Questor (do [latim] quaestor, procurador) era o primeiro passo na hierarquia política da Roma Antiga (cursus honorum). O cargo, que implicava funções administrativas, era geralmente ocupado por membros da classe senatorial com menos de 32 anos. O mandato como questor dava acesso direto ao colégio do senado romano. Por serem os cobradores de impostos do império, eram mal-vistos pela população, pois eram "interventores".

Roma Antiga
Roman SPQR banner.svg

Este artigo é parte da série:
Política e governo da
Roma Antiga


Períodos
Reino de Roma
753 a.C.509 a.C.

República Romana
509 a.C.27 a.C.
Império Romano
27 a.C.395
Império Ocidental
395476
Império Oriental
3951453
Sacro Império Romano-Germânico
800/9621806

Constituição romana

Constituição do Reino
Constituição da República
Constituição do Império
Constituição do Dominato
Senado
Assembleias Legislativas
Magistrados executivos

Magistrados ordinários
Magistrados extraordinários
Títulos e Honras
Imperador
Precedente e Lei

Atlas

Na época da república, sempre que acontecia um "problema", entravam em atividade esses funcionários. Esse era o primeiro passo na carreira política da Roma Antiga, porta-voz do senado ou cúria romana. No cargo de função administrativa e imperial (corretiva ou curadora) do senado romano, era por assim dizer um cargo de "intervenção" em determinada região, órgão ou país, no Império Romano e dentro do regime republicano de Roma.[1]

Atualmente, a palavra questor é usada como o título de funcionários de supervisão financeira, e como um posto de polícia na Itália e na Roménia.

Referências

  1. "Os questores" de Hermam Hesser, Editora Aurora Rio de Janeiro, 1938.

BibliografiaEditar

  • Bourne, Frank (Princeton University). "A History of the Romans" Boston, MA. 1967, D.C. Heath and Company
  Este artigo sobre Roma Antiga e o Império Romano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.