desfile em 1991
1992 Vice-Campeã Especial A viagem do Rei Nilson
1993 Vice-Campeã Especial De bumbum virado pra lua Torrado e Edmundo soldado
1994 Vice-Campeã Especial Dos tambores de mestre Antão ao ecoar de uma nação Nivaldo Santos
1995 3º lugar Especial Hoje Quem Bota a Banca sou Eu Alzier
1996 3º lugar Especial De verde vivi, de rosa cantei, Manaus que eu vi e sonhei Edmundo soldado
1997 Vice-Campeã Especial Do jeito que o rei pintou... Edmundo Soldado
1998 Vice-Campeã Especial Os 3 ecos do jardim que hoje eu canto Edmundo Soldado
1999 Desclassificada Especial Na carruagem dos sonhos, 50 anos de amor no ar Belo Xis [4]
2000 3º lugar Especial Amazonas, novo milênio de prosperidade Alzier e David Assayag
2001 Campeã Especial Manacapuru, do majestoso Solimões és a eterna princesa...
2002 Campeã Especial Parintins: fascínio e magia do povo Tupinambá
2003 4º lugar Especial Arthur - 4 gerações de glórias
2004 Campeã Especial A Bela União surgiu uma grande nação, a 14 de Tia Lurdinha e Nestor Nascimento (in memoriam)
2005 4º lugar Especial Vitória Régia é Amazonas Shopping
2006 3º lugar Especial Vitória Régia revivendo a sua história mostra 30 anos de glórias
2007 3º lugar Especial Na fonte que canta nasce a água que encanta

Compositores: Marinho Saúba, Edmundo Soldado, Lúcio Júnior e Onércio Torres

Prince [14]
2008 Vice-Campeã Especial Mercado Adolfo Lisboa - A sua História Gloriosa Hoje Cantamos em Verde e Rosa

Compositores: Mestre Caby, Marquinho Costa, Auzier do Samba, Zé Arilson, Ronny, Ribamar e Márcio Ruy

Auzier do Samba [15]
2009 5º lugar Especial Ottomar Pinto: Do Nordeste Decolou e no Coração de Roraima Pousou.
2010 Campeã Especial Cantando o Pensamento na Amazônia, a Verde e Rosa Saúda os Imortais

Compositores: Marinho Saúba, Onércio Torres, Rodrigo Novaes, Lúcio Júnior e Edmundo Soldado
Intérpretes: Auzier do Samba, M.Saúba, Jõão, Jeferson, Arnoldo e Edmundo

2011 6º lugar Especial A Praça 14 Canta e Encanta em Verde e Rosa a História do Teatro Amazonas
Compositores: Schineider e Mestre Major
Intérprete:Mestre Arnoldo
2012 6º lugar Especial Sambódromo: santuário do samba e das festas culturais [5][6].
2013 7º lugar Especial O centenário do Nacional em verde e rosa no nosso carnaval

Compositores: Madson, Pintinho Inspiração, João Paulo, Márcio, Naval, Jaiwson, Malheiros, Nonato ST, Judson e Bambi.

Dudson Carvalho Auzier do Samba e Jr. Blanco [8]
2014 Campeã Especial Da África ao Amazonas, da escravidão à liberdade – 130 anos da Abolição da escravatura Comissão de Carnaval
2015 4º lugar Especial De Nazaré a Conceição no caminho das águas
2016 3º lugar Especial A Terra do Nunca é Verde e Rosa Prince da Verde e Rosa [16][3]
2017 Vice-Campeã Especial Olhos vendados, mãos firmes: A Verde e Rosa clama por justiça!
2018 4º lugar Especial Advocacia dos Primórdios à OAB, Nosso Direito de Sambar em Verde e Rosa
2019 4º lugar Especial Tinta nas Veias, a Verdade nas Mãos: Na Crítica de Calderaro "70 Anos" A Voz de uma Nação Cahê Rodrigues
2020 Especial Wernher Botelho é coisa nossa...O abuso é verde e rosa.

TítulosEditar

  • 1977, 1978, 1979, 1980, 1984, 1990, 2001, 2002, 2004, 2010, 2014 (11 títulos)

Referências

  1. «Com o enredo 'Vitória Regia Clama por Justiça' a 'verde e rosa' promete agitar a galera no dia do desfile». Portal do Zacarias. 5 de fevereiro de 2017. Consultado em 5 de agosto de 2017 
  2. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 187 
  3. a b c d e f Vitória Régia faz homenagem à Terra do Nunca e seus personagens (acessado em 26/07/2016)
  4. a b Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 92 
  5. a b G1 (22 de janeiro de 2012). «Vitória Régia leva história do Sambódromo ao Carnaval de Manaus». Consultado em 19 de julho de 2012 
  6. a b «Reino Unido conquista o bicampeonato no Carnaval 2012 em Manaus». Consultado em 16 de julho de 2012. Arquivado do original em 18 de julho de 2012 
  7. Leal, Vinícius (3 de março de 2014). «Todas as Escolas de Samba são declaradas campeãs em Manaus». Portal Acrítica. Consultado em 09/12//2018  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. a b c d e Marcos Santos (9 de fevereiro de 2013). «Escolas do Grupo Especial desfilam neste sábado (confira as letras e cante os sambas-enrêdos)». Consultado em 29 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2016 
  9. [1]
  10. Band (13 de fevereiro de 2015). «Grupo Especial do Carnaval desfila sábado». Consultado em 29 de novembro de 2016 
  11. Jornal Agora (Manaus, 6 e 7 de fevereiro de 2016). Carnaval 2016. [S.l.: s.n.] p. 18. Consultado em 29 de novembro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  12. Marcos Santos. «Conheça os enredos das escolas de samba de Manaus - desfiles de quinta, sexta e sábado e rainhas de bateria do Grupo Especial - fotos» 
  13. [2]/
  14. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 177 
  15. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 178 
  16. https://archive.is/Q2ZZz

Ligações externasEditar