Abrir menu principal

Quinta cúpula do BRICS

Quinta cúpula do BRICS
Quinta cimeira BRICS
5th BRICS Summit
Logotipo da 5.ª cúpula do BRICS
Anfitrião África do Sul
Sede Durban
Data 26-27 de março de 2013
Participantes África do Sul Jacob Zuma
Brasil Dilma Rousseff
China Xi Jinping
Índia Manmohan Singh
Rússia Vladimir Putin
Cronologia
Índia Quarta cúpula
Sexta cúpula Brasil

A cúpula dos BRICS de 2013 (pt-BR) ou quinta cimeira BRICS 2013 (pt) foi a quinta versão do evento anual, uma conferência de relações internacionais à qual comparecem os chefes de estado dos cinco países-membros: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A cúpula aconteceu no Centro de Convenções Internacionais Inkosi Albert Luthuli em Durban, entre 26 e 27 de março de 2013.

Foi a primeira vez que a África do Sul hospedou a cúpula dos BRICS. O tema do evento foi "Brics e África: Parceria para o Desenvolvimento, Integração e Industrialização".[1] A cúpula teve diversas discussões entre os chefes de estado sobre questões de desenvolvimento inclusivo e sustentável, a reforma das instituições de governança global, caminhos para a paz, segurança e estabilidade globais. Houve ainda um debate denominado "Liberando o Potencial Africano: a Cooperação entre o Brics e a África em Infraestrutura".

AntecedentesEditar

A declaração final da cúpula BRICS de 2012 dizia que: "Brasil, Rússia, Índia e China agradecem à África do Sul pela proposta de sediar a 5ª Cúpula em 2013. Será dado todo o apoio necessário ao país anfitrião."[2] Os líderes dos BRICS são esperados para discutir a criação de um banco de desenvolvimento.[3] De acordo com Mikhail Margelov eles vão buscar um acordo sobre a quantidade de capital inicial da instituição.[4]

Delegações presentesEditar

Os chefe de Estado/governo dos cinco países participaram da cúpula.

O presidente chinês Xi Jingping participou na primeira reunião internacional de sua presidência.

DiscussõesEditar

A cúpula começou em 26 de março às 17:30 GMT. Entre as questões importantes discutidas esteve a criação do banco de desenvolvimento do BRICS, proposto na cúpula anterior. As discussões sobre o banco focaram sobre o seu papel e qual seria seu retorno, em relação ao grande investimento inicial de cerca de 100 bilhões de dólares.[5]

ReaçõesEditar

O anfitrião, presidente Jacob Zuma, disse que a cúpula poderia resolver os problemas econômicos da África do Sul, como o desemprego elevado. Ele acrescentou: "BRICS oferecem uma oportunidade para a África do Sul promover a sua competitividade. É uma oportunidade para avançar em nossos esforços para promover o crescimento econômico e enfrentar o desafio de pobreza, desigualdade e desemprego que aflige nosso país."[6]

Referências

  1. Nassif, Luís (26 de março de 2013). «Brics devem criar instituição bancária». Luís Nassif Online. Consultado em 29 de março de 2013 
  2. «5th BRICS summit to be held in South Africa in 2013 – declaration» (em inglês). ITAR-TASS News Agency. 29 de março de 2013. Consultado em 29 de março de 2013 
  3. Isa, Mariam (22 de março de 2013). «Brics Summit expected to establish development bank» (em inglês). Business Day Live. Consultado em 29 de março de 2013 
  4. Arkhipov, Ilya (18 de março de 2013). «Russia Sees BRICS Development Bank Rebuilding 'Aging' World Finance» (em inglês). Bloomberg. Consultado em 29 de março de 2013 
  5. «BRICS reach deal over development bank» (em inglês). Al Jazira. 27 de março de 2013. Consultado em 29 de março de 2013 
  6. Cohen, Mike; Arkhipov, Ilya (26 de março de 2013). «BRICS Nations Plan New Bank to Bypass World Bank, IMF» (em inglês). Bloomberg. Consultado em 29 de março de 2013 
Precedido por
Quarta cúpula
Cúpulas do BRICS
Durban 2013
Sucedido por
Sexta cúpula