Quinto Valério Falto

Quinto Valério Falto (em latim: Quintus Valerius Falto) foi um político da gente Valéria da República Romana eleito cônsul em 239 a.C. com Caio Mamílio Turrino. Era irmão de Públio Valério Falto, cônsul no ano seguinte.

Quinto Valério Falto
Cônsul da República Romana
Consulado 239 a.C.

Batalha das ilhas Égadas (241 a.C.)Editar

 Ver artigo principal: Batalha das ilhas Égadas

Com o cargo de pretor, assumiu o comando da frota romana na Batalha das ilhas Égadas, em 241 a.C., a última da Primeira Guerra Púnica, substituindo o comandante-em-chefe e cônsul Caio Lutácio Cátulo, que havia sofrido um ferimento antes e estava impossibilitado de liderar.[1] A sua valorosa conduta durante a batalha lhe valeu uma grande fama entre romanos e cartagineses. A batalha se transformou numa grande vitória para os romanos e praticamente encerrou a Primeira Guerra Púnica, o que lhe valeu um triunfo pretorial,[2] apesar dos protestos do Falto, que reivindicava para si toda a glória. Chamado a arbitrar o caso, o venerável ex-ditador Aulo Atílio Calatino decidiu em favor de Cátulo, concedendo a honra menor a Falto.[3][4]

Consulado (239 a.C.)Editar

Marco Semprônio foi eleito cônsul em 239 a.C. com Caio Mamílio Turrino[5]. Nenhum feito relevante foi registrado durante seu mandato.

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Caio Cláudio Centão

com Marco Semprônio Tuditano

Caio Mamílio Turrino
239 a.C.

com Quinto Valério Falto

Sucedido por:
'Tibério Semprônio Graco

com Públio Valério Falto


Referências

  1. Paulo Orósio, Historiae IV, 10, 5.
  2. Filippo Canali de Rossi. «Il sepolcro di Atilio Calatino presso la porta Esquilina» (PDF) (em italiano). fastionline.org. p. 4 
  3. Valério Máximo, II, 8, 2
  4. (em alemão) Tassilo Schmitt: Valerius [I 13]. In: Der Neue Pauly (DNP). Volume 12/1, Metzler, Stuttgart 2002, ISBN 3-476-01482-7, Pg. 1093–1094.
  5. Fasti Capitolini [em linha]

BibliografiaEditar